Páginas

quarta-feira, 30 de abril de 2014

E o Euromilhões???

Ora portanto… ainda hoje de manhã estava a pensar que estes fulanos andavam a brincar com a cara do povo. Ah e tal, se calhar vamos pensar em baixar o IRS. (Ao que eu juntei…) Mas pelo sim e pelo não fica já decidido o aumento do IVA e da Segurança Social. Assim, só por causa das coisas!
Esta mera contribuinte sem bola de cristal que especulava acerca do futuro no que a encargos fiscais diz respeito, encontrou há pouco na página do Jornal de Notícias a seguinte notícia:
 

Imagem retirada do portal do jn (www.jn.pt)

É que nem de propósito! Estes fulanos descredibilizaram-se há muito, mas fazem questão de continuar a cavar a sepultura. A deles e a nossa!
Mas só queria dizer que me podia dar assim uma luz quanto ao Euromilhões. Isso é que era fantabulástico… para já só consigo antever as opções tributárias do nosso Governo. Também não é difícil...

Balanço de Abril

Chega ao final mais um Abril. Mês de muitas comemorações e recordações acaba tão depressa que nem dei pelo tempo a passar.

Fui 17 vezes ao ginásio, fiz algumas corridas (menos que o desejado) e pela primeira vez fui a uma aula de Zumba no ginásio.

Apesar de todo este exercício físico, acabo este mês com muito peso na consciência causado pelas asneiras dos últimos dias que têm de ser exceção.

Entretanto não se esqueçam que esta é a noite de colocação de maias nas janelas. Quando ia para o escritório era só pessoal parado na beira da estrada para arrancar umas maias num sítio de fácil acesso.
 

A tradição já não é o que era… mas esta é uma espécie de forma de despedida deste mês especial!

É tão especial que é o único que acaba com uma consoante. Ah pois é!

Venha o Maio com as maias para ver se me porto melhor.

Campanha política MUITO antecipada

Hoje no ginásio quando ia deitando olho às legendas das notícias do dia deparei-me com algo deste género: Governo diz que é muito legítimo declarar que em 2015 poderá pensar na redução do IRS.

É que só podem estar a gozar com a cara do povo! Para 2014 verificou-se uma redução da taxa de IRC. Quando tantas empresas têm prejuízo acho que a questão desta descida é muito inteligente. Malta, baixamos o IRC! Ok, quase nenhuma empresa vão beneficiar desta medida, mas isso não é culpa nossa (então a história da dedução dos Pagamentos Especiais por Conta é anedótica, mas isso já são outras guerras).

E agora dizem que é provável que considerem a possibilidade de baixar o IRS.

1.º lugar – dizerem que poderão considerar não é nada. É que nem sequer dizem que talvez baixem. Talvez considerem a possibilidade de…

2.º lugar – esta coisa de deixar assim os assuntos no ar do género, nem que sim, nem que não é de dar a volta a tripa a qualquer um.

3.º lugar – o único motivo que vejo para abrirem a boca no sentido de partilhar uma barbaridade destas é porque querem começar muito antecipadamente a dizer: já vos tirei couro e cabelo, mas para o ano que vem, se votarem em nós, vamos começar a baixar impostos. Temos de nos começar a preparar para a chuva da campanhas políticas.

4.º lugar – simplesmente não acredito nesta descida de IRS. Para mim é uma utopia. Aposto que se baixarem o IRS aumentam o IVA ou outro imposto qualquer. Ao fim e ao cabo acabamos sempre por contribuir com mais e mais.

5.º lugar – a descida de impostos neste país, com tanto buraco para tapar e outros tantos a serem abertos, é tão só e somente quimérica.

6.º lugar – ainda alguém acredita no que os políticos deste país dizem?

Coisas que não compreendo #20

Porque é que durante anos, exceto à segunda-feira, raramente se falava em futebol cá em casa, e agora todos os dias é a mesma lengalenga?
E piorou desde que senhor meu marido recebeu uma camisola do Benfica de prenda de aniversário (não sei se vos perdoo compadres!!!). Compreendo a insistência na celebração das vitórias, mas para quem este ano anda com uma cabeça do tamanho de um melão não é nada agradável.
Ainda percebo menos porque é que os afilhados chegam à beira dele portistas e saem da beira dele benfiquistas! Vou ter que me pôr a pau, caso contrário serão crianças com muito poucas alegrias futebolísticas!

Cake design #20 - Depois do 3.º da Matilde veio o 1.º aniversário da Ema

A época do cake design arrancou com o aniversário de Matilde a meio de Abril. Depois veio a oportunidade de fazer o bolo da primeira festa de anos da Ema.
O tema do bolo era Panda e os Caricas. Percebendo que não ia ter tempo de me dedicar à modelagem dos caricas um a um, tive de procurar alternativa. Não encontrei nada que me enchesse as medidas e por isso optei por imprimir a imagem dos Caricas em folha de açúcar e modelei apenas o Panda.
Apenas foi escolhido o recheio (doce de ovos) o que me levou a optar pelo bolo de noz.

terça-feira, 29 de abril de 2014

Ginásio by morning #39

Depois de demasiados dias a dar descanso ao corpo hoje foi dia de voltar aos treinos. Sexta-feira decidi descansar, sábado não deu, domingo ainda menos e ontem vi-me grega para me aguentar o dia no trabalho, sair da cama foi um verdadeiro suplício e por isso achei que não valia a pena o sacrifício.
Sinto que ainda estou a dever umas horas à cama, mas por outro lado também sintia o corpo a fervilhar com a falta do treino que já é habitual.
Para minha surpresa o corpo reagiu muito bem ao regresso. Pensava que ia sentir alguma regressão causada por 4 dias de paragem mas não. Não sei se terá sido dos doces dos últimos dias mas até a resistência na corrida melhorou e aguentei numa corrida de 18 minutos fazer o último minuto a uma velocidade de 10Km/h.
Outro facto que constatei hoje foi que a velocidade de 6,5Km/h que no início me parecia de tolos e merecia comemoração, hoje é a velocidade de caminhada rápida. Só a partir dos 7km/h é que começo a correr. Fantástico! Lembro-me de orgulhosamente aguentar correr 2 ou 3 minutos a 6,5Km/h… Desta forma é que tenho noção dos progressos alcançados. Qualquer dia pareço uma gazela… ou não!

O mau feitio das mulheres

Eu: Diz-me um assunto sobre o qual era interessante escever um post.
Ele: Um assunto... o mau feitio das mulheres!
(Silêncio)
Ele: É melhor não, que isso demora muito tempo!
(Silêncio)
Aqui seja feita a tua vontade. Só para provar que estás enganado quanto ao mau feitio das mulheres. Pelo menos a tua não tem! Escrevi sobre o assunto como solicitado e rapidamente. E nestas poucas linhas ainda tive oportunidade de enaltecer outro facto: o mau feitio dos homens! Quem diz o que não deve, ouve () o que não quer.

Eu já previa

Pois que a festa de anos do RP correu muito bem, houve comida que chegasse para todos e para mais alguns que pudessem vir.
Depois de todos irem embora o desânimo com as sobras em cima da mesa foi evidente.
Deitar tudo fora estava fora de questão. Tentei empandeirar as sobras para várias pessoas, mas todas pareciam padecer das mesmas fraquezas e tentativas de resistência que eu. Vi-me a braços com uma mesa recheada de coisas que me tentam mas que simultaneamente não quero nem ver.
Mas é preciso eliminar tudo o que lá está e rapidamente. Entre camarão, pãozão, pão alentejano recheado, mil folhas de ananás, tarte de nata e bolo de chocolate, entre outros, está ditada a minha sentença. Sei que esta semana vou engordar porque não tenho alternativa. Se calhar tenho, mas sinceramente não a estou a ver!
Entre petiscar algo saboroso e o peso de consciência que sinto cada vez que como algo que sei que não devo espero que acabe e passe rapidamente…

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Pensamento profundo #8

Porque é que as pessoas têm critérios de análise e opiniões tão distintas conforme os intervenientes da mesmíssima situação?

Foi ontem

33.º aniversário do marido! A primeira coisa que me vem à cabeça é que já não bastava o facto de fazer 33 anos no ano em que o Benfica se consagrou campeão nacional pela 33.ª vez, ainda por cima neste mesmo dia o Benfica elimina o Porto da Taça da Liga, única competição em que o Porto ainda podia ganhar alguma coisa. Está mal! Está muito mal! Mas fica perdoado pelas contrapartidas destas tristezas.
Um 33.º aniversário que foi pontuado por alguma nostalgia mas também muita alegria. Foi um prazer o tempo passado na cozinha a preparar com todo o carinho um lanchinho para quem o aniversariante teve gosto em convidar. Agora ficam os restos que não sei quem vai comer… é a parte que mais custa.
Vou aproveitar para partilhar algumas receitas. A de hoje vai ser o recheio e cobertura do bolo de aniversário. O bolo era limão com caramelo e o recheio e cobertura:
Ganache de chocolate branco
Ingrediente (para um bolo pequeno):
- 180g de chocolate branco
- 300ml de natas
- 1 vagem de baunilha
Num tacho colocar 100ml de natas com as sementes de baunilha e levar ao lume até ferver. Juntar este preparado ao chocolate branco entretanto cortado em pedaços e misturar bem até ficar tudo derretido. Se necessário levar ao micro-ondas para derreter na totalidade.
Adicionar outros 100ml de natas e misturar. Tapar e levar ao frio para ficar com a consistência pretendida. (Eu deixei durante a noite para ficar sem preso).
Para utilizar, primeiro bater antes de aplicar. Ao bater o preparado a quantidade pareceu-me insuficiente para o bolo (recheio e cobertura) e por isso adicionei mais 100ml de natas bem frescas que rapidamente ficam montadas.
 

sábado, 26 de abril de 2014

Teste à vista

Aproxima-se a data de uma comemoração especial lá por casa. Vêm pessoas de quem gostamos muito e com quem fazemos questão de partilhar estes momentos. E com tudo isto vem também um grande teste!
Como sempre, vou levar para a mesa coisas de que gosto, a maior parte delas feita por mim. Mas depois do sucesso conseguido na resistência às tentações da Páscoa não sei se o mesmo ocorrerá nesta data especial. Ai, ai,… estou com medo!
Vou ter uma conversa muito séria comigo para tentar minimizar os estragos. Espero estar com abertura para levar nas orelhas e consciência para não cometer pecados maiores do que aqueles que posso.
Quanto aos convidados: Malta, é preciso comer tudo até à última migalha antes de irem embora. Caso contrário vão começar a sair alinhados de cuvete na mão com os restos! Não posso ficar com sobras, ou será a morte do artista!

FCP: Tem piedade de mim e ganha ao SLB! Caso contrário ficarei com uma ansiedade tal que marcha tudo à minha frente! Não querem uma portista com apetite sem fim pois não? Vamos lá rapazes, toca a dar à perna!

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Liberdade, mas pouca!

Nestes dias (pré 25 de Abril) ouvi dizerem:
- agora há liberdade porque as mulheres podem usar saia e trabalhar!
- agora há liberdade porque podemos dizer merda, mal dos políticos... aquela coisa apelidada de liberdade de expressão!
- agora há liberdade porque os ladrões roubam e os assassinos matam, passam uma noite na esquadra com comida e roupa lavada e no dia seguinte estão de volta à sua vidinha!
Pois, não sei. Há 40 anos atrás ainda não existia e não posso falar de uma altura em que não vivi.
Tenho consciência desta liberdade de expressão (que volta e meia não é assim tão liberta), tenho consciência desta igualdade entre homens e mulheres (com um GRANDE caminho ainda pela frente), tenho consciência de um mau sistema de justiça, assim como saúde, educação,...
Apesar de tudo isto agradeço a todos os que lutaram pelo 25 de Abril, que me permitiram viver de uma forma que acredito ser mais fácil do que a anterior, mas também me parece que esta liberdade é de alguma forma muito pouca, muito limitada.
O que mais me custa é saber que naquele tempo pessoas revolucionistas arriscaram muito para melhorar a sua vida e o seu futuro. Hoje sabe Deus as reformas a que têm direito, o tempo que esperam por uma consulta e o dinheiro que vêem todos os dias a ser mal gasto.

Sim, Dia da Liberdade! 

Maior desvantagem de emagrecer

ESTOU A FICAR SEM CALÇAS!!!
Sempre que penso, estas não!, estas ainda me vão ficar justinhas… nada! Ando em triste figura porque quase todas as calças vestidas exibem um balão traseiro e lateral nada bonito de se ver. Mas ainda maior problema é que como quero emagrecer mais não se justifica o investimento para depois acontecer como com as atuais… Ando aqui assim a balançar entre calças que não me ficam nada bem e um investimento injustificado…

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Volta aqui!

Sol (Manuel – para quem entender!), faz favor de voltar aqui! Já imediatamente!
Não vou ter de te ir buscar pois? Se tiver de ir aí vais-te arrepender! Ai o menino… estás a ficar muito desobediente!

E continua a descer

Depois de um fim-de-semana com asneira da grande à mistura, a expetativa era muito baixa! Julgava que ia voltar a ultrapassar a barreira transposta na semana passada, mas não! A medo subi para a balança e consegui perder 600 gramas.
No Domingo de Páscoa foi dia de ver mesas recheadas de coisas que só me apetecia atacar, mas controladamente provei uma unidade de cada uma das coisas disponíveis ao almoço, não comi arroz nem batata e atestei-lhe na salada! Nas sobremesas também provei, em quantidade muito controlada, bolo de chocolate, arroz doce, pão-de-ló e queijo da serra (só de relembrar já me babo!). Depois disso só bebi água… quando me deparei com mesas cheias de miniaturas, camarões panados, cozidos, estufados, bolos, bolas, mexilhões e sei lá mais o quê, pedi apenas um copo de água.
Depois disso correu tudo com normalidade até que ontem à noite senti uma fome descomunal, estava com o pior dos feitios, cansada, cheia de sono, o estômago a roncar. Mas graças à paciência do elemento masculino consegui ultrapassar a negridão do momento sem fazer nada de que me arrependesse. Decidi que se hoje continuasse assim comeria estrelitas ao pequeno-almoço. Depois de me deparar com uma descida do peso apesar das asneiras de Domingo, bebi o leite com granola!
Com a motivação em alta lá fui para o ginásio e como de costume apenas homens e a je! Nos últimos dias tenho pensado muito no facto de praticamente não se ver mulheres e preferia sinceramente ter a presença de mais alguns elementos femininos. Ia mais ou menos a meio do treino e vejo uma mulher. Finalmente! Pensei para mim: pelo menos já somos duas! Fixe!
E foi fixe até eu ir ao balneário e ao voltar cruzar-me com ela e sentir um olhar tão reprovador, tão crítico, tão nem sei bem o quê, que até me fez vir as lágrimas aos olhos. Sim, a rapariga era magra, jeitosa, e ao lado dela tenho consciência da minha monstruosidade. Mas apesar de não me ter dito nada o olhar foi de tal forma revelador que me senti uma formiga, senti que não andava lá a fazer nada, senti vontade de vir embora e não voltar.
Noutros tempos provavelmente era o que aconteceria, mas hoje, sim, fiquei uns minutos com os olhos no chão, com as lágrimas nos olhos a pensar no quanto ridícula eu sou. Mas depois pensei no que já alcancei, na redução do meu peso, no aumento do peso das máquinas, no tempo que consigo correr e sobretudo na forma como atualmente me sinto. E fiz 4Km de bicicleta para me distanciar de todo aquele sentimento que ela me conseguiu transmitir, ou que eu permiti!
Chego ao ginásio, coloco os meus phones, faço o meu treino e venho-me embora. Se nem sequer repararem em mim tanto melhor. Mas a verdade é uma: nunca nenhum homem, independentemente da sua forma física, me fez sentir aquilo que o olhar daquela rapariga fez!

É só a mim?

Que esta quantidade de feriados, tolerâncias, fins-de-semana prolongados começa a dar cabo do planeamento de tarefas?

Passamos meses e meses a babar por um dia de descanso adicional e depois vem tudo ao mesmo tempo…
Sim, eu sei qual é a solução! Fazer muitas horas extra para compensar o tempo não trabalhado nestes dias… que sorte!

É que não faltava mais nada

Quando a pressão para engravidar deixa de vir “apenas” da família, amigos, colegas etc. e tal, e passa a vir também de clientes! WHHAAATTT? Ah pois claro!
Todo o peso do necessário aumento da natalidade em Portugal passa a repousar nas minhas costas! A responsabilidade de dar continuidade à vida no país e no mundo é minha! É preciso ter uma paciência…
Faço questão de preservar a minha privacidade. Apenas 2 ou 3 pessoas sabem de assuntos muito pessoais e mesmo assim, naturalmente, existem aqueles que guardo tão só e somente para mim!
E agora só me faltava uma pessoa com quem falo quase exclusivamente de documentos, obrigações fiscais e afins passar a perguntar-me pela cegonha cada vez que fala comigo! Até me considero tolerante e até consigo sorrir quando me perguntam de quando em vez  pelo assunto (vale-lhes a minha incapacidade de fuzilamento com o olhar!), mas de um momento para o outro achar que faz todo o sentido perguntar-me pelo assunto várias vezes na mesma semana? A sério? É que não me faltava mais nada….
 
Resta-me inspirar MUITO fundo e expirar para não dar uma resposta torta!

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Dia da minha grande perdição

23 de Abril é o Dia Mundial do Livro. Deixando o tema da alimentação de lado, esta é a minha outra grande perdição!
Quase todos os dias vejo um livro novo que gostava de ter mas tento refrear esta compulsão aquisitiva!
Como forma de comemoração do dia (não tem nada a ver com técnicas comerciais não senhor!) há sites de venda de livros com uns preços bem simpáticos para quem quiser aproveitar: fnac, wook, saída de emergência,…

Cake design #19 - O terceiro aniversário da Matilde

No dia 13 de Abril a Matilde fez 3 anos. Foi por este motivo que a nossa comemoração do aniversário de casamento foi tão curtinha!

A mãe da Matilde disse-me que queria um pouco de cada uma das coisas que costumo fazer e que o tema da festa seria as Princesas da Disney.

Voltas e mais voltas e tendo em conta o tema fiz:

- Bolachas decoradas

- Cupcakes

- Popcakes

- Bolo


Foram dois dias inteiros metida na cozinha, entre formas e cortantes, corantes e pastas, mas adorei este “projeto”! Fazer este conjunto de coisas com um tema comum e uma ligação entre os vários elementos… muito cansativo, mas muito prazeroso!!!

 Ficam algumas fotografias do resultado final…

 Entretanto já soube que estava tudo muito bom e que foi um sucesso… se o Ramsay soubesse matava-me! É que me esqueci e nem provei nada! Não se faz…

Clean Bandit - Rather Be feat. Jess Glynne



 
Para uma manhã mais bem disposta partilho uma música que foi recentemente adicionada à minha playlist do ginásio! Adoro!

terça-feira, 22 de abril de 2014

Coisas que não compreendo #19

Pessoas que se endividam de tal forma que ainda antes de receberem o salário já o têm totalmente gasto.
Compreendo o endividamento para aquisição de uma casa, carro, um ou outro projeto e até alguma situação pontual que com o pagamento a pronto não seria possível ter. Apesar de não ter esta postura, compreendo que o façam. O que não compreendo são pessoas que têm simultaneamente um empréstimo de casa, de 2 carros, de máquina de lavar roupa, de máquina de secar roupa, de televisão, de playstation, de telemóvel, mais um empréstimo que contraíram para responder a todas as responsabilidades anteriores num mês mais complicado…
Acho que numa situação idêntica não conseguia dormir e vivia com o terror de algum dia não conseguir dar resposta aos compromissos assumidos. Será que mostrar aos outros que se tem isto e aquilo é motivo suficiente para manter esta postura na vida? Não será preferível ter menos, mas dormir minimamente descansado?

Lutadoras de excelência

Neste fim-de semana de Páscoa aproveitei para ir ao shopping tratar de assuntos pendentes e acabamos por almoçar por lá.
Depois de alguma indecisão optamos por um local onde existe uma mesa comprida (ao estilo das cantinas) em que nos sentimos num espaço disponível. Alguns lugares ao lado dos nossos estava uma família constituída por um casal e dois filhos.
De forma distraída e apenas por acaso olho para o lado e vejo a mãe a dar à boca uma sopa a um adolescente, por volta dos seus 16 anos (mais coisa, menos coisas porque não sou muito boa nisto). O meu primeiro pensamento foi “o que uma mãe passa, um filho com aquela idade que faz uma birra e esta ainda tem paciência para lhe dar a sopa!”. Achei estranho a até desadequado aquele comportamento, mas alguns minutos depois ouço o mesmo miúdo a dar uma palmada na mesa, a emitir sons estranhos,... a certa altura levantava-se e o pai segurava-o com imensa força, enquanto a mãe tentava acalma-lo através de palavras. Este tipo de comportamentos repetiram-se até virmos embora.
É impossível não ficar sensibilizada com toda a cena que se criou. Com a postura da mãe que demonstrou um amor incondicional e uma paciência ilimitada. Com a (presumível) irmã que também adolescente se manteve serena face a tudo o resto que se passava. Com o pai que não pôde baixar as defesas 1 segundo porque caso contrário fiquei com a sensação de que o Gonçalo se iria levantar e sair dali para fora.
Não sei se se tratava de uma criança autista (foi a sensação com que fiquei), mas quando de lá saí só conseguia pensar na família, no desgaste físico, psicológico, no exemplo de coragem e determinação. Tive vontade de ao lado da mãe e dizer-lhe que era um ser humano exemplar.

Vim embora a ver aquelas pessoas como lutadoras de excelência que são! Vim embora apenas a desejar-lhes a maior felicidade do mundo, porque o fardo que carregam não transparecia, apesar da preocupação constante. A força de algumas pessoas só pode ser admirada pela grandiosidade que tem. Existem pessoas verdadeiramente especiais e Gonçalos que merecem tudo e têm tudo o que merecem.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Desliga a ficha

Existem pessoas que são capazes de sair da porta do trabalho e desligar a ficha.

Saio do trabalho e fico a matutar em todas as coisas que se passaram. Com um bocado de sorte até sonho com alguma dessas coisas. Tiro uns dias de férias e sem dar por isso já estou a falar de algo que se passou, de alguma situação que tenho por tratar, qualquer coisa…

Isto gera um desgaste psicológico e nesse aspeto o ginásio é ótimo. Durante aquela hora a minha prioridade é a sobrevivência (lol)! Penso em melhorar os tempos, aumentar os pesos, controlar a respiração, escolher a música mais adequada para o ritmo que quero estabelecer e durante esse período dificilmente me lembro do trabalho.

Conheço pessoas que independentemente dos pendentes, dos problemas, das dores de cabeça, conseguem esquecer o trabalho fora do horário laboral, aos fim-de-semana, nas férias,… Acho que estas pessoas têm um espírito mais bem-disposto e animado, ao passo que as pessoas como eu parecem ter sempre o cenho um pouco franzido.


Invejo as pessoas que conseguem desligar a ficha, gostava muito de conseguir faze-lo!

sábado, 19 de abril de 2014

Isto assim é tramado

No fim-de-semana passado, na habitual visita aos meus pais, sem mais, o meu pai dirige-se a mim e diz:

- Sabias que o atual salário mínimo nacional é inferior em 50,00€ ao que era antes do 25 de Abril?

O primeiro pensamento foi: “isso não faz sentido!”. Antes tínhamos comentado que estava quase a chegar o 40.º aniversário de casamento deles e por isso como era possível há 40 anos atrás (sim, os meus pais casaram no ano do 25 de Abril) o salário mínimo ser inferior ao atual?

Depois parei para refletir… não posso falar do que se passava há 40 anos atrás, mas sim do que vivi e vivo atualmente. Comecei a trabalhar há 11 anos atrás e mesmo com um rendimento bruto inferior, a verdade é que há 8-10 anos atrás tinha muito melhor nível de vida do que o atual. Tudo é pensado, todas as decisões ponderadas. Sempre numa expetativa de melhoria do nível de vida, a verdade é que este se vai degradando ao longo dos anos. A folga que existia há uns anos atrás são o esticar da corda dos dias de hoje.

O aumento da carga fiscal, encargos bancários, preço dos bens essenciais “comem” toda a folga que poderia existir. Por muito que custe é necessário reduzir ao valor gasto em lazer, cultura e todas as despesas que cada um considera supérfluas.

Somos uma geração tramada e tenho pena das que se seguem. Por muito que queiramos fazer há alturas em que nos sentimos de pernas e braços amarrados. Depois do meu pai me dar aquela informação foi exatamente isso que senti. Nadar contra a maré, nadar, nadar, nadar e não conseguir sair do sítio. Esta frustração é muito tramada!

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Peito inchado

Conforme tem acontecido desde que iniciei o novo plano alimentar e faço o diário, ontem, quinta-feira, enviei-o para a nutricionista afim de saber os pontos que devo corrigir, assim como informar o meu peso atual. A resposta obtida:
 “parabéns!!!
estou muito orgulhosa!
e a alimentação tem sido impecável!
 continuar assim que agora é sempre para baixo!”
 Acho que hoje devia ter trazido a babete porque fiquei toda sorridente e orgulhosa… 4,3Kg este ano e 14,3Kg desde Setembro!
Como a minha afilhada diria… PUMBA!

quinta-feira, 17 de abril de 2014

It's the final countdown


Ginásio by morning #38

Bem… nem vos digo, nem vos conto!
Depois da má notícia que partilhei ontem, hoje partilho a melhor notícia que podia esperar (no que a este assunto diz respeito, naturalmente!). A barreira que na semana passada me parece intransponível, foi esta semana transposta.
No Domingo, na visita ao meu afilhado, cometi alguns erros e se na semana anterior tinha aumentado 100gramas, esta semana nem sabia o que esperar. Puxei por mim forte e feio no ginásio, tive muito cuidadinho durante a semana, mas ontem à noite, enquanto preparava o saco do ginásio considerei todas as possibilidades:
- aumentar 100g
- aumentar 1-1,5Kg
- baixar 100g
- baixar 1kg
- manter
- …
Houve uma vezinha em que até pensei: E se conseguisse finalmente passar aquela barreira? Mas logo me refreei e pensei: Deixa-te de ilusões, já sabes que as coisas não são assim! És parva ou quê?! Ainda por cima com as asneiras que fizeste?
Só me queria certificar de que independentemente do resultado a desmotivação não caísse sobre mim. Nada me fazia prever o que vi hoje na balança… Esta semana emagreci 1,7Kg! E fiquei que me apetecia gritar, correr pela casa, abrir as janelas a comemorar.
Como isto aconteceu por volta das 6:30 da manhã, achei por bem apenas ficar com um daqueles sorrisos tontos e partilhar a novidade com o meu marido (que comemorou quase tão efusivamente quanto eu!).
Depois disto é como uma recarga na motivação, na determinação… e lá fui para o ginásio (e já cheia de preocupação com o fim-de-semana de Páscoa que se aproxima e que equivale a asneira em cima de asneira). O bem-estar e a felicidade deste resultado são indescritíveis. Ainda tenho um longo caminho pela frente, mas é vencendo batalhas que se ganha a guerra!

Coisas que não compreendo #18


Porque é que hoje após o almoço fui ao banco e estava fechado?

As mudanças acabam por dar-se naturalmente

Como já é habitual no aniversário de namoro/casamento/união foi altura de irmos dar um giro a dois. Desta vez, devido a compromissos, teve de ser muito pertinho, para ir num pé e vir no outro, mas não deixar passar a data especial em branco. Fazer algo diferente agrada-nos muito.

O destino este ano foi o Furadouro. Apesar de perto, nunca lá tinha ido. Assim fica mais uma terra assinalada no mapa de Portugal. Até tempo houve para a procura de uma cache, mas acabou por ser mal sucedida (bem olhamos, olhamos, mas nada na manga!).

Mas este post é sobre mudança. E muitas mudanças se deram relativamente a anos anteriores.

Primeira mudança:

A hora de sair de casa. Tinha de dar tempo para uma ida ao ginásio antes do passeio. Sabia que ia cometer asneiras alimentares e já antecipando a sobrecarga de calorias, tive de começar o dia com um desgaste das mesmas. Fui cedo para não comprometer os planos, mas aperceber-me de que a ida ao ginásio teria de fazer parte dos mesmos alegrou-me e satisfez-me, para além de ter voltado para casa com outa disposição.

Segunda mudança:

Nem considerei a possibilidade de não colocar o equipamento necessário para duas corridas nesta mala de uma noite. Já me habituei a reduzir substancialmente a quantidade de coisas que levo e sabia que com ténis, t-shirts, calções, meias, braçadeira, mp3… teria de incluir mais uma mala na mala do carro, mas não fiquei nem aí! Quando o RP viu que as corridas faziam parte dos meus planos também alinhou na brincadeira e acrescentou o seu equipamento (com isto ainda fiquei com mais gana de correr!).

Terceira mudança:

Furadouro é uma terra pequena, MUITO pequena! Parecia o Algarve dos pequeninos. Com características muitos turísticas é notoriamente uma terra muito movimentada no Verão e quase fantasma fora dessa época. Basicamente em 10 minutos vimos aquilo que nos oferecia. E depois? Depois a sugestão foi fazer check in no hotel, equiparmo-nos e conhecermos a pé o que já tínhamos mais ou menos visto de carro. Assim foi.

Quarta mudança:

Jantar foi numa pizzaria. E a verdade, pelo menos no meu caso, é uma: eu não vou a este tipo de sítios para comer uma salada! É como combinar uma francesinha com os amigos e chegar lá e comer um bife de frango grelhado. Sim, sou fraca, mas a ansiedade que me iria gerar uma situação dessas só originaria o consumo de muito mais calorias após o sucedido. Assim sendo, pizza teve de ser… maaaaaaaaasssssssssss, e aqui o verdadeiro mas: não comemos entradas (muito graças ao marido! OBRIGADA!!!!) e olhem que não foi nada fácil resistir ao pão de alho; escolhi uma pizza com ingredientes básicos (queijo, fiambre e cogumelos) e não com todos os que fazem mal (como era usual); acompanhada por uma salada (nunca na vida fiz uma coisa destas); e água. Claro que partilhamos uma sobremesa (o melhor cheesecake que já comi em toda a minha vida!) e também algum peso na consciência, mas vim embora satisfeita com estas opções.

Quinta e última mudança:

10 de Abril, acordei às 6:20 (hora a que costumo acordar para ir ao ginásio) e vi que ainda era cedo (Vai-te lá pôr a dormir mais um bocado S. e ganha juízo!). 7:30, olho aberto! Sol a brilhar e decisão de corrida matinal. Depois de o RP ter insistido para que lhe dissesse caso fosse, para ele me acompanhar caso lhe apetecesse, assim fiz! E tive companhia (que adorei!!!). Uma corrida curta porque ele não queria perder o pequeno almoço do hotel por nada deste mundo, mas ainda assim tão agradável, tão boa… Não imaginaria melhor maneira de começar o nosso dia!

São muitas mudanças. Pelo menos para mim. Tenho muito para aprender e para progredir, mas são passos de gigante nos hábitos de muitos anos. Valorizo o apoio que tenho de quem está ao meu lado, porque doutra forma já tinha vacilado muitas mais vezes.  É bom sentir o que sinto com base nestes acontecimentos.

A melhor parte (desculpa, mas tenho de partilhar!) foi durante o pequeno-almoço:

Ele: Se alguém me dissesse que eu me ia levantar às 7:30 para correr eu chamava-lhe tolinho… se algum dia pensei vir a fazer uma coisa destas!).

Eu: Sabe mesmo bem não sabe? Não tens outra energia?

Ele: Sim, sem dúvida! Estou mesmo satisfeito!

Eu: E cá entre nós, não sentiste um orgulho do caraças ao entrar no hotel todo suado às 9 horas da manhã, depois de uma corrida?

Ele: O quê? Eu senti um orgulho do caraças quando estava a sair! Ainda não tinha começado a correr e já tinha o peito inchado…

Eu: Ai é??? Isso quer dizer que começas a ir ao ginásio comigo de manhã?!

Ele: Não Fi! Nem tanto…

Eu: Pois, porque não consegues conciliar o horário…

Ele: Pois, é isso…

Não consigo deixar de pensar nisto sem ficar com um sorriso tonto. São momentos como este que valem a pena guardar!

Desenganem-se!

Hoje com toda a certeza não vou comentar futebol...

Então e os 15% do IVA das faturas?


Na Modelo 3 – declaração relativa aos rendimentos de pessoas singulares, não existia qualquer menção a este benefício. A malta andou a pedir faturas no mecânico, hotéis, etc. e tal e eles esquecem-se? Não, não se esqueceram! De acordo com o publicado no portal das finanças:

“A dedução do montante correspondente a 15% do IVA suportado, nos termos do artigo 66.º-B do E.B.F., é assumida automaticamente na liquidação do IRS, não havendo lugar à inscrição de qualquer valor na declaração modelo 3, dado que a AT já dispõe de todos os elementos necessários para o efeito.

Vamos lá ver…

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Pescada no forno (em papelotes)

Partilho mais uma receita saudável. Esta ficou tão boa, mas tão boa, que acho que tenho uma receita de pescada agora favorita.

Pescada em papelotes no forno
 Para 4 pessoas

 Ingredientes:

 - 4 postas de pescada (utilizei congelada)

- azeite

- 1 limão

- 16 camarões

- sal, pimenta, tomilho, alho moído, piri-piri líquido.

 
Atentem a este elevadíssimo grau de dificuldade:

Cortar 4 quadrados de papel de alumínio (tamanho suficiente para embrulhar as postas de pescada).

Em cada um dos quadrados colocar 1 posta de pescada (entretanto descongelada). Temperar de ambos os lados com sal, pimenta e alho moído.

Adicionar um fio de azeite (pouco). Colocar uma fatia de limão sobre cada uma das postas, polvilhar com tomilho e dispor 4 camarões em cada uma. Por um pouco de piri-piri (opcional) por cima do camarão.

Fechar os embrulhos e vai ao forno a cerca de 190ºC durante 1 hora - 1,5 horas.

O cheiro é maravilhoso e o sabor ainda melhor. Equivale ao cozido a vapor e por isso só faz bem.

Acho que vou experimentar com mais peixes!

Partilhar as coisas boas e as coisas más

Desta vez uma má! Na semana passada pesei-me como de costume. Mais 100 gramas. Estes 100 gramas custaram-me a engolir de carago! É frustrante perceber que independentemente dos esforços, da mudança de hábitos, etc. nunca posso criar expetativas.

Não desisto! Tenho um objetivo e continuo a lutar por ele, mas há uma barreira que cada vez mais me parece intransponível. Se por um lado sinto uma raiva que me faz querer lutar mais e mais, por outro sinto desânimo porque aguardo aquele peso com tanta expetativa e ele só se faz de difícil!

terça-feira, 15 de abril de 2014

Momento alto da nossa noite

Quando o dia chegou ao fim e julgávamos que mais nada nos ia surpreender eis que o Dr. Fernando Seara profere as seguintes palavras no programa Prolongamento da TVI 24:

 Acerca do Benfica este ano, é preciso ver que estamos em Abril…

 (alguém, sinceramente não sei quem diz: Abril águas mil) (eu pensei, deve conhecer mais algum provérbio com Abril)

 Abril é um mês! (woooooouuuuuuu, really???) De leitura! (mmmmm???) É por isso importante apostar na leitura de literatura marxista! (WWWWWHHHAAAATTTTT????)

 Pronto! Partiu a louça toda… rimo-nos, valentes gargalhadas porque nem percebemos o que tem a ver com futebol, com o contexto da conversa, com nada. Mas rimos muito… e depois de um dia cansativo como o de ontem, foi sem dúvida o momento alto da noite!

 Fiquei com a sensação de que tinha entrado num lar de terceira idade em que posteriormente eram trocados elogios entre uns e outros. Simplesmente bajulavam-se como se não houvesse amanhã, mas de uma forma tão caricata que só nos permite rir e em que o futebol é simplesmente relegado para segundo ou terceiro lugar!

 Deixo ainda uma palavra de agradecimento ao Dr. Eduardo Barroso por ter, neste programa, acrescentado uma nova palavra ao meu vocabulário: epifenómeno. Mesmo depois de pesquisar o seu significado, ainda não percebi muito bem o que quer dizer, mas não quero ser mal agradecida!

 (Peço desculpa por qualquer inexatidão no discurso do Dr. Fernando Seara acima descrito!)

Gorda invejosa

Pelo facto de ser gorda, durante alguns anos fui vítima de achincalhamento e gozo por parte de uma colega de trabalho. Regra geral até era simpática, mas disse-me umas quantas coisas em momentos completamente desadequados que me deixaram marcas.


Tenho recentemente lido a postura de pessoas mais gordas face a outras mais magras que fazem desporto, têm cuidado com a alimentação entre outras coisas.


Sim, como em tudo há pessoas parvas! Obviamente não vejo com maus olhos que pessoas magras (ou que pessoalmente adjetivaria de magras) façam dieta, façam desporto,… Pessoalmente até acho que não tenho nada a ver com isso. Cada um sabe de si e ponto.


Ainda há pouco tempo acompanhei o meu irmão a uma nutricionista porque ele queria ter uma alimentação equilibrada associada ao exercício físico que praticava e acreditem em mim, ele estava bem magro. Se o acompanhei foi porque compreendia a sua posição e o apoiava. E na altura eu não tinha nem metade da preocupação e cuidado que tenho comigo atualmente.


Acho muito bem que todos tenham cuidado consigo, cuidem de si, cuidem não só do seu físico mas também do seu estado emocional, porque queiram ou não queiram ambos estão interligados.


Não percebo pessoas que criticam as pessoas magras, não percebo. Mas na parte que me toca, e que nunca critiquei ninguém pelos cuidados que teve, já sofri muito na pele exatamente pelo oposto.

Praticava danças de salão e duvidavam da minha capacidade de execução dos passos pelo facto de ter excesso de peso. Passei alguns anos a levar com bocas quase diariamente. Ainda hoje sei que há pessoas que criticam a forma como descrevo os meus feitos desportivos. “Sim, correr 10 minutos a 6Km/h, grande coisa!” “Fazer 200mt num minuto de remo e comemorar? Deixa de ser ridícula…” E tantas outras!


O que quero dizer com isto é que não podem generalizar. Esta brincadeira de as pessoas gordas serem invejosas com as magras, sobretudo as mulheres, não é a realidade, não é a verdade. E não é por ter sido gozada durante anos que acredito que todas as magras me acham ridícula. Acho que o princípio é o mesmo!


São pessoas parvas! Mais nada, pessoas! São gordas? E se forem magras a criticarem magras? E se duas magras se cruzarem na prática de desporto e se criticarem uma à outra? Não… isso não acontece! Poupem-me!

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Que bem que sabe! Aurea - Okay Alright


Num dia de calor como o de hoje, ouvir esta música. Acho que sabe muito bem…

Vidro aberto e goela aberta aí vai ela a curtir a música e a esquecer o que é e o que poderia ser!

 
 

Cuidado com o que dizes

Esta é uma questão a ter mais atenção por mim própria. Pelo feitio que tenho gosto muito de estar na brincadeira e digo que não gosto quando gosto, que não quero quando quero… quase sempre com um sorriso associado, que quem me conhece já sabe como funciona.
 
De qualquer forma vejo isto de forma diferente das pessoas que volta e meia deitam uma da boca para fora que tem um efeito em mim idêntico ao de uma facada. Naturalmente não me refiro às situações em que digo “Vá, agora podes tirar o facalhão que acabaste de me espetar nas costas!”. Quando digo isto é porque estou na brincadeira. Quando algo me afeta verdadeiramente reduzo-me ao silêncio, levo com o baque no estômago e tento digerir tudo muito bem.
 
Acredito que pontualmente todos dizemos coisas a outras pessoas que as magoam sem ser essa a nossa intenção. Ou porque o tom não foi o que queríamos imprimir ao que dissemos, porque a frase foi associada a uma outra situação, ou até porque em determinados momentos somos parvos.
 
Isto diverge completamente das pessoas que simplesmente gostam de tocar nos pontos fracos, gostam de “pôr o dedo na ferida”, gostam de mencionar algo que simplesmente nos faz baixar o olhar para o chão e tentam reduzir-nos à mais pequena existência. E pior que isso tudo, é que o fazem propositadamente e até lhes dá um certo gozo.
 
Ninguém tem o direito de magoar intencionalmente ninguém, seja física ou verbalmente. Acho que devemos ter cuidado com o que dizemos, até porque muitas vezes a falta de cuidado que temos com os outros acaba por recair em nós! Sobretudo pessoas que nos são mais próximas, porque aqui o efeito é exponencial.
 

domingo, 13 de abril de 2014

Das coisas mais interessantes que ouvi nos últimos tempos

Agarra o dia de hoje, como a dádiva que é. Não é por acaso que lhe chamam presente!
Por isso é que ouço dizer que o Natal é todos os dias...

sábado, 12 de abril de 2014

O Cake design na minha vida


Trabalho com papéis. Passo os dias no meu de papel, páginas das finanças e segurança social e quase sempre com a notícia de mais um prazo para pagamento de impostos.

Não sendo associado à produção de algo tangível, poucos são aqueles que lhe dão valor. Todos os documentos que peço são caprichos e sempre que entro em contacto é para dizer que falta pagar alguma coisa.

 Coisas da vida…

Tendo um trabalho que em termos de resultado final não mostra grande coisa e o cake design acaba por ser o oposto!

Faço alguma coisa que as pessoas veem, gostam (ou não), criticam e até provam… Ao fim de algumas horas de trabalho olho para um bolo e sinto orgulho em dizer que fui eu fiz.

Não primam pela perfeição, mas pelo gosto, pelo carinho que deposito em cada bolo que faço.

Quando passo tantas horas num trabalho como o de uma contabilista é muito bom ter a possibilidade de dar largas à criatividade. Ainda por cima na cozinha, com um produto final saboroso…

É o equilíbrio, o complemento que consegui encontrar!

sexta-feira, 11 de abril de 2014

quinta-feira, 10 de abril de 2014

14 anos passados

10 de Abril é sempre aquela data. Um dia especial que fazemos questão de passar juntos.

Começamos o caminho juntos ainda adolescentes e hoje vemos que já passaram 14 anos desde o primeiro beijo, desde a primeira mão dada. Numa vida igual a tantas vidas de casais, nem vale a pena estar a falar nos momentos bons e maus, nas alegrias e nas tristezas, nas surpresas e desilusões.

A verdade é que nós sentimos bem um ao lado do outro, a verdade é que nos fazemos rir um ao outro e temos códigos que só nós compreendemos. São 14 anos que não nos deixam satisfeitos porque queremos continuar a caminhar juntos.

Hoje é dia de brindar... a nós que sentimos que mais um ano é um motivo de celebração e a todos aqueles que tornaram o 10 de Abril de 2010 num dia tão especial, que estiveram ao nosso lado no dia do nosso casamento, o dia em        que partilhamos este 10 de Abril tão especial para nós numa festa com pessoas de quem gostamos.


Agora vamos continuar a comemorar porque amanhã é outro dia!

Tinha de ser...

O sol brilha, está uma temperatura maravilhosa, o dia começou com uma corrida matinal e um valente sorriso do marido... que mais posso pedir?  É dia10 De Abril.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Muito obrigada Endomondo


Surpreendentemente recebi este mail… a mim parece-me muito! E deixa-me muito satisfeita!

Coisas que não compreendo #17

Porque é que os aselhas da estrada aparecem sempre que uma pessoa está com pressa?
Santa pachorra! Então quando acham por bem ir calmamente para a via da esquerda só para meter nojo (desculpem o termo, mas não conheço outro)… mereciam que lhes desse uma traulitada só para acordarem para a vida!

terça-feira, 8 de abril de 2014

Pensamento profundo #7


Adoro terças-feiras com sabor a sextas!

Ginásio by morning #37

Sim, continuo a portar-me bem! E pensava que ia entrar num período de acalmia no que a vergonhas respeita.

 
Basicamente já devo ter passado por tudo o que é possível, de tal forma que dei a volta a todas as alternativas e voltei aos primórdios das idas ao ginásio. Face a isso tenho uma informação a dar:

 
AQUELES ENCAIXES NAS BICICLETAS PARA COLOCAR AS GARRAFAS DE ÁGUA NÃO SÃO PARA LEVAR COM AS CHICLETS! OK???

 
(Que raio de porcos ignorantes pá!!!)

Pensamento profundo #6


Eu não gosto de ir ao ginásio… o que eu ADORO é poder durante uma hora ouvir música que dá me energia antes de enfrentar mais um dia de trabalho!

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Fez-me ficar a pensar


Aqui há dias, e porque vinha referido na revista Prevenir do mês de Abril, encontrei o blogue Café Canela Chocolate

Logo o primeiro post que li (ver aqui) falava sobre a idade ideal para ser mãe. A conjugação entre a vida profissional, pessoal e a adição da maternidade a esta equação da vida de uma mulher.

E aquilo que li fez-me ficar a pensar. Concordo com tudo o que li, compreendo que a maternidade nem seja uma opção a considerar por muitas mulheres, sei que existem muitas que vivem apenas com este objetivo.

Incluo-me no grupo das que querem que a maternidade faça parte da sua vida, sem ser este o único objetivo de vida.

Recordando… Primeiro foram os estudos, depois a conjugação destes com o 1.º emprego. Terminada a licenciatura, quando poderia ter feito outra opção decidi investir numa pós-graduação, na altura julgava que me iria abrir portas para trabalho nessa área, mas não aconteceu… Depois tentar ser boa naquilo que faço, acompanhar a evolução, a constante mudança e procurar novas oportunidades que também não se concretizaram. Em 2008 começou a crise, em 2010 casei, mais algum tempo para tentar melhorar a vida profissional… 2014 e tudo igual! Ou pior…

Isto tudo para dizer que ao ler o post daquele blogue fiquei a pensar… Será que adiei esta vontade por alguma coisa tangível, alguma coisa que identifique à primeira vista?

Estaria de facto em “pior” situação se optasse por ser mãe mais cedo e isso alteraria o curso da minha vida profissional? Da minha vida conjugal?

Uma vantagem, sem sombra de dúvida, é a maturidade. A perspetiva das coisas muda, há um novo estabelecimento de prioridades. O sacrifício da vida pessoal em prol da vida profissional, a certa altura deixa de fazer sentido? Ou passa a fazer ainda mais?
Faz ficar a pensar…

Coisas que não compreendo #16

E sinceramente pensava que era mito!

 Como é que ainda há pessoas a ir ao wc e a não lavar as mãos?
A sério?
A sério!

Constatado e verificado! Neste caso um homem… indo ao wc imagino que não possa deixar de tocar no material.

Há coisas que preferia não ver/saber.

domingo, 6 de abril de 2014

sábado, 5 de abril de 2014

Não podia deixar de partilhar

Tenho oficialmente os meus primeiros calos na mão causados pela utilização de equipamentos de musculação!

(Nada bonito, diga-se de passagem!)

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Ginásio by morning #36

Fullhouse meus amigos, fullhouse! E nem conto o que hoje me custou a sair do ninho…

 Estou completamente estafada, mas simultaneamente satisfeita com o percurso percorrido ao longo desta semana. Comecei com a Corrida do Mar no Domingo e foi sempre a andar por aí fora até hoje. Amanhã vou dar-me o merecido descanso.

 Dói-me o corpo, tenho consciência de músculos que nem sabia que existiam e ao mesmo tempo posso dizer que atingi o objetivo de frequência de treinos.

 Hoje para minha grande sorte foi um treino dos grandes! Optei apenas por não fazer a prensa (não sei se é mesmo assim que se chama!). Na última vez em que a utilizei os meus joelhos estalaram como foguetes em noite de S. João e ficaram um bocado doridos, por isso achei por bem não voltar a forçar hoje.

Numa fase em que muita coisa corre mal, e nunca pensei dizer isto na vida, o ginásio é um refúgio, é um sítio onde me vou sentindo concretizada, traçando objetivos (realistas) que vou alcançando aos poucos e poucos e me que me permite ganhar confiança em mim.

 Quanto tudo parece errado, um dia chego ao ginásio e consigo correr o último minuto a uma velocidade de 9,7Km/h… e aí só penso no sucesso, no esforço que implicou, e na alegria de o conseguir!

Vale mesmo a pena! Só não compreendo porque é que não aconteceu antes.

Quaresma, esta é para ti!

Rapaz, eu sei que fazes umas coisas engraçadas e até tens jeito para a bola! Mas a sorte protege os audazes, não os egocêntricos, narcisistas e egoístas! Humildade nunca fez mal a ninguém e por vezes parece-me esquecida por ti. Vê lá se atinas, ok?

 Assinado: Portista de corpo e alma que quer apenas que marques golos e nos dês vitórias como se não houvesse amanhã!

Inspira... expira... inspira...


quinta-feira, 3 de abril de 2014

Ginásio by morning #35

Decorrida a primeira semana desde que comecei o plano alimentar (e que tenho cumprido em cerca de 90%) hoje foi o dia de perguntar à balança se tinha valido de alguma coisa.

E valeu! Nesta semana de novos hábitos alimentares emagreci 1,7Kg. Ok, não é MUITO, mas já sei que não vai ser às boas por isso não vale a pena criar ilusões.

Isto faz com que desde o início do ano tenha perdido 2,8Kg e desde que começou esta brincadeira (no ano passado, não sei exatamente quando) tenha acumulado uma perda de 12,8Kg. E ainda faltam tantos… mas agora é altura de me felicitar pelo percurso difícil mas bom, muito bom, que já percorri.

Estes 12Kg traduzem-se numa maior mobilidade, sensação de bem-estar e sobretudo aumento da autoestima. As calças começam a ficar largas e constatação deste facto só me deixa contente, apesar do investimento em guarda-roupa que será necessário mas que ainda não quero/posso fazer porque quero continuar a escalar esta montanha.

Sim, há dias de desânimo, dias em que me apetece comer tudo, dias em que me apetece ficar na cama em vez de ir ao ginásio… mas depois há momentos como este em que olho para trás e vejo 12,8Kg queimados. Na minha realidade não é muito, mas não deixa de ser um orgulho. Agora tenho de mandar embora mais 12…

Posto isto lá fui para o ginásio com alento e motivação renovados. Estava lá e quase no final do treino pensei: “Hoje não vai haver nada a testemunhar, apenas um dia normal de treino!” Juro, que mal penso isto o meu telemóvel pumba, achou por bem esparramar-se no meio do chão… é isto, o que é que vou fazer?