Páginas

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Bolo de claras – Moulinex Cuisine Companion (CC)



Depois da queijada de Évora, e como só gastei gemas, fiquei com 6 claras às quais não sabia bem o que fazer… Podia ter feito panquecas ou até uma omelete mas optei antes por este bolo. Fácil de fazer, fofo que só ele, e mesmo com o passar dos dias não perde a frescura, fez-me ficar completamente fã de bolo de claras… Nunca tinha experimentado mas vale mesmo a pena para além do facto de me parecer uma alternativa mais saudável aos bolos com ovos inteiros.

Bolo de claras

Ingredientes:
6 claras (ovo L)
1 laranja
150g de açúcar em pó
180g de farinha para bolos (utilizei Branca de Neve)
70g de manteiga líquida (optei por Vaqueiro)
1 colher de chá de fermento em pó

Preparação:
Pré-aquecer o forno a 180ºC.
No copo da CC, com o acessório batedor, colocar as claras juntamente com umas pedras de sal e umas gotas de limão. Bater na velocidade 10, 4 minutos ou até as claras ficaram bem firmes. Retirar as claras para uma taça e reservar.
Com o acessório picador picar a casca da laranja (sem a parte branca) na velocidade 12, 1 minuto.
Colocar o acessório de amassar/triturar, juntar a manteiga líquida, programa P3 de massas.
Juntar o sumo da laranja, a farinha e o fermento em pó. Selecionar novamente o programa P3 de massas.
Adicionar aos poucos as claras em castelo e envolver com a espátula.
Utilizei forma de silicone que basta passar por água. No caso de forma “normal”: untar a polvilhar. Espalhar a massa e levar ao forno cerca de 30 minutos. 






A vontade era tanta que só me lembrei de tirar foto depois de já o termos “ratado”… ups! Aconselho vivamente!

Menino ou menina?



Para ser totalmente sincera não tinha preferência. Acho que num segundo filho é mais fácil dizer que se prefere um outro sexo. Numa primeira viagem não conseguia preferir…
Achava que era um menino inicialmente, não por preferir, porque era esse o instinto maternal. Rapidamente (ou não tão rapidamente quanto gostaria) percebi que o meu instinto está muito mal sintonizado… e temos uma menina a caminho!
Hoje, prefiro uma menina. É o que trago dentro de mim e não consigo querer outra coisa. Acho que é mesmo o que estou a precisar até porque, daqui a nada, tenciono pô-la a tratar de atividades domésticas. J Depois de 9 meses a carrega-la dentro de mim no mínimo tem de se habituar a por a louça na máquina, por a mesa, e muitas outras ideias que entretanto vão com toda a certeza surgir – tratar-me da manicura parece-me brilhante. E isto com poucos meses de idade porque depois partimos para tarefas mais pesadas.
Por outro lado vejo a minha vida muito mal parada. Toda a gente me diz que as meninas têm mais tendência para o pai. Se as afilhadas servem de exemplo trepo paredes pela forma como se derretem pelo padrinho – um ciúme orgulhoso se assim lhe podemos chamar. Isto leva-me a perceber que vai ser preciso muito esforço e tempo para criar a cumplicidade que sempre imaginei entre mim e os meus filhos. E aqui o inimigo número 1 é: o pai! Estou feita mas vou reunir todos os meus trunfos… prepara-te papá!!!
A gata já cá canta e vai ser o poder das mulheres em grande cá por casa. Valha-nos o homem para acalmar os ânimos – não gostava nada de estar no teu lugar!

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Ele há cada coisa



Assim de repente acendeu-se uma lâmpada! A data prevista para o parto é 9 de Maio mas com um jeitinho daqueles o Abril vai ganhar uma nova perspetiva.
Ainda assim vou ter de dar abertura a negociações e estabelecer longas conversas com o rebento pois no mês Abril existem umas limitações:
- 1 de Abril – aniversário do avô materno. Dias das mentiras, é complicado explicar à malta que nasceu de facto e se é aniversário do avô não é do bebé;
- 10 de Abril – aniversário namoro/casamento dos pais. Era muito lindo mas cada macaco no seu galho. Depois quero ir passar o fim-de-semana de aniversário fora e não posso porque não deixo a criança sozinha no seu dia;
- 27 de Abril – aniversário do pai. Se é do pai não é do filho! Quero que cada um tenha a sua comemoração e no que depender de mim não coincidirá. A não ser que a natureza me decida mostrar que decidiu doutra forma;
- 28 de Abril – aniversário da avó paterna. Seria deserdado logo à nascença. Se é aniversário da avó não deve ser do bebé.
Longas conversas é o que me espera… mas conversas com muito jeitinho. Já ouvi dizer que quanto mais se diz que não se quer mais tendência existe para acontecer. Que do mal escolha o menos!