Páginas

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Tá Bonito

No dia 3 de novembro, a sugestão do RP lá fomos ver o espetáculo ao Rivoli do Tá Bonito.
Volta e meia passamos um ou outro serão a rir com vídeos deste site, mas não sabia muito bem o que esperar. No dia em que chegou a casa e me disse que tinha comprado os bilhetes fiquei bastante surpreendida e rendida ao facto de não haver mais nada a fazer.

Começamos com um agradável jantar no restaurante A Brasileira, onde depois de pagarmos nos perguntaram:
- E então, vão ver o espetáculo?
Como o restaurante fica mesmo em frente ao Sá da Bandeira e não sabíamos que espetáculo lá ia haver respondemos:
- Sim... não! Vamos mas não é aqui no Sá da Bandeira.
Ao que o senhor nos respondeu:
- Não é aqui, é no Coliseu... Vão ver o Tony Carreira? 
- Ah!? Como? !?!?!? Tony!? Carreira? Não, não, não é a esse que vamos!
- Ah, pensei que sim? Estão esgotados os bilhetes... Apesar da crise ainda nos precisamos de divertir...
...
...
...

Pelos vistos tínhamos ar de quem aprecia um espetáculo de Tony Carreira. Ai santinha...

Depois lá seguimos para o espetáculo que nos aguardava. Foi um serão 5 estrelas, ri-me tanto que me doía tudo. Foram umas gargalhadas tão boas que me rejuvenesceram a alma.
Entre imitações brilhantes e histórias com que todos nos identificamos, foi mesmo divertido!

Acho que vão continuar por esse país fora e aconselho a todos os que gostam de rir que marquem presença. 
Ainda hoje continuamos a falar de partes do espetáculo.
Estava eu a trabalhar quando veio ele...
Ele quem?
O Xavier!
O Xavier veio e quem é que chamou?
Fredo! Pois é sempre isto... Fredo, Fredo... Fredo,Fredo...

Rolo de papal higiénico vazio no WC:
Esqueceste-te de deixar só uma folhinha do rolo!!!

E pronto, mais umas quantas gargalhadas! Só quem viu vai entender as conversas, mas é muito engraçado!


Semana de emoções!

Na mesma semana lançamento do terceiro livro da saga As Cinquenta Sombras (Livre) e a estreia do filme Amanhecer - Parte 2.
Muitas emoções para este coração...

Entretanto, completamente viciada em:


E a vida continua... entre coisas boas e outras que nem por isso, valem estes momentos para nos abstrairmos um pouco da realidade do dia-a-dia!

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Autoridade Tributária

6.ª feira de manhãzinha a receber a seguinte mensagem da Autoridade Tributária (nome chique para Finanças):

"Assunto: Incentivo à exigência de fatura


A partir de 1 de janeiro de 2013 será obrigatória a emissão de fatura por todas as vendas de bens e serviços mesmo quando os particulares não a exijam.



Quando é emitida fatura, a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) garante o controlo e a cobrança do IVA correspondente. Se a fatura não for emitida esse controlo é impossível.



Se todos exigirmos fatura em todas as aquisições que efetuamos conseguiremos:



• Aumentar a riqueza conhecida que Portugal produz (PIB);



• Aumentar as receitas fiscais, sem pagarmos mais impostos;



• Aumentar a equidade e justiça entre todos os contribuintes portugueses;



• Diminuir o défice orçamental e criar condições para uma redução futura da carga fiscal;



• Criar melhores condições para que o nosso país possa ultrapassar com rapidez a fase díficil em que se encontra.




Quando não exigimos fatura contribuímos para:



• Aumentar a evasão fiscal e enriquecer ilicitamente aqueles que não pagam impostos;



• Diminuir a receita fiscal, que é uma riqueza de todos os portugueses;



• Prejudicar com mais impostos os contribuintes cumpridores.




O seu papel é decisivo. Exigir fatura não tem custos. É um direito e um dever de todos. E todos ganhamos. Portugal e cada um de nós.



Em breve receberá mais informação acerca dos benefícios fiscais (até 250 euros) que serão proporcionados a quem exige fatura."

Sem eu ter que pedir fatura cada vez que vou comprar uma chiclet ou tomar um café, aqui fica a sugestão:

- Porque é que as grandes superfícies, como Jumbo, Continente e outras que tal, não emitem fatura em cada venda que efetuam. Ou sou eu que sou muito burra, ou há aqui uma cambada de ignorantes que se preocupam com as migalhas e mais uma vez deixam passar as broas. E ninguém vai a uma grande superfície só comprar um chiclet, pois não!? Pior, se por acaso precisamos de fatura e pagamos sem a pedir, depois temos de nos dirigir não se onde para solicitar o obséquio... Faz algum sentido esta m****???????

- Tal como nas grandes superfícies, o mesmo se passa em grande parte das gasolineiras. E em algumas ainda têm o descaramento de afixar um aviso onde consta que só pode ser pedida a emissão da fatura até X dias após a aquisição. Muitas pessoas não estão a ver se no documento que lhes é entregue diz talão de venda ou fatura/recibo. Quando a contabilidade chateia, têm de lá ir novamente. Para evitar esse recorrência, agora dizem só até 5/10 dias depois!


Para mim pessoalmente são dois casos gritantes de fuga aos impostos, com um descaramento desmedido, que lhes permite fazer e declarar aquilo que bem entendem. Já sem referir os valores de que estamos a falar...

E mais uma nota... toda a gente fala em restaurantes e café e até em cabeleireiros... há uma que não ouço ninguém falar e que provavelmente é dos casos mais expressivos nestas situações de economia paralela. Floristas??? Porque é que ninguém fala nas floristas...

Só para terminar o desabafo, porque é que não focam mais as atenções para empresas fantasma, que para além de fuga aos impostos ainda roubam o estado? Esquemas de IVA que permitem roubar à grande e à francesa, mas que já requer outra perícia. E ninguém fala nisto... Como é possível??? E a burra sou eu???

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Balas & Bolinhos 3 - O Último Capítulo



SINOPSE
"Um tenta enganar. O outro anda a gamar. E há até quem não saiba o que anda a fazer... A verdade é que a vida continua difícil para Culatra, Rato e Bino. Mas tudo muda quando Tone, o homem do Mundo, regressa a casa para tentar salvar o pai, que está às portas da morte. E quando o reencontro acontece partem para a mais surpreendente das suas aventuras. Se tudo estava mal, agora vai ficar pior!"


Depois de muita insistência do marido e muita reticência minha lá fomos ver o tão afamado filme.
No início do filme:
"Se o raio do filme não me sacar sequer uma gargalhada vais ter me aturar!"

10 minutos depois... uma gargalhada meio abafada quase conseguia sair, mas não ia facilitar. A rir, ia ter de ser com vontade. :) O que é facto é que passado algum tempo ria como uma perdida... Alturas em que também não achei grande piada, é verdade, mas foi sem dúvida um serão muito divertido.
Para além do RP parecer uma criança entusiasmado com o facto de eu ter acedido a ir ver aquela "obra de arte"!
Vale a pena... não fica no top dos favoritos, mas é muito divertido! Mente aberta e expectativas baixas é o segredo de um serão agradável.

Menos agradável, na minha humilde opinião, é ver gente que não tem dois dedos de testa e levam miúdos de 10 anos a ver um filme destes... certas cenas do filme em que me fizeram pensar, será que lhes estão a tapar os olhos? Sei que os miúdos hoje são demasiado espertos, mas há princípios que penso que devem ser preservados. Um filme com cenas de cariz sexual e linguagem não muito católica não me parece uma boa opção. Mas pronto... sua cabeça, sua sentença!

Para gente adulta, recomendo!!!


Dei-te o melhor de mim, Nicholas Sparks




Sinopse
"Este novo e aclamado romance de Nicholas Sparks conta a história emocionante de Amanda e Dawson, dois adolescentes envolvidos na mágica experiência do primeiro amor. Contudo, sob a pressão familiar e social, são obrigados a seguir vidas distintas. Somente vinte e cinco anos mais tarde voltam a encontrar-se, por altura da morte do único homem que tinha protegido o jovem casal apaixonado. E se para ambos o amor de outrora se revela intacto, confrontam-se inevitavelmente com as escolhas feitas e os compromissos assumidos. Qual então o sentido daquele encontro, se nada podia mudar o passado?"
Desde muito cedo acompanhei os lançamentos deste escritor. Apesar de ainda ter dois livros dele por ler, decidi "atacar" este, o último lançado em Portugal.
Desengane-se quem pense que os livros de Nicholas Sparks terminam com o "e foram felizes para sempre". Nunca se sabe para que lado vai virar e isso torna as suas histórias mais emocionantes.
Tal como já estava habituada as descrições ao longo do livro permitem-nos estar lá a ver ao vivo e a cores tudo o que se desenrola, como se tivéssemos um manto de invisibilidade (igualzinho ao do Harry Potter) e dessemos conta de tudo sem que consigam dar conta de nós.
O título não podia ser melhor escolhido na minha opinião... de que forma pode alguém ficar com o melhor de outro alguém? Será que 25 anos vão conseguir separar definitivamente duas pessoas? Ou os estatutos sociais? 
Adorei... vale muito a pena cada página!