Páginas

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

A primeira de muitas, espero!

Esta semana tive a oportunidade de trocar a primeira fralda à minha afilhada! E foi tão bom...

Um afilhadão que já está no infantário, nos seus primeiros passos de uma vida de homem crescido. Mas sempre com um sorriso e um miminho adoráveis!

Uma afilhada a crescer e já a ficar habituada ao colo da madrinha! (Quando está no meu colo e não chora, já sinto um campeonato ganho.) Com um olhar concentrado de quem está a conversar connosco...

E uma afilhada postiça (ou castiça!!!) que apesar de já estar a ficar uma mulherzinha continua com o seu coraçãozinho tão puro e bondoso que nos cativa no primeiro momento em que nos encontramos, cada vez que estamos juntos. Além de estar muito bonita...

Podemos pedir mais alguma coisa???

Somos de facto uns sortudos...

É mesmo bom!

Partilhar a felicidade com aqueles de quem mais gostamos!

Em conversa com uma amiga há pouco tempo, em tom de desabafo dizia-me, a família são aqueles que nos calham, os amigos podemos escolhe-los...

E é bem verdade! Amamos a nossa família, mas no que diz respeito a amigos, estes têm um papel mais ou menos importante conforme queiramos que tenham.
O ideal seria que a nossa família fosse também um grupo de amigos, mas nem sempre é assim que acontece. Temos sempre um grupo de amigos com o qual a convivência, proximidade e partilha é muito maior do que com a maior parte da nossa família.

É por isso que me sinto verdadeiramente orgulhosa por ter algumas pessoas na minha vida com as quais me sinto perfeitamente à vontade, com as quais sei que partilho sinceramente as minhas alegrias e com quem posso contar nas minhas tristezas.

Um telefonema para dar uma novidade, um convite para uma coisa muito simples são suficientes para nos encher o coração.
A preocupação natural que temos uns com os outros, quase maternal, é de facto muito bom!
E no fundo leva-me a acreditar que sou boa pessoa, porque caso contrário não merecia ter presentes na minha vida algumas pessoas que tenho...

Por isso, só posso aqui deixar um grande Obrigada! aos meus amigos... (eles sabem quem são!!!)

4 anos, já?

Acabei de descobrir que este blog fez ontem 4 aninhos... Está quase a ir para a primária!

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Vão-se foder

Texto de Ângela Crespo, retirado do Facebook, mas que penso merecer a publicação no meu tão estimado blog!

"Este é um texto longo, pouco facebook friendly, mas à falta de melhor sítio para expressar o que me vai na alma, aqui fica:




Vão-se foder.



Na adolescência usamos vernáculo porque é “fixe”. Depois deixamo-nos disso.



Aos 32 sinto-me novamente no direito de usar vernáculo, quando realmente me apetece e neste momento apetece-me dizer: Vão-se foder!



Trabalho há 11 anos. Sempre por conta de outrém. Come...cei numa micro empresa portuguesa e mudei-me para um gigante multinacional.



Acreditei, desde sempre, que fruto do meu trabalho, esforço, dedicação e também, quando necessário, resistência à frustração alcançaria os meus objectivos. E, pasme-se, foi verdade. Aos 32 anos trabalho na minha área de formação, feliz com o que faço e com um ordenado superior à média do que será o das pessoas da minha idade.



Por isso explico já, o que vou escrever tem pouco (mas tem alguma coisa) a ver comigo. Vivo bem, não sou rica. Os meus subsídios de férias e Natal servem exactamente para isso: para ir de férias e para comprar prendas de Natal. Janto fora, passo fins-de-semana com amigos, dou-me a pequenos luxos aqui e ali. Mas faço as minhas contas, controlo o meu orçamento, não faço tudo o que quero e sempre fui educada a poupar.



Vivo, com a satisfação de poder aproveitar o lado bom da vida fruto do meu trabalho e de um ordenado que batalhei para ter.



Sou uma pessoa de muitas convicções, às vezes até caio nalgumas antagónicas que nem eu sei resolver muito bem. Convivo com simpatia por IDEIAS que vão da esquerda à direita. Posso “bater palmas” ao do CDS, como posso estar no dia seguinte a fazer uma vénia a comunistas num tema diferente, mas como sou pouco dado a extremismos sempre fui votando ao centro. Mas de IDEIAS senhores, estamos todos fartos. O que nós queríamos mesmo era ACÇÕES, e sobre as acções que tenho visto só tenho uma coisa a dizer: vão-se foder. Todos. De uma ponta à outra.



Desde que este pequeno, mas maravilho país se descobriu de corda na garganta com dívidas para a vida nunca me insurgi. Ouvi, informei-me aqui e ali. Percebi. Nunca fui a uma manifestação. Levaram-me metade do subsídio de Natal e eu não me queixei. Perante amigos e família mais indignados fiz o papel de corno conformado: “tem que ser”, “todos temos que ajudar”, “vamos levar este país para a frente”. Cheguei a considerar que certas greves eram uma verdadeira afronta a um país que precisava era de suor e esforço. Sim, eu era assim antes de 6ª feira. Agora, hoje, só tenho uma coisa para vos dizer: Vão-se foder.



Matam-nos a esperança.



Onde é que estão os cortes na despesa? Porque é que o 1º Ministro nunca perdeu 30 minutos da sua vida, antes de um jogo de futebol, para nos vir explicar como é que anda a cortar nas gorduras do estado? O que é que vai fazer sobre funcionários de certas empresas que recebem subsídios diários por aparecerem no trabalho (vulgo subsídios de assiduidade)?… É permitido rir neste parte. Em quanto é que andou a cortar nos subsídios para fundações de carácter mais do que duvidoso, especialmente com a crise que atravessa o país? Quando é que páram de mamar grandes empresas à conta de PPP’s que até ao mais distraído do cidadão não passam despercebidas? Quando é que acaba com regalias insultosas para uma cambada de deputados, eleitos pelo povo crédulo, que vão sentar os seus reais rabos (quando lá aparecem) para vomitar demagogias em que já ninguém acredita?



Perdoem-me as chantagem emocional senhores ministros, assessores, secretários e demais personagem eleitos ou boys desta vida, mas os pneus dos vossos BMW’s davam para alimentar as crianças do nosso país (que ainda não é em África) que chegam hoje em dia à escola sem um pedaço de pão de bucho. Por isso, se o tempo é de crise, comecem a andar de opel corsa, porque eu que trabalho hé 11 anos e acho que crédito é coisa de ricos, ainda não passei dessa fasquia.



E para terminar, um “par” de considerações sobre o vosso anúncio de 6ª feira.



Estou na dúvida se o fizeram por real lata ou por um desconhecimento profundo do país que governam.



Aumenta-me em mais de 60% a minha contribuição para a segurança social, não é? No meu caso isso equivale a subsídio e meio e não “a um subsído”. Esse dinheiro vai para onde que ninguém me explicou? Para a puta de uma reforma que eu nunca vou receber? Ou para pagar o salário dos administradores da CGD?



Baixam a TSU das empresas. Clap, clap, clap… Uma vénia!



Vocês, que sentam o já acima mencionado real rabo nesses gabinetes, sabem o que se passa no neste país? Mas acham que as empresas estão a crescer e desesperadas por dinheiro para criar postos de trabalho? A sério? Vão-se foder.



As pequenas empresas vão poder respirar com essa medida. E não despedir mais um ou dois.



As grandes, as dos milhões? Essas vão agarrar no relatório e contas pôr lá um proveito inesperado e distribuir mais dividendos aos accionistas. Ou no vosso mundo as empresas privadas são a Santa Casa da Misericórdia e vão já já a correr criar postos de trabalho só porque o Estado considera a actual taxa de desemprego um flagelo? Que o é.



A sério… Em que país vivem? Vão-se foder.



Mas querem o benefício da dúvida? Eu dou-vos:



1º Provem-me que os meus 7% vão para a minha reforma. Se quiserem até o guardo eu no meu PPR.



2º Criem quotas para novos postos de trabalho que as empresas vão criar com esta medida. E olhem, até vos dou esta ideia de graça: as empresas que não cumprirem tem que devolver os mais de 5% que vai poupar. Vai ser uma belo negócio para o Estado… Digo-vos eu que estou no mundo real de onde vocês parecem, infelizmente, tão longe.



Termino dizendo que me sinto pela primeira vez profundamente triste. Por isso vos digo que até a mim, resistente, realista, lutadora, compreensiva… Até a mim me mataram a esperança.



Talvez me vá embora. Talvez pondere com imensa pena e uma enorme dor no coração deixar para trás o país onde tanto gosto de viver, o trabalho que tanto gosto de fazer, a família que amo, os amigos que me acompanham, onde pensava brevemente ter filhos, mas olhem… Contas feitas, aqui neste t2 onde vivemos, levaram-nos o dinheiro de um infantário.



Talvez vá. E levo comigo os meus impostos e uma pena imensa por quem tem que cá ficar.



Por isso, do alto dos meus 32 anos digo: Vão-se foder."

terça-feira, 25 de setembro de 2012

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Crepe chinese/portuguese

Com muitas saudades de uma receita??? Aqui vai então...

Nem sei se lhe posso chamar crepe, mas que parece, parece...
- Sobras de novilho de fondue, cortado em tiras;
- 4 folhas de massa filó;
- Lata de cogumelos;
- Lata de rebentos de soja;
- Vaqueiro líquida para pincelar (em alternativa, azeite);
- Molho de soja;
- Azeite.

Numa frigideira colocar um fio de azeite e adicionar a carne. Deixar cozinhar um pouco e depois acrescentar os cogumelos e os rebentos de soja, temperando com o molho de soja.
Atenção que o molho de soja é muito salgado, em caso de exagero pode ter um sabor demasiado apurado.
Deixar cozinhar tudo e depois desligar.

Numa bancada colocar uma folha de massa filó, pincelar com a gordura escolhida e sobrepor outra folha de massa.
Espalhar ao centro o recheio feito anteriormente e embrulhar a gosto.

Depois vai ao forno a 180ºC até ficar dourado a gosto.

Algumas fotos desta experiência:








Acompanhado com uma saladinha dá para uma refeição...

Oi? Podia repetir se faz favor!

Ser convidada para um casamento é de facto um privilégio. As pessoas considerarem-nos suficientemente importante para nos convidarem a presenciar um dos dias mais importantes das suas vidas, é de facto um orgulho.

Mas simultaneamente, a ida a um casamento traduz-se num verdadeiro combate de boxe, com vários rounds, por vezes muito desgastantes. Ele é roupa, calçado, maquilhagem, penteado e mais umas quantas coisas.
Como tenho um casamento no próximo sáado, ontem foi dia de tratar das meias (sim, sei que estive de férias muito recentemente, mas sou a típica portuga, gosto de deixar sempre alguma coisinha para a última).

Fui a uma grande superfície comercial em Gaia (e mais não digo) a que me tornei fiel neste tipo de coisas, porque tamanho grande não é fácil encontrar em todo o lado.
Uma funcionária atenciosamente dirige-se a mim e após explicar-lhe aquilo que pretendia, mostrou-me o que ia de encontro aos meus interesses, sempre com muita atenção e simpatia.
E eis que vinha a pergunta complicada:
- E que tamanhos tem?
- Olhe, estas meias são excecionalmente grande, porque são de uma marca austríaca e os austríacos são todos muito grandes. Não vai ter qualquer problema.
- Ai é? Por acaso não conhecia esta marca... não sabia!
- É, pode ficar descansada porque vem tudo da Austrália!
- !?!?!?!?!?!?!?!

Estava a tratar disto quase às 23h, mas depois de terminada a compra ainda me conseguiu arrancar umas gargalhadas.
Mas a menina foi de facto muito simpática! Não sei há quantas horas estava a trabalhar, mas compreendo-a! Nem por isso deixa de ser engraçado...

terça-feira, 11 de setembro de 2012

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Regresso...

1.º dia de regresso ao trabalho... com um sabor muito agridoce!

O anúncio do aumento dos encargos com a Segurança Social suportados pelos trabalhadores desmoralizou-me mesmo.
Passar de 11 para 18%?????????
Parece brincadeira... Sei que temos de fazer sacrifício para recuperarmos da m**** que os governantes deste país andaram a fazer, mas existe um limite... ou como o outro diria, existe uma linha que separa o que é permissível e aceitável do que é ultrajante, injusto e incompreensível!

Esta treta de pertencer à classe média é do caraças. E o pior é que acho que ainda temos mais a caminho... o IRS não vai ficar por aqui, ai não vai não...

O regresso ao trabalho propriamente dito não foi grande surpresa, mas havia coisas das quais não tinha saudades nenhumas...

sábado, 8 de setembro de 2012

Agora

Depois do Cemitério dos Prazeres, agora foi a vez de:

Acabadinho de ler, este livro de Pedro Boucherie Mendes é sem dúvida, diferente!
O livro é ficção, mas parece um confronto contínuo... um confronto comigo, com os meus amigos, família, cultura, sociedade...
Existem coisas que ao longo do livro que inconscientemente toca no botãozinho de "realmente, é mesmo assim" e outras que "o quê???? tá-se a passar!?"


"Aos 35 anos, Vasco deixou o amor fugir-lhe para sempre porque não esteve para se chatear. Quem vai pagar pelo maior erro da sua vida é Alexandra, a vizinha divorciada incapaz de perceber qual a intenção deste homem. 

Vasco é insondável, até para os amigos com quem passa a maior parte do tempo: Guicas, a menina rica e cleptomaníaca que gosta demasiado de vodka e não suporta ver ninguém feliz; Miguel, que se casou com ela por dinheiro e estatuto e que agora vê na morte da mulher a solução para todos os problemas; Sofia, que não consegue esquecer Vasco e se tornou numa mãe desesperada por atenção, desconfortável no seu corpo e ressentida com os amigos; e Quico, o inconsequente marido de Sofia, que a trai com Mafalda, uma arrivista disposta a quase tudo para pertencer àquele grupo onde, na verdade, ninguém se conhece e todos estão à deriva. 
Um dia, o tarólogo Zé Luís, com os seus dentes demasiado brancos, cruza-se com estes homens e mulheres. E a vida de todos mudam bruscamente."


O centro da história, é uma que sinceramente não se chega a perceber.  Depois existem as vidas de vários amigos todas entrelaçadas de várias formas. Existe a descrição da forma de estar, viver, prioridades de cada um deles, supremacia e dependências... até um acontecimento fatídico que muda quase todas as coisas.

É diferente, sem dúvida. Faz-nos pensar e a própria história acaba por nos envolver. Sinceramente, não é o meu tipo de leitura de preferência. Estava com uma expectativa diferente daquilo que seria este livro.

Até os céus estão tristes

com o fim das minhas férias!

Que nevoeiro...

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Oh pá...

O tempo do chinelo de dedo a terminar e quase a voltar à rotina do dia-a-dia.
Já com saudades da vida boa, sem hora para levantar ou fazer o que quer que seja.

Segunda feira é dia de voltar ao trabalhinho e apesar de ser muito bom ter um trabalho para voltar, não me importava nadinha de passar mais uma semaninha no relax... mas férias é isso mesmo, terminarem com um gostinho a pouco e com vontade de trabalhar mais um aninho para adquirirmos o direito a mais um descanso prolongado (por prolongado, entenda-se 15 dias!).

Aquele balanço que se faz no final do ano, enfrentando o 1 de Janeiro como uma nova etapa da vida para mim é mais sentido e pensado nesta altura do ano. No último ano fiz o que estava ao meu alcance para cumprir da melhor forma e até exceder tudo aquilo a que me tinha proposto. Houve coisas que correram bem e outras que não foram exatamente da forma como estava à espera.

Agora é altura de começar a arregaçar as mangas para lutar por aquilo que quero tanto a nível profissional como pessoal. Com as baterias carregadas, cabeça levantada e sorriso, será um ano positivo.

Entretanto ficam memórias de alguns momentos vividos nestes dias... Um deles partilho, pois foi muito divertido. Numa ida a Labruge, por caminhos que parecem ter parada no tempo, ambientes de aldeia como nos parecem não existir mais encontramos esta imagem tão caricata, que nos roubou uma gargalhada...
Nesta paragem, quem se quiser sentar à espera da "camioneta" traz a cadeirinha de casa...

Cake design #6 Aniversário do Diogo

Último bolinho para mostrar, do Diogo, no seu 3.º aniversário. O tempo passa muito depressa e ainda no outro dia era um bebé e o nosso afilhado já fez 3 anos.





Só aquele sorriso... e tentativa de arrancar uma orelhita (que mais tarde conseguiu) vale e pena!

É impressionante a concretização pessoal que obtenho com este hobbie tão recentemente encontrado!

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Cake design #5 Primeira Comunhão Marta

Há muito que não mostrava nada aqui e por isso tenho alguns bolitos acumulados para exibir! :))))
Mas está quase a acabar....

Desta vez mostro o bolo da Primeira Comunhão da Marta!



Um dia que foi marcado pelas cerca de 3 horas que o padrinho passou dentro da igreja... Levou com palavras sagradas para muito tempo e verdade seja dita, que não lhe fez mal nenhum!

É impressionante a forma como o tempo passa depressa para estas crianças que têm um papel especial nas nossas vidas!
E sentimo-nos tão sortudos pelo papel que temos na vida delas...

A minha "horta"

Ontem foi a primeira vez que pus os pezinhos na praia! Lá fui sentir a temperatura da água até aos tornozelos e fiquei satisfeitinha.

Depois dediquei-me à agricultura doméstica e criei o meu canteiro de ervas aromáticas! Ficou giro, mas não sei bem porquê, acho que vai secar tudo muito depressa. De qualquer forma prometo ter cuidadinho e regar com frequência, porque definitivamente eu e as plantas temos aquilo a que se pode chamar uma relação problemática!

Aproveito também para mostrar outro elemento da minha horta, que já cá mora há algum tempo e apesar de já ter sofrido um ataque de piolhos está agora na sua melhor forma.

O mal é começar... daqui a nada estou especializada em agricultura! De qualquer forma foi bom meter as mãos na terra, já tinha saudades. Esperemos agora que dê frutos, ou ervas, ou qualquer coisa que não seja demasiado amarela para deitar ao lixo... 

Da esquerda para a direita temos portanto:
Salsa
Hortelã verde
Cebolinho
Coentros
Manjericão
Tomilho

Aqui temos uma plantação de pimento padrón, uns picam outros nón! :PPPPPPPP
E já conseguimos tirar daqui dois pimentinhos (um verde um vermelho) que me esqueci de fotografar.
Pena, pena é que nenhum de nós os dois gosta de pimentos!



segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Homens e compras!


Não sou com toda a certeza a única mulher que se queixa do facto de o marido ainda estar a subir o tapete rolante de acesso a um shopping e já estar a espumar porque não vê a hora de vir embora e tudo aquilo lhe faz mal! 
Porque está muito calor, ou o ar condicionado está ligado, ou ver montras é ridículo e tudo o que se compra é desnecessário!

Pois bem, o verso da medalha está nas lojas de bricolage e afins!
Um dias destes fomos a uma dessas lojas comprar uma coisa tão simples como sacos para guardar cobertores e outras coisas que tal, utilizando o mínimo de espaço possível. Foi um pouco complicado encontrar o raio dos sacos mas finalmente encontramos tal tesouro escondido!

Até aqui tudo corria dentro da normalidade até que chegamos à secção de ferramentas, caldeiras, banheiras entre outras... E para minha grande surpresa, não era o RP que desesperava pelo tempo que esperava por mim! Não, desta vez eu ia à frente e cada vez que olhava para trás estava sua excelência escondida no corredor seguinte ao que tinha parado anteriormente. Ele era berbequins, aparafusadoras, robots de limpeza de piscina... uma panóplia de coisas sem qualquer interesse para mim, mas até me vi interessada em investir numa dessas maquinetas se isso significasse o meu passaporte para sair daquela loja que parecia não ter fim!

Mas... há sempre um mas! Houve um corredor em que o RP parou e fiquei especialmente confusa... um bando de caldeiras penduradas na parede e ele a olhar com o maior interesse para aquele conjunto de cilindros brancos sem piada, como se estivesse a fazer uma grande descoberta:
- O que é isso? São caldeiras?
- Sim, estou aqui a vê-las!
- E porque carga de água estás a prestar a maior das atenções a umas caldeiras, quando temos uma, está em perfeitas condições e cuja média de vida esperada é bastante superior à que a nossa tem?!?!?!?!?
- Porque um dia, sei lá, quando avariar e tivermos de comprar outra, já sei quanto é que vamos gastar...
- Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh?????????
- Sim, temos de ir vendo estas coisas...
- Isto vai tão para o blog RP!!!
- Oh, não faças isso!
- Podes considera-lo feito!

Com a seca que apanhei fiquei com muitos créditos de idas a shopping! Sorte a dele é que também não aprecio!
Mas só ao fim de tantos anos é que consegui descobrir que tipo de lojas o meu marido aprecia. Sempre a aprender... Pena que parafusos e brocas e sei lá mais o que não seja muito a minha onda...

Cake design #4 Mais um bolinho!

Então aqui fica um bolinho que fiz para a Primeira Comunhão da Rita!
O sorriso que fazem ao verem aquilo que lhes fizemos é de facto algo que vale mesmo a pena todo o trabalho que exige. :))))




Chiça...

Nada como um dia de limpezas para me lembrar que as férias não são só vida boa!!!

domingo, 2 de setembro de 2012

Cake design #3 Bolo da P.

Em modo de férias e a meio das mesmas (porra, que isto passa mesmo depressa!), publico finalmente as fotos de um bolinho que fiz para a P.!
Entretanto a bebé que estava na barriga já nasceu e fez ontem precisamente um mês!
Aqui ficam as fotos:






Como o tempo passa...