Páginas

sábado, 30 de novembro de 2013

Falhei

Ontem quando cheguei a casa tive uma proposta irrecusável e acabei por não ir correr! Hoje  acordei com uma energia assustadora. Se não é para comer, que seja a correr.  Até libertar isto tudo que está acumulado cá dentro. s



sexta-feira, 29 de novembro de 2013

AC/DC - Highway to Hell



E esta vai ser a primeiríssima!

Isto passa

Peço desculpa pelo sentimentalismo do post anterior.
Logo, um treino acompanhado por música potente e isto passa.

É melhor assim

Por vezes quero tanto, tanto, tanto uma coisa que o melhor que tenho a fazer é pô-la um pouco de lado… Fica sempre ali recôndita na memória, mas fica.
Mais um ano a terminar e começo a fazer o balanço… mais um ano que passa e em que alguns planos não foram concretizados, objetivos não foram atingidos e aquela coisa volta a mostrar-se e preencher o pensamento.
Metas profissionais, metas pessoais que são uma vez mais adiadas. Umas não custam muito, outras custam demasiado.
É tempo de valorizar o que tenho, mas também há dores que se agravam…
Sei que (provavelmente) nunca vais ler estas linhas, estas palavras, mas também não tenho forma de comunicar contigo. Pelo menos desabafo.
Fazes-me muita falta… demasiada! Apesar da força e do esquecimento que tento exibir, o buraco no coração continua demasiado grande. Uma palavra tua, um abraço, um qualquer coisa faria com que parasse de sangrar…  
Quero tomar as decisões certas, fazer o correto. Por mim e por quem está comigo. E a cabeça às vezes trabalha demais. Às vezes gostava de ser mais impulsiva, mas todas as decisões são muito pensadas. Tenho medo, mas não o posso partilhar contigo como fazia em criança.
Mas tenho de carregar baterias de alguma forma, manter a imagem de força por aqueles que precisam de mim, apesar de às vezes me sentir destroçada por dentro.
A esperança de te voltar encontrar dá-me força para continuar a lutar… Mais uma fichinha é mais uma voltinha e lá continuo eu pronta para o carrossel da vida!

Menos um bocadinho de onda

A vontade é tanta que para mim amanhã já é Dezembro...
Novembro não fiques chateado comigo... amanhã ainda é teu!

Natal cá por casa #1

Eu: RP, este fim-de-semana quero fazer a árvore de Natal!
Ele: Ok, e fazemos!
Eu: Mas eu quero fazer uma coisa diferente, estou aqui com umas ideias...
Ele: Ai é? E serão boas ideias?
Eu: São ótimas ideias! Agora tens de prometer que não me vais chagar a cabeça até não poder mais enquanto concretizar as ideias que tenho... ou tentar!
Ele: Posso jogar GTA enquanto tratas disso?
Eu: Podes! Desde que não critiques o que estou a fazer!
Ele: Prometo que não digo nada! Fico caladinho.

Onda

É agora que vamos começar a sentir esta onda natalícia.
Último dia de Novembro e amanhã começa o mês do Natal.
Apesar de um ano difícil para (quase) todos, chega o Dezembro e é altura de começar a pensar no calor da família, no aconchego dos amigos.
Altura de partilhar momentos de sorriso fácil e sincero.
Árvore de Natal para montar e decorar, decoração mais ou menos alusiva à época. Mimar os que nos são próximos e pensar nos que não o são assim tanto.
Sobretudo é altura de sermos mais benevolentes, mais atenciosos, mais preocupados com os outros. Pararmos de olhar para nós e pensarmos um pouco nos outros, nos que nos preenchem e nos que precisam de alguma coisa que podemos dar. E mais ou menos todos podemos dar, até porque muitos querem apenas uma palavra amiga.
Venha essa onda bem grande que nos permita sorrir e sentir o coração cheio por termos pessoas tão especiais ao nosso lado, por sermos sortudos, por termos a vida que temos.
 
Da minha parte tenciono mostrar o máximo possível por estes lados... espera-me um fim-de-semana de aventura... muitas ideias! Agora vamos lá ver se as consigo concretizar!
 
 

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Dificuldades de ser mulher #3

Quando queremos fazer uma coisa temos de proporcionar a oportunidade de o marido a sugerir. Assim parece que a ideia é dele, mas na realidade estamos a fazer o que queremos!
Mas atenção que isto às vezes dá uma trabalheira do caneco...
Às vezes até é preciso fazemos um ar enfastiado, do género: só estou a fazer isto por ser tua vontade!

Pequena lição

"Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário. 
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas. 
Se achar que precisa voltar, volte! 
Se perceber que precisa seguir, siga! 
Se estiver tudo errado, comece novamente. 
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a. 
Se perder um amor, não se perca! 
Se o achar, segure-o!"
(Fernando Pessoa)

É tão bom…

Fazer os outros felizes! É das coisas que me dá mais prazer…
- Uma frase dita sem esse intuito que provoca uma gargalhada na outra pessoa. Acho que sempre que me esforço não consigo fazer ninguém rir e depois quando digo coisas até com alguma seriedade lá vem o som que adoro. No limite sinto-me o bobo da corte sem fazer nada por isso.
- Um gesto inesperado, uma lembrança que alguém julgava esquecida… e um sorriso de encher o coração. Tenho muitas vezes esta sensação quando abraço a minha mãe. Acho que nunca está à espera e fica sempre agradavelmente surpreendida. E no caso do meu pai, por exemplo,  acho que todos os anos em que chego lá a casa de bolo e prenda em riste para comemorar mais um ano de vida de uma das pessoas mais importantes para mim ele fica a olhar para mim como quem diz "nem acredito que voltaste a lembrar-te!".
- Quando faço uma maquilhagem a uma amiga (coisa que já não faço há algum tempo) e a vejo no final a olhar para o espelho e a sentir-se bonita.
- Compreender as preocupações dos outros, independentemente de as partilhar. Principalmente para nós mulheres, ouvir alguém dizer compreendo aquilo que sentes,  o que estás a passar, é quase meio caminho andado para enfrentar essas mesmas preocupações com outra força.
- Elogiar os outros. Aqui acho que houve uma melhoria recente. Na prática, tal como o meu pai, sempre tive mais tendência para elogiar ao contrário… ??? Ou seja, eu digo “És mesmo feio!” Quando sinto: “Para mim não há mais bonito!” Digo: “Não fazes mais que a tua obrigação!” Quando sinto: “Estou orgulhosa de ti e reconheço o teu esforço e o teu mérito!” Percebi que gosto quando as pessoas me dão valor, reconhecem o meu esforço e que mo digam diretamente, não que mo digam ao contrário. E tenho tentado faze-lo aos outros…
Podia continuar a lista das pequenas (grandes) coisas que fazemos e que fazem os outros felizes, mas no final de contas isto é tudo egoísmo. Porque a satisfação que tiro de fazer os outros felizes é mais do que aquilo que posso pedir.
E quando deixamos uma senhora velhinha atravessar a rua pela passadeira e ela fica tão feliz que começa a mandar beijinhos em jeito de agradecimento… tão bom!

Sem dúvida que está

Quando é que constato que está de facto MUITO frio?
Quando à noite chego à cama cheia de vontade de continuar a ler aquele livro e não o faço porque sei que as mãos vão ficar geladas e vou começar a tremer de frio!
Valha-nos os lençois térmicos que nestes dias sabem tão bem...

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Cake design #16 - 60º Aniversário da Sra. Professora

Esta encomenda foi para uma mãe, uma professora primária, uma aficionada em animais (mais especificamente cães e gatos),…
Na tentativa de conjugar estas caraterísticas num bolo, o resultado final foi este:








O bolo era de chocolate e o recheio era frutos silvestres e natas.
A maçã foi uma big experiência… massa do bolo envolvida em brilho de chocolate (para ficar com uma consistência moldável) e cobertura de chocolate de morango. Quase que levava uma trica de decoração (foi por uma unha negra que consegui resistir!), mas estou com curiosidade para saber se agradou a quem provou! J
Obrigada JC! (não, não é Jesus Cristo!) J

Surpresa?

Os caminhos de hoje levaram-me até à seguinte declaração:
"Em geral, na natureza humana existe mais tolice do que sabedoria." (Francis Bacon)

Dificuldades de ser mulher #2

Tenho muitas vezes a sensação de que quando saio do trabalho o meu dia ainda vai a meio e para o meu homem acaba no momento em que põe o pé fora da empresa.

Treino #13

Mãe diz: Hoje não vás correr, está muito frio, até é perigoso!
Marido diz: Tens a certeza de que queres ir com o frio que está?
 
Pela experiência que tenho de idas a ginásio, sei que o mal está em não fazer a primeira vez aquilo que está planeado (exceto quando se tratam de motivos de força maior). Sei que não ir a primeira vez era abrir o precedente para quando desse por ela, já não correr há 15 dias ou mais.
Por isso, lá me meti dentro das calças de desporto e ténis e fiz-me à estrada...
 
Distância: 4,5Km
Tempo: 34:48
 
E mais uma vez não existe palavras para descrever a sensação de dever cumprido. É um bem estar muito grande que se transpõe para tudo o resto.
 
Ainda para mais, desta vez tive direito a um estímulo positivo.
Sei que há quem não goste, mas quando passam por mim e me dão uma forcinha (Muito bem! Não desistas!) fico com outra vontade. Por isso, quem passar por mim está à vontade para dizer estas coisas. É quase garantido um sorriso até ao fim do treino.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Ser líder

Existem pessoas que têm mais jeito para mandar, outras menos! Pessoalmente acho que não tenho grande jeito para mandar, exceto em casa, quando começo:
RP chega-me aquilo, pf.
RP passa-me aquilo, pf.
Põe só isto ali, pf.
Mas existe uma grande diferença entre ser líder e saber mandar. Mandar, acho que toda a gente manda, ser líder alguns conseguem, mas muito poucos são bons líderes.
O meu pai costuma dizer: Faz mais um bom mandador do que dez trabalhadores. E por bom mandador, acho que quer dizer líder.
Um chefe, alguém que está simplesmente acima de outra pessoa na hierarquia empresarial, é aquele a quem as pessoas fazem aquilo que ele mandar, simplesmente porque a hierarquia assim o dita.
Um bom líder, tem subordinados que fazem o que ele precisa, com gosto, da melhor forma que sabem. Querem deixar o seu líder com orgulho da sua equipa. São proactivos, atentos e dedicados.
Um verdadeiro líder é assertivo, indica as direções a tomar, não percorre o mesmo caminho que os outros já percorreram só para verificar se os outros cometem erros.
Não procura os erros dos outros quase como forma de satisfação pessoal. Um líder vê os erros como forma de aprendizagem. Não me refiro a erros por negligência, mas daqueles que têm de acontecer porque as pessoas são humanas e porque ninguém é infalível.
Um líder sabe chamar a atenção quando necessário e reconhecer o mérito quando é devido. Não só tem em atenção a parte economicista da coisa, mas também a parte humana.
Um líder é alguém que mete a mão na massa não só quando é preciso, mas também para se aproximar daqueles que estão sob a sua alçada.
Para mim isto é um líder. De que é que valem 10 ou 100 trabalhadores completamente desmotivados, com receio de serem motivo de chacota, ridicularizados, muitas vezes sem motivo? A possibilidade de rebaixamento é desmotivadora para qualquer um e passar despercebido é o lema diário.
Um bom mandador consegue com recursos, muitas vezes mais limitados, fazer mais. Porque não pensa em mandar, não pensa em exibir a sua superioridade. Pensa sim em ajudar para atingir um fim comum.

Faz tudo

É impressionante a tendência que as pessoas têm para confundir uma contabilista com a faz tudo lá da empresa.
Temos portanto a contabilidade propriamente dita, aconselhamento financeiro e fiscal,… e entre outras, tradução!
Para além de ter de perceber de Sistema de Normalização Contabilística, Código de IRC, Código de IRS, Código do IVA, Código do raio que o parta, Legislação laboral, comercial ,…, tenho também de ser poliglota.
Acho sublime a forma como me enviam documentos em inglês, espanhol, alemão e até mais recentemente italiano, para eu ler, interpretar e dar instruções acerca do que é pretendido.
Já deve ter estado mais longe o dia em que me pedem aconselhamento acerca de outros assuntos variados, como psicológico, matrimonial ou até quem sabe de lides domésticas.
Há dias em que ter esta profissão é mesmo muito difícil. E não é pelo trabalho em si!

Treino #12

No domingo decidi fazer um treino ao final do dia.
Visita aos pais do costume e a diferença foi que em vez de ir de carro até à porta de casa, fiquei o mais distante possível e fiz o resto do caminho a pé.
 
Distância: +/- 3,5Km (a aplicação mostrou 4,21Km, mas eu sei que não é verdade)
Tempo: 25:05
 
Dever cumprido mais uma vez. Fora a sensação de quase ter um ataque cardíaco depois, correu muito bem.
Cada vez tenho mais certeza de que o motivo porque não comecei a fazer isto antes foi falta de vontade. Nunca me tinha passado pela cabeça ir a algum lado e não voltar de carro. Esta pequena mudança permitiu-me fazer desporto sem ter de alterar em nada o resto dos meus planos. Pequenas coisas que fazem uma grande diferença.

Decisions, decisions...

Hoje é o dia em que Parlamento aprova o Orçamento de Estado de 2014.
Vamos lá ver quanto mais nos vão roubar para o ano...

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Sempre a aprender

Jantar de primos… éramos 12 à mesa e já alguém dizia: Poucos mas bons!
Ambiente animado num restaurante em Castelo de Neiva, perto dos pescadores.
Pessoas com quem gosto muito de estar, até porque ficam sempre momentos para relembrar. Bem regado por garrafinhas de vinho verde que iam e vinham como as ondas do mar… tal como prometido.
O que também estava prometido: uma mariscada de encher a barriga!
Obtido: é demasiada emoção e vale mais uma “boa” imagem do que mil palavras:
Sim, churrasco!!!
 
Mas as memórias não ficam por aqui. Numa das paragens ao longo do jantar alguém avisa que está a chegar um barco de uma pesca acabada de fazer.
Eis que os mais curiosos (como eu) saltam da cadeira e vão ver a chegada desses homens que têm um trabalho que só pode ser feito pelo amor ao mar e à profissão, homens que todos os dias arriscam as suas vidas para nos porem peixinho do bom na mesa. E as suas mulheres que aguardam em terra, sempre com o coração apertado, sempre à espera de ver aquela luz cada vez mais próxima até terem certeza de que os seus homens estão em segurança.
Enquanto puxavam o barco do mar, através do areal até ao local onde iria ficar até à saída seguinte fomos metendo conversa com a senhora que entretanto iria ser a vendedora… Entre umas gargalhadas e algumas c@r@lh@d@s ainda deu para os homens darem um empurrão na arrumação do barco (Paula Cristina de nome).
Assim que vi cestos com camarão e lavagantes acabados de pescar a minha boca salivou e ideias começaram a florescer… logo veio do dono do restaurante e afinfou-se ao ouro do mar! Praga rogada ao homem e vimos que mais traziam aqueles cestos… assim que o homem começa a sacar de congros ainda vivos (que quase me atacavam) um ou dois gritos histéricos que me permitem sempre ser o bobo da corte!
Depois em maior quantidade… polvos de vários tamanhos! Acabamos por vir todos de polvo em riste para delícia de quem fosse partilhar este petisco!
Adorei ver a forma como isto é feito… a chegada, arrumação, ver o que o mar permitiu vir para terra, a separação do peixe por tamanhos… Nunca tinha visto e ficou a experiência para guardar na caixinha das memórias.
Sempre tive muito respeito por quem arrisca a vida desta forma, mas depois desta experiência ainda mais tenho… até porque às 6horas do dia seguinte iam voltar a tentar a sorte e quem vive assim merece muito respeito!



 Este peixe aqui ao lado do camarão tem um nome que não me é permitido escrerver, tendo em conta a seriedade deste blog! :P Só digo que se chama mais ou menos assim:
Pi**s de rei!

Dificuldades de ser mulher #1

Sempre que temos um jantar com amigos pergunta: “Quanto tempo te demoras a preparar?” Resposta: “Não sei bem, 1 hora mais coisa menos coisa!”
(Vontade de responder:
“RAISPARTA RAPAZ! EXPERIMENTA TOMAR BANHO EM QUE TENS DE USAR 10 PRODUTOS DIFERENTES, DEPOIS BESUNTAR-TE COM MAIS 10… ESCOLHER UMA ROUPA QUE NÃO TE ENVERGONHE NEM FIQUE COM FIGURINHA DE SACO DE BATATAS, PINTAR A CARA QUAL MIGUEL ÂNGELO PARA DISFARÇAR TODAS AS ESPINHAS (que decidiram aparecer naquele dia) E IMPERFEIÇÕES E SIMULTANEAMENTE NÃO PARECER O BATATINHA E AINDA SAIR DE CASA NAQUELE QUE TENTAS QUE SEJA O TEU MELHOR!”)
Versão homem: calças de ganga, botas, t-shirt, camisa e casaco.
E eu fico com uma dor de coto…

É impressão minha

ou hoje está um calor muito estranho!?
Acho que a camadinha de gelo que tinha no carro à minha espera de manhã é prova de que não é impressão minha.

Treino #11

Sexta feira quando cheguei a casa, a única vontade que tinha era de me atirar para o sofá e não sair mais de lá! O diabinho e anjinho interiores entraram em discussão e o facto de no Sábado ir cometer um grande pecado fez com que decidisse calçar os ténis e por os pés à estrada.
Custou muito, mas valeu a pena o esforço pela sensação de dever cumprido!
Distância: 3,02Km
Tempo: 23:41
 

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Saudades de peixe frito?

É  uma questão de virem aqui ao prédio que a vizinha do rés do chão faz o favor de os presentear com este maravilhoso aroma várias vezes por semana. Isto é o que se chama um cheirinho de encher a barriga! q

Chá das cinco

Atentem a isto:
 
 
Que saudades de passar um serão de chávena de chá numa mão, um romance na outra e uma manta em cima das pernas.
Será que vai ser possível este fim-de-semana? Não me parece... mas posso sempre sonhar!

Gula

Já aqui falei de 2 pecados mortais.
Amanhã vai ser dia de me dedicar ao terceiro, o mais difícil de resistir, a Gula! E não consigo pensar noutra coisa.

Mas antes prometo puxar pelo cabedal para tentar minorar os efeitos negativos deste pecado.

Agora só queria que o fim-de-semana chegasse depressinha! Estou cheia de vontade!

Pedro Abrunhosa - 'Eu Estou Aqui'



Esta é para o Cristiano Ronaldo...

Crónicas da Sala de Espera

O título, um livro!
O autor, um lutador – Pedro Beça Múrias
Nos últimos dias tive oportunidade de folhear as páginas deste livro. São crónicas de um jornalista, feitas para a Rádio Clube Português. Estas crónicas foram escritas durante uma guerra, a guerra contra uma doença que cada vez faz mais parte dos nossos dias.
 


Ocorreu-me a ideia de selecionar algumas frases que considerei mais marcantes ou mais educativas. A certa altura estavam a ser demasiadas seleções porque o livro no seu conjunto são lições que devemos guardar na memória e devemos usar no nosso dia-a-dia. De qualquer forma fica aqui uma pequena seleção:
“Que é um tumor no recto ao pé de uma vida fútil? Bem… o tumor trata-se.”
“Se tem um problema por resolver com alguém…
Chegue a casa e desate aos beijos a essa pessoa.
O seu mundo precisa dessa energia.
E, se for para chorar, que seja de tanto rir!”
“Diz-me ele: “Pedro, nunca deixes de ter vontade de rir. Mesmo com as piores coisas a acontecerem à tua volta, não percas esse teu lado, esse olhar bem-humorado que deitas à vida.””
“Mas, realmente, onde começa a luta é quando tiramos a cabeça da areia.”
E podia continuar com muitos mais exemplos...
Este jornalista, esta pessoa marcou a vida de muitos, sobretudo os ouvintes da rádio para a qual trabalhava. Mas estas páginas de linguagem acessível e partilha ínitima, são lições que todos devemos aprender.
Encontrei na internet informação acerca da morte de Pedro Beça Múrias, pouco tempo depois da edição deste livro. A sua morte esteve relacionada com um ataque cardíaco fulminante. A vida pregou-lhe outra partida.
Fica a lembrança de alguém que lutou, levantou os braços e ultrapassou um caminho muito complicado. Pessoas assim não podem/devem cair no esquecimento.
“Merda para mim, querido Pedro. Afinal, razão tinhas. O mundo existe mesmo para ser mudado. Provaste-o com a tua vida.” (Luís Osório, Jornal Sol)

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

E aquelas pessoas

Que em ambiente laboral adoram mostrar que mandam?
E se estiverem presentes pessoas que não fazem parte da estrutura organizacional da empresa isto cresce exponencialmente… dá-se ordens a quem se está sob a alçada e a quem não tem nada a ver com o assunto! Aproveita-se este protagonismo para dar um show triste… muito triste!
E a outra pessoa como tem mais vergonha que o péssimo ordenante fecha-se em copas e a sua resposta resume-se ao silêncio.
Já toda a gente sabe que existem muitos chefes que são intragáveis, mas caso sejam nossos chefes, e desde que não haja falta de educação, por vezes é preciso engolir sapos e deixar a carroça andar. Agora malta que não legitimidade nenhuma para mandar?
Esta mania dos putos mimados armados em donos e senhores tira-me do sério!

Lugar no céu

Uso muitas vezes expressões do género: “Eu devo ter uma moradia bem grande com piscina e tudo no céu!”

Geralmente acontece quando o RP me chateia os neurónios, os meus pais se lembram de ma azucrinar a cabecinha, os clientes me chagam até mais não…
Ora, a pensar nisso, a Cruz Vermelha Portuguesa juntamente com o CustoJusto.pt (site que todos conhecemos para fazer compras…) criaram uma campanha de solidariedade que permite não só falar, mas também concretizar a aquisição desse lugar no céu!


Aqui há dias, ao sair do carro encontrei umas moedas no chão que totalizavam 8,20€. Como não faço ideia de quem era o dinheiro, mas também não era meu, guardei-o religiosamente para “gastar” em alguma campanha ou fazer algum donativo.
Acho que encontrei o destino! Não só ajudo uma associação de apoio a famílias carenciadas, como também faço um investimento… adquiro a minha residência da eternidade.



Esta campanha decorrer de 20 de Novembro a 20 de Dezembro.

 Vizinhos procuram-se!


 

Treino 10

Depois de na 3.ª feira passar a primeira parte do jogo Suécia-Portugal a dançar em frente à televisão na companhia do Dance Party Hits, ontem foi mais um dia de corrida!
 
E finalmente sim, posso dizer que seja corrida... comecei e acabei a correr sem paragens! Corri bem devagar porque depois começa a dor de burro, a sensação de falta de ar, dores nos músculos todos,... mas consegui!
 
Desta vez o aplicação Nike Running não foi fofinha e deu-me o resultado certo:
Distância: 3,02Km
Tempo: 25:39
 
Próximo passo: aumentar à distância!
 
E tentar que as dores musculares aliviem até ao próximo treino, porque me sinto toda partidinha!
 
Vantagem de correr com este frio: Começo com as mãos geladas e passado nem um kilómetro estou a ferver... quentinhas, quentinhas!

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Ok, é quase a mesma coisa…

Visão feminina:

- Pões 3 porcarias a despertar todos os dias de manhã para acordares
- Meia hora antes da hora que te queres levantar

- Em toques irritantes de apetecer pegar nas coisas e espeta-las contra a parede…

 
Visão masculina:

- Ponho duas porcarias a despertar
- Quinze minutos antes da hora

- Com toques perfeitamente aceitáveis


Visão feminina 2:
- Mas parecem 3…

- Pões para 15 minutos antes mas só te levantas 15 minutos depois da hora que defines
- Gostos não se discutem

 
E tudo isto porque senhor meu marido achou por bem apontar o facto de eu por 1 único aparelho a despertar 1 única vez antes de me levantar para ir correr. Acordo mais cedo e portanto queixa-se de não o deixar dormir…

MULHER ATURA MUITO!

Que mal agradecida!

E obrigada a todos os anjos e santos que ouviram a minha oração...

Aí vamos nós!

Uma primeira parte em que me tentei manter desligada. A cabeça ocupada com outras preocupações e a distração como defesa. Não era uma questão de não acreditar, apenas medo de ver!
 
No início da segunda parte dediquei-me... passado pouco tempo a Suécia deu-me uma tristeza e eu fiquei com vontade de chorar mas ainda com esperança!
 
Algum tempo depois o Ronaldo começou a dar corda à sapatilha e encheu o meu coração de alegria.
 
Obrigada Seleção de Portugal, obrigada a todos os jogadores (com uma atençãozinha especial para o Bruno Alves e João Moutinho), obrigada a todos os portugueses que estavam no estádio e todos os que torciam pela nossa equipa...
 
Brasil, aí vamos nós!

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Preguiça

Li em vários blogues, ouvi várias opiniões… os gordos são uns preguiçosos!
Não querem fazer nada e não fazem nada porque não querem (perdão pela redundância)!
E eu revoltava-me, apetecia-me gritar às pessoas o que é que elas sabiam? Já tinham passado por isso?
Sinto-me no direito de falar sobre a obesidade porque a vivo na primeira pessoa. E digo que são diversos os motivos que levam a este fim.
No meu caso foi falta de disciplina alimentar associada à compensação que faço face aos problemas, stress,…
Nos tempos da faculdade lembro-me de ir ao McDonalds e comer 2 hambúrgueres enquanto as outras pessoas todas comiam 1 e achava normal porque eu era maior, porque já não comia há muitas horas, porque ainda tinha uma longa noite pela frente.
Lembro-me de o meu irmão (e acredito, muitas mais pessoas) ficar pasmado com a quantidade de pizza que era capaz de aviar numa refeição… durante anos falou-me desse acontecimento.
Mas o que é que as pessoas sabiam? Trabalhava de dia, estudava à noite, tinha problemas… com a família, com o namorido, com o trabalho,… E achava que tudo isso justificava o facto de comer exageradamente. Havia milhares de pessoas na mesma situação que eu? Havia, mas para mim era justo compensar tudo isso com a comida.
Hoje nem eu compreendo como comia tudo o que comia!
Depois deixou de ser tanto a quantidade e passou a ser mais a frequência. Quando me enervava no trabalho ia um croissant, um chocolate, ou as duas coisas (porque não)!
Ouvia coisas com que não concordava ou achava injustas e calava. Sentia que o tratamento que tinha por alguém não era o correto e nada como uma pizza ou um bolinho para calcetar bem assunto.
Guardava tudo dentro de mim, ouvia e nada dizia, e com aqueles pãezinhos com manteiga disponíveis na confeitaria por baixo do escritório que eu adorava, esquecia… pelo menos momentaneamente.
E já me estou a desviar muito do assunto…
Preguiça porquê?
A revolta que sentia quando ouvia chamarem-me (não a mim especificamente, mas servia-me o carapuço) preguiçosa foi substituída por compreensão.
Há dias a falar com o RP (depois de um treino) disse-lhe: Lembraste da quantidade de vezes que ficamos em casa, sentados no sofá a ver televisão até termos fome, comermos como alardos e voltarmos para o sofá?
Hoje, acabamos de correr, estamos todos rotos, mas ficas mais satisfeito assim, ou se tivesses ficado em casa?
Chegamos à conclusão que mais vale estarmos cansados e satisfeitos, do que descansados e frustrados.
Sim, fui preguiçosa muitas vezes e com certeza vou ser mais algumas. Apenas não quero que seja o hábito, mas sim a exceção. Quero deixar de ser fraca e fazer por mim o que mais ninguém pode fazer.
E quando me sentir desmoralizar tenho de vir aqui recordar os sentimentos da altura em que escrevi estas linhas.

Má ideia

Apesar dos sacrifícios, em que alguns acabam por ser prazeres, dos últimos tempos, mais uma semana em que a balança se recusou a andar para trás! Nem 100g... népia! Exatamente a mesma coisa!
 
Na tentativa de fazer alguma coisa como deve ser... tentar inovar para o meu corpo reagir, hoje o meu pequeno almoço foi uma das opções que utilizaria para beber antes da corrida matinal.
 
Assim, no copo do liquidifcador pus:
- 1/4 papaia;
- Ananás (um pedaço);
- 1 maçã;
- 1 bocadinho de gengibre;
- Chá de limão para tornar a mistura mais fina.
 
E qual foi a má ideia? Eu digo... o gengibre, pois claro!
Vou tentar pô-lo mais vezes, porque pelo que me informei faz bem, mas aquela porra sabe a medicamento... Ao cortar, o cheiro até é bastante agradável, mas depois quando chega a hora de meter aquilo no bucho... não cheira, engole o mais depressa possível!
O problema é que é daqueles sabores que permanece na língua! Mau...
Foi má ideia... mas vou ter de ter esta má ideia mais algumas vezes. Talvez com sumo de limão disfarce mais.
Vou informando as minhas experiências!

Treino #9

Entre o fim-de-semana dado à preguiça no que a exercício físico diz respeito, e umas manhãs MUITO frias, o RP disse-me que se só fosse correr à noite me faria companhia. E como das melhores coisas que pode haver é companhia, lá esperei pelo final do dia para queimar alguns excessos do fim-de-semana.
 
Estava um frio do caraças! Até os ossinhos me doiam, mas foi só até começar a aquecer.
23:22 a bombar...
Terminado o treino cheguei à conclusão que a aplicação Nike Running é uma fofinha, queriducha, que me resultou em 4,21Km percorridos, quando pelas minhas contas deve ter sido cerca de 3km.
 
Contrariamente ao que aconteceu da última vez o RP começou logo por correr a um ritmo bem superior ao meu e depois foi engraçado...
Eu mantive-me sempre a correr ao mesmo ritmo (lento)... então quando ele corria ultrapassava-me e quando ia a passo eu ultrapassava-o. E chegamos ao final mais ou menos ao mesmo tempo.
 
Não sei qual dos dois tipos de treino será melhor para emagrecer, mas o meu objetivo é manter-me a correr o máximo de tempo possível mesmo que a um ritmo baixo mas constante, e tento mais velocidade na reta final. Se começar logo a matar depois sinto mesmo que vou morrer... fico de rastos muito depressa.
 
Balanço final: Muito positivo!!! Adorei a companhia e consegui correr quase o caminho todo (só fiz uma paragem depois de uma corrida mais rápida).
 
Coisa estranha: Pela primeira vez fiquei espalmada... Toda dorida... mas é muito bom!

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Jantar romântico 3/3

Ora que chegamos ao cume da montanha, ao busílis da questão, à avelã do Ferrero Rocher… a sobremesa:
Petit Gateaux com carpaccio de ananás e nata azeda
Para quem aprecia as coisas boas da vida, o congelador lá de casa deve sempre conter uma embalagem de petit gateaux. Este pequeno/grande pecado na forma de queque de chocolate que depois de alguns segundos no micro-ondas se transforma numa variação entre bolo de chocolate e chocolate derretido faz-nos ficar a salivar só de pensar.
Costumo comprar no Lidl o pedaço de céu acima referido, mas por indicação do homemsemblogue parti à procura de uma marca específica, uma marca portuguesa, com um petit gateaux eleito sabor do ano.
Contactei com a empresa Primus e foram super disponíveis e simpáticos. Indicaram como destino certo para aquisição desta iguaria o supermercado El Corte Inglês. E como bem mandada que sou lá fui de propósito para tirar as teimas! E valeu a pena!


Aventuras à parte, os ingredientes para esta combinação perfeita são:
- Petit Gateaux
- Ananás
- Natas
- Açúcar e sumo de limão q.b.
Cortar o ananás em carpaccio e reservar.
Bater as natas com um pouco de açúcar. Assim que estiverem levantadas juntar um pouco de sumo de limão (a gosto).
Levar os petit gateaux ao forno ou ao micro-ondas de acordo com as instruções da embalagem.
Juntar o ananás, as natas e o petit gateaux num prato que promete uma viagem ao paraíso.
 
É para lá de bom! Uma coisa tão simples, não dá trabalho nenhum e tão deliciosa! Fiquei fã.
E como pessoa que não bebe bebidas alcoólicas e que achou por bem beber vinho, acabei a refeição com um calor na cara, um peso nos olhos e um complicador na língua que gerou umas belas dumas gargalhadas. Tão bom…
Moral da história:
Pontualmente façam coisas destas, surpreendam quem mais gostam e simplesmente reservem algum tempo para estar com aquela pessoa.
Em relações de grande duração é muito fácil esquecermo-nos destes pequenos prazeres, mas cada vez que os relembramos pensamos que temos de repetir. Não amanhã, nem para a semana, ou talvez sim, porque é sempre o momento certo para dizermos à pessoa que amamos que queremos estar com ela.

Anselmo Ralph




Tive oportunidade de ouvir a passagem de Anselmo Ralph pela RFM. A minha esteticista já me falou nele e volta e meia ouço este nome aqui e ali…
O rapaz parece ser simpático a até tem umas músicas engraçadas (para mim, poucas). Apesar do grande êxito de “Não me toca”, a música “Dois” agrada-me bem mais.
Mas o que interessa é que está a fazer um verdadeiro furor em Portugal e acho que não há ninguém que não saiba quem ele é. E a quem é que ele tem de agradecer? A quem?
Ora, pois claro, à Fanny! Moça que muitos criticam, num programa que todos criticam de uma forma de outra, a verdade é que bastou a moça dizer que o adorava, ele cantar uma música, e entrou diretamente para o top das preferências de muitos portugas.
Por isso Anselmo, não te esqueças de quem te fez feliz! Quem te proporcionou todo o protagonismo que atualmente tens neste país pouco aberto a novos talentos (pelo menos na minha opinião).
Estar no local certo à hora certa e tudo se proporciona!

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Oração

A todos os anjos e santos, peço que nesta sexta-feira, pelas 19h45m (com alguma margem de manobra, precisamente até 85 minutos depois) exerçam todo o vosso poder para o nosso Portugal conseguir vencer à Suécia.
Peço que ajudem a Seleção Portuguesa de Futebol a aproveitar esta última oportunidade de se qualificar para o Mundial de 2014 (a realizar-se num país que tanto tem a ver connosco), na primeira mão dos play-offs.
Please, please, please...

Jantar romântico 2/3

Jantar romântico de valor, como deve ser, inclui sempre um camarão e/ou amêijoa e/ou sapateira e/ou tantas outras coisas que adoro…
E como era o dia da azeitona o prato principal sugerido é:
Macarronete (com azeitona) com amêijoas e camarão
Mais um prato simples, decidido nos corredores do supermercado. Olhei para o camarão, ele olhou para mim e pensei: vou-te comer! E comi, nesta massa que levou os seguintes ingredientes:
- Macarronete com azeitona (usei da Melaneza - muito boa!)
- Amêijoas (da costa algarvia, como manda a sapatilha! :P)
- Camarão (comprei já cozido, descasquei e cortei longitudinalmente)


- Alho picado a gosto
- Sal, pimenta, piri-piri, azeite, manteiga q.b.
- Salsa e camarão para decorar
Começar por cozer a massa em água, sal e um pouco de manteiga. Quando terminar a cozedura, escorrer e conservar.
Numa frigideira aquecer o azeite e o alho picado. Juntar a amêijoa e temperar com pimenta e piri-piri.
 
Quando começar a abrir, juntar o camarão.
No tacho onde foi cozida a massa pôr um fio de azeite. Juntar a massa cozida e o conteúdo da frigideira. Deixar cozinhar uns 5-10 minutos e está pronto a empratar.
 
Acompanhei com duas fatias de pão de alho, daqueles que se compram em qualquer supermercado, vão ao forno uns minutos e estão prontos a serem devorados.

 

Que sina a minha!

Todos os dias passar em frente a uma escola primária no caminho para o trabalho.
Todos os dias me apetecer parar o carro e começar a berrar com aqueles paizinhos todos que ADORAM parar mesmo em frente à porta da escola para deixar os seus rebentos, independentemente de quantos carros já lá estejam a fazer o mesmo. Independentemente de quantos carros estão em fila para passar. Não interessa se criam uma, duas ou, no cúmulo dos cúmulos, TRÊS filas de carros, que simplesmente impedem de circular quem não tem nada a ver com o assunto! COMO EU…
Civismo  que cedo começam a ensinar aos filhos. Desde pequenino é que se torce o pepino! E por isso são importantes estas coisas:
“Filho, é assim, quando precisas de fazer uma coisa não penses em ninguém, o mundo todo que pare para te servir, porque é esse o teu direito!”
“Sim, eu até podia parar o carro, 20, 30, 50m à frente, mas não, tu és rei e senhor do mundo, quer dizer, tu e eu, porque também não estou para me cansar. E estes carros que volta e meia apitam estão simplesmente a festejar a tua aparição…”
“Passadeiras? Paragens de autocarro? Isso é para os fracos! O meio da estrada é para aquilo que tu e eu precisamos, não para os carros passarem…”
E nos dias em que presumo haver visita de estudo??? É respirar fundo e apreciar o festival! Sim, apreciar, porque passar depressinha por lá está fora de questão!
Não percebo, talvez um dia em que passe pelo mesmo perceba, mas acho que não.

Treino #8

Primeira utilização da aplicação Nike Running e fiquei bastante satifeita... Lá o senhor vai informando à media que alcanço 1Km (coisa que ocorre com pouca frequência em cada treino) e permite-me ter melhor noção do que estou a fazer.
 
Só tenho pena porque a informação que fornece no fim do treino é menor que a do Endomondo, mas satisfaz completamente as necessidades desta iniciada nestas andanças. E quando damos um passo em frente não vale a pena olhar para trás. Funeral do Endomondo feito e luto ultrapassado.
 
Resultado numa fase em que começo a desmoralizar porque não vejo qualquer melhoria...
 
Distância percorrida: 2.71Km
Tempo: 24:29
Velocidade: 9'01''/Km
 
Vai ser este fim-de-semana que vou ultrapassar a barreira...
 

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Inveja

Se fosse para enumerar os defeitos que tenho, apresentava uma longa lista, mas não é o caso.
Aqui vou “falar” sobre uma coisa que gosto em mim.
E que coisa será essa? Sem demoras ou suspenses aqui vai:
O facto de nunca (nunca é a palavra chave) desejar que alguém não tivesse uma coisa que tem.
What???
Eu explico. Inveja, é do que falo, um dos 7 pecados mortais, que por definição é:
“uma vontade frustrada de possuir os atributos ou qualidades de um outro ser, pois aquele que deseja tais virtudes é incapaz de alcançá-la, seja pela incompetência e limitação física, seja pela intelectual.”
Ora bem, muitas vezes digo, sobretudo a título de brincadeira digo “ai que inveja!” E acho que é mesmo isso que sinto, sobretudo de quase toda a gente que passa por mim na rua acompanhada por um cão; ou daqueles atos de romantismo que vejo alguns homens a terem perante a sua cara metade; de uma ou outra viagem e até de alguns bens materiais…
Mas felizmente não sinto descontentamento por a outra pessoa os ter! Só porque não posso ter um cão lindo e grandão que pouse o focinho no meu colo para pedir mimos, não quero, não devo, não posso desejar que as outras pessoas também não tenham.
Triste é quando vejo pessoas que não são assim. Aquelas pessoas que quando veem alguém com alguma coisa têm logo de ir comprar melhor/maior, que quando uma pessoa mostra alguma coisa com orgulho por a ter tratam logo de desvalorizar e simplesmente mudar de assunto para uma coisa que ela tem ou fez e que isso sim, é importante…
E adoro não ser assim. Também não podia ser só defeitos!
Acho que já é uma questão de princípio de vida.
Quero ser feliz, quero ter isto e aquilo, quero alcançar mais e mais… mas toda a gente deve ser feliz, deve alcançar o que deseja… O se eu não tenho, mais ninguém deve ter, não é política!
Quem tiver esses sentimentos negativos, esse desejo de que os outros não tenham porque eu não tenho, ocupem a vossa vida a tratar de a melhorar, cansem-se com isso, olhem por vocês e para vocês e no final vão ficar cansados, satisfeitos pelo esforço, vão chegar à cama e dormir e deixam de se preocupar tanto com o vizinho do lado.
Tenho dito…

Jantar romântico 1/3

Bem… já nem me lembrava da última vez que tinha tido um destes. A rotina do dia-a-dia impõe-se (porque nós deixamos) e momentos simples e especiais vão sendo relegados para segundo plano.
Num dos blogues que costumo acompanhar (homemsemblogue.blogspot.pt) li certo dia um post com três sugestões de pratos (uma entrada, um prato principal e uma sobremesa). O autor do blogue disponibilizava-se ainda a fornecer as receitas a quem as quisesse e solicitasse por mail.
Assim fiz, e o “homem sem blogue” amavelmente enviou-me as receitas. Imediatamente decidi que duas delas iriam ser utilizadas para uma noite especial a dois.
Primeiro passo: Preparar o ambiente!
A diferença entre jantar nos bancos da cozinha com um individual, numa mesa posta mais depressa que o de repente e uma mesa posta com gosto e com o intuito de preparar um ambiente especial é muito grande. O trabalho que implica, nem por isso.
Simples, mas especial era o lema da noite:
 
Sim, bebi vinho nessa noite. Acho que pela primeira vez na vida. Continua a não me agradar, mas não resisti a experimentar o que continha aquela garrafa com um rótulo tão giro.
É verdade, escolhi o vinho pela beleza do rótulo! Mas as mulheres são assim… os carros têm de ser bonitos (não interessa a cilindrada, consumos, questões técnicas), mas sim a estética, tal como um gadget, tal como uma garrafa de vinho… Não tivesse eu visto aquele rótulo maravilhoso e tinha passado a noite a Cola ou água. Sexy – a marca! O RP disse que era de qualidade. Fica a sugestão.


Segundo passo: Magia na cozinha! Let the games begin!
Não queria nada que implicasse horas e horas em frente ao fogão e uma montanha de tachos que nunca mais acabasse, por isso optei por 3 receitas simples, preparadas com carinho e entusiasmo.
Entrada:
Brusqueta com pasta de azeitona, queijo feta e rúcula
Ingredientes:
- fatias de pão (utilizei pão alentejano, daquele que se compra já fatiado)
- pasta de azeitona
- queijo feta
- rúcula
- sal, azeite e vinagre q.b.
Temperar as fatias de pão com um fio de azeite a sal.
Levar a torrar ao forno.
Depois de torradas deixar as fatias arrefecer. Depois de frias barrar com pasta de azeitona.
 
 
Dispor cubinhos de queijo feta e rúcula previamente temperada com azeite, sal e vinagre.
 
Nunca tinha provado pasta de azeitona, mas a mistura de sabores combina surpreendentemente bem. É uma receita super rápida e acho que tanto pode ser utilizada em jantares a dois como jantares com muita gente. “Tem pinta!”, não é?
 

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Começar

Vou começar pelo fim! Fim de uma vida em que me sentia incapaz, sem vontade de fazer alguma coisa por mim.
Nunca tive problemas em  fazer as coisas que toda a gente faz, nunca vi o facto de ser obesa como limitativo de aproveitar a vida como toda a gente. Arvorismo foi o pico da minha coragem… e hoje orgulho-me tanto de o ter feito!
Até ao dia em que tinha de sair de casa para fazer um recado, ir ao shopping tratar de uma prenda… uma coisa banal portanto, e nessa altura deitei-me na cama, disse que não queria sair de casa, não queria que ninguém me visse, que era simplesmente uma abominação e sentia demasiada vergonha do que as outras pessoas iam ver.
Bati no fundo, vi-me de uma forma que nunca me tinha visto, senti-me de uma forma que nunca me tinha sentido. Olhei-me ao espelho e vi um monte de banha que em nada correspondia ao que queria ser.
É verdade que a obesidade implica, pelo menos no meu caso, dificuldades acrescidas em algumas tarefas básicas como apertar cordões, mas sempre desvalorizei isso, sempre me senti confortável com o que era.
Ok, claro que gostava de me sentir mais atraente, não viver um drama cada vez que compro umas calças, mas não me incomodava ser assim, ou pelo menos não me incomodava o suficiente para querer mudar.
Até esse dia… um dia em que adiei uma tarefa básica, devido à minha imagem.
O nojo, a repugnância possivelmente (ou para mim, certamente) sentida pelas pessoas que se cruzariam comigo foi demasiado para mim e deu-se por fim a mudança.
Começar… começar a fazer alguma por mim, fazer melhores opções na minha vida e estabelecer novas prioridades.
E acho que este acontecimento fez click em mim e saí de casa para começar a correr, ultrapassei a vergonha de alguém ver uma gorda a tentar fazer alguma coisa que os mais magros fazem com facilidade (ou pelo menos eu acho que sim). Releguei os olhares de desdém por aqueles que não compreendem as barreiras ultrapassadas para fazer aquilo que faço e lutei, arrisquei.
Hoje sinto-me diferente… quero continuar a fazer isto por mim. A minha timidez (que muitos associam a arrogância) está a ser aos poucos reduzida e é impressionante o resultado obtido. A forma simpática como as funcionárias das lojas respondem a esta mudança no meu comportamento, a facilidade de comunicação com os colegas, a forma como opino sobre este ou aquele assunto…
Continuo a ser gorda e serei por muito tempo, talvez para sempre, mas sinto-me melhor e isso é o mais importante.
Hoje valorizo o facto de apertar os cordões sem ficar ofegante e baixar-me e levantar-me sem ficar “perra” e com dores nos joelhos e nas costas.
Hoje sinto-me melhor com aquilo que sou.
Acho sinceramente que nunca é tarde demais para começar… e eu sinto que comecei!

Fico nas horas

Quando vejo uma receita com um aspeto para lá de fantabulástico… um nome atraente como deve ser! E decido experimentar…
E vejo não sei quantos ingredientes de que nunca ouvi falar, nem sequer consigo encontrar.
Fico nas horas!

Treino #7... e funeral do Endomondo!

Depois de me deitar tardíssimo e julgar que ia vacilar na hora de me pôr a pé, lá me surpreendi! Pensei em não ir e até me deitei depois do despertador tocar, mas a cabeça começou a trabalhar e percebi que não ia descansar. Já que não era para descansar, ao menos aproveitar para treinar.
Fui mais longe do que tinha ido até hoje; fiz quase todo o percurso a correr, a um ritmo bem lento, mas a correr e cheguei satisfeita a casa. Até verificar a distância percorrida e levar com uma chapadona!
Informação da aplicação:
Tempo: 25:45
Distância: 2,36Km
Velocidade média: 5,49Km/h
Oh qui carago, rais parta esta porcaria… O que interessa é fazer e sair, optar por um estilo de vida saudável e não sei mais quê, mas preciso de motivação e o RAIO DESTA PORCARIA DESTA APLICAÇÃO NÃO ESTÁ A AJUDAR. Fico furibunda!
O tempo está correto, mas a distância, a estimar por baixo foi de pelo menos 2,80Km (a verificar brevemente que isto não fica assim!), o que se traduz numa velocidade média de 6,51Km/h. Isto sim, já me dá algum alento.
Sei que são 400m de diferença, não é tanto quanto isso, mas num total de nem 3km faz uma grande diferença para apurar a velocidade média.
E fico nas horas porque quero saber a realidade, senão para isso não usava aplicação nenhuma… um mesmo percurso com distâncias tão díspares, na minha opinião retira grande credibilidade à coisa.
Assim sendo fiz uma cruz no Endomondo e tenho de arranjar um substituto…

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Treino #6


Depois do treino de domingo, na 2.ª feira não pensei que fosse ter coragem para o fazer, mas às 6:30 estava fora da cama.
Aquela que é a rotina de treino cumprida… batido, roupa, música… e aí vai ela.

Muito frio, mas um dia bonito foi a minha companhia.
Custou-me muito e caminhei mais do que aquilo que devia, mas melhorei o tempo de 6.ª feira e cumpri mais um dia de exercício. Dei mais um passo para uma vida mais saudável e um aumento na minha autoestima. E espero que um passo de caranguejo no que ao peso diz respeito.

Distância percorrida: 2,61km
Tempo: 24:34

Velocidade média 6,37Km/h
                               9:25 minutos/km

 
E partilho uma das minhas músicas preferidas para me acompanhar na prática da corrida:

Mesmo fixe... marca o ritmo que preciso e associa o desporto ao lazer! Gosto mesmo!

É burrice, eu sei!

A amizade para mim tem um valor inestimável. Não tenho muitos amigos, tenho muitos conhecidos! Mas tenho um grupo de pessoas que tenho a sorte de fazerem parte de minha vida.
Pessoas que não hesito em fazer o que for preciso para ajudar. Mas  também sei que são pessoas que caso precise, não hesitam em me ajudar. Essas pessoas sabem quem são e apesar de não haver laços de sangue, existe algo que nos une que é muito mais forte. A vontade de estar, a vontade de proteger, aconselhar, ajudar, apoiar, partilhar alegrias e tristezas,…
Pessoas com as quais sentimos a sua tristeza como se fosse nossa. E acaba por ser nossa, porque queremos que os nossos amigos estejam bem. Para mim a amizade é isto.
Depois existem outras pessoas. Pessoas com as quais não estamos com a frequência que queríamos. Aquelas que nos proporcionam momentos agradáveis e alguns até memoráveis e caímos na ingenuidade de acreditar que somos especiais para elas. Não um companheiro de armas, mas alguém especial.
Alguém que não é metido no mesmo saco que um montão de outras pessoas que figuram os interesses profissionais e pessoais. Alguém de quem gostamos por aquilo que é e não por aquilo que tem, ou com o que nos pode ajudar.
E esperamos que essas pessoas nos vejam da mesma forma.
E é sempre triste quando apanho com um baque destes! Quando penso que tenho um lugar no coração de alguém que considero amigo e apanho uma desilusão. É burrice, eu sei!
Para mim não é preciso falar todas as semanas com alguém para não me esquecer dela.
Há pessoas com quem falo pontualmente, mas quando falo com elas é como se tivesse falado na véspera. A conversa, a brincadeira, a empatia continuam os mesmos de outros tempos em que nos encontrávamos diariamente, partilhávamos dias e noites de livros, cafés, gargalhadas e até choro.
Não é preciso presenças em certos eventos sociais, roupas chiques, estatuto social ou carro topo de gama. Tirando todas essas camadas, fica alguém e esse alguém é quem guardo na memória e no coração.
Aqui houve uma promessa… e o telefone tocou. Pensava que era alguém a cumprir a promessa. Mas não! Era apenas para me pedir alguma coisa… e o que me entristece não é o pedido. Fico feliz por saber que se lembram de mim quando precisam de alguma coisa. Foi o esquecimento da promessa. É o sentimento da faca espetada…
Tira-me o facalhão das costas, podia eu dizer em tom de brincadeira, mas com a tristeza a apertar o coração. Mas não vai acontecer. Vou dizer-lhe o que sinto porque acho que tudo deve ser esclarecido. E as expetativas vão deixar de existir para deixarem de ser goradas.
Mais um passo para a mudança do que sou para o que quero ser!