Páginas

sexta-feira, 30 de março de 2012

Cee Lo Green - Forget You

Para aguçar a vontade de fim-de-semana!


Estudo científico

Já toda a gente ouviu dizer que nem sempre light ou magro corresponde automaticamente a mais saudável.
Sinceramente nunca fui de me preocupar muito com isso e geralmente optei sempre por aquilo que me ia saber melhor, mas, tendo em conta que já não vou para nova... acho que é melhor começar a prestar mais atenção a certas coisas.

Outra coisa que até há pouco tempo também não era opção eram as marcas próprias... tinha de ser tudo daquelas marcas a que estava habituada, mas como o ditado diz, em tempo de guerra não se limpam armas e a determinada altura, e após algumas experiências, cheguei à conclusão que não valia a pena "desperdiçar" dinheiro como estava a fazer até aí.

Tendo em conta estas notas introdutórias, nas compras do fim-de-semana passado constou um "carregamento" de iogurtes magros, de diversas marcas e sabores, escolhidos mais pelos sabores do que pelas marcas. Entre eles constam:

Auchan Magro - ananás



Nestle Sveltesse - Stracciatella (o que comprei foi líquido, mas não consegui encontrar imagem)

Houve um dia em que trouxe um de cada deste e depois pensei... deixa-me lá ver como é que isto é! Acho que se não foi a primeira vez que olhei para a informação nutricional de um produto, deve andar muito próximo disso. E o que eu vi foi:



É pá, sinceramente fiquei um bocadinho chocada! Ok, o da Nestle é de chocolate, mas é uma diferença muito grande...  Muito mau...
Acho que me vou dedicar à leitura de rótulos!

quinta-feira, 29 de março de 2012

segunda-feira, 26 de março de 2012

O Voo da Borboleta

Numa segunda-feira que começa com uma noite muito mal dormida, uma dor de cabeça gigante e uma vontade de trabalhar escassa, um livro que terminei de ler e que me relembra que há coisas muito mais graves que isso e que no final das contas sou uma sortuda por ter tudo aquilo que tenho, com grande destaque para a saúde!
Uma grande lição de vida... um livro que longo da sua leitura me fez pensar inúmeras vezes, não é possível viver assim! Mas é! Há pessoas muito fortes e que devem tornar-se exemplos para nós!

"“O Voo da Borboleta” é uma viagem pelo dia-a-dia de uma rapariga a quem foi diagnosticada, aos 14 anos, uma doença neurológica degenerativa: a neurofibromatose. Maria João Inocêncio conta-nos, com grande coragem e uma lucidez por vezes desarmante, as várias fases pelas quais foi e ainda vai passando: dos exames às dores lancinantes, das operações até aos (muitos) exames de rotina. Mas este é também um livro de muita esperança e fé. Um projecto que nasce a partir de um diário que Maria João começou a escrever avidamente para libertar as suas emoções e angústias, enquanto aguardava que chegassem dias melhores, sem nunca deixar de acreditar nisso. Esta é uma jovem que não deixa ninguém indiferente, nem os amigos nem os médicos, que mostram nestas páginas o grande carinho que sentem por esta doente tão especial. Tal como uma borboleta, a autora sabe que a doença a obriga a transformar-se e a adaptar-se a novos obstáculos e desafios, como por exemplo, a perda da audição e a aprendizagem da Língua Gestual. Neste “vôo” (é, na realidade, muito mais do que um) o leitor é convidado a conhecer uma história de esperança e de humor, de muita dor mas, principalmente, de muitos afectos e coragem."



Sobre autor:

"Maria João Inocêncio nasceu há 20 anos, em Setúbal. Aos 14 anos foi-lhe diagnosticada uma doença neurológica rara e dolorosa: a neurofibromatose. Apesar disso, e ainda adolescente, conseguiu ultrapassar barreiras que a surpreenderam, a ela própria, à família e aos amigos, nos quais se incluem também médicos e pessoal auxiliar. Devido à perda de audição e a uma paralisia no rosto, teve de encontrar outras formas de comunicar. Até agora, a sua principal ferramenta tem sido a escrita, mas já começou a dar os primeiros passos na Língua Gestual Portuguesa. Um enorme amor pela vida e pelos familiares e amigos ajuda-a não só a enfrentar o dia-a-dia com uma coragem que não deixa ninguém indiferente. Sobre ela, costuma citar uma frase que leu, algures: “Creio que todos nós criamos os nossos monstros, os nossos medos e inseguranças. São pensamentos mutiladores. Porém, raramente encontramos pessoas dispostas a partilhá-los.”. Com este livro, Maria João pretende, justamente, quebrar esse silêncio."

quarta-feira, 21 de março de 2012

Os maridos das outras

Tinha de partilhar... pelo menos para alegria do marido!



Por acaso está muito porreira... e de uma forma ou de outra todos/as acabamos por nos identificar com um ponto ou outro.  Dá para rir... nos dias de hoje é o que mais importa!

3 - 2

A certa altura ainda acreditei que fosse possível. Orgulhosa do meu Porto na primeira parte, com grande domínio do jogo.
Não sei o que se passou na 2.ª parte, mas não foi a mesma coisa... foi pena! Mas é mesmo assim, ganhamos umas vezes, perdemos outras... é a vida!

Apesar de ter a cabeça do tamanho de um melão e apesar de ter identificado algumas injustiças por parte da esquipa de arbitragem, sejamos realistas, a culpa de termos perdido foi nossa!

Saldo final: ganhamos um e perdemos outro... está bem!

terça-feira, 20 de março de 2012

Lyani Viktórya

Depois da Lyonce Viktórya!

Acho que o Vasco Palmeirm vai ter alguma coisa a dizer (ou cantar) acerca deste assunto...
Esperar que o rapaz venha de férias para ver...

Só para...

desejar uma boa Primavera...

Então se fosse com uma vitória do meu FCP era espetacular! Mas não estou muito esperançada... espero ser surpreendida!

quarta-feira, 14 de março de 2012

Esta é para ti P.!!!



Está muito fixe... Inspiração para os próximos meses P.!

Nevoeiro

Uma semana entre um baptizado (ou batizado, não sei bem!) e um casamento é sempre um pouco atarefada e ontem cumpri a árdua tarefa de aquisição daquilo que os meus pés vão ter de aguentar pelo menos até ao fim da cerimónia. :)

Naturalmente que cumprida esta verdadeira missão 007 estava de rastos, quase num estado tão lastimoso quanto os meus pés e pensar que ia para casa fazer jantar, estar de pé mais algum tempo... não, não estava para isso. Então decidimos que era uma óptima (ou ótima, não sei bem) opção ir "buscar qualquer coisa" e lá fomos a uma churrasqueira perto de casa onde presenciamos uma cena tão especial (especial parace-me um bom adjectivo (ou adjetivo, não sei bem!)) que achei por bem partilha-la.

Diálogo entre dois funcionários da referida churrasqueira:
- Ei Zé, já viste o nevoeiro que está lá fora?
- Tá muito nevoeiro não está? Está, está...
- Mas está mesmo, já viste?
- É... tu gostas é de levar com o nevoeiro... ai gostas, gostas!

E foi isto! Como me transcendeu, não percebi patavina do que estavam a dizer... deixo a dúvida no ar!
Pode ser que qualquer dia saia numa revista conceituada um estudo científico sobre o assunto!

quinta-feira, 8 de março de 2012

Bacalhau bonito

Uma boa receita para comemorar este dia especial!

Não sendo grande apreciadora de bacalhau, especialmente cozido (que só como no Natal!!!) todas as alternativas são uma possibilidade a ser tida em conta. O bacalhau é de facto muito versátil e existe uma variedade tão grande de possibilidades que esta é apenas mais uma...
Sabor a bacalhau disfarçado e um prato muito agradável, mas pode ser classificado sobretudo como um

Bacalhau bonito

- 2 postas de bacalhau cozido e lascado
- refogado feito com cebola cortada às meias luas, alho, azeite, polpa de tomate e vinho (também juntei um pouco de maizena misturada com água fria para engrossar)
- maionese caseira feita pelo marido (não faço ideia de como foi feita!)
- puré (às batatas cozidas e raladas juntei noz moscada, margarina e leite até obter a consistência pretendida)
- azeitonas para decorar

Depois é só montar... bacalhau lascado na base e o refogado espalhado por cima. Quem gostar também pode adicionar pimento ao refogado. Como nós não apreciamos foi mesmo assim.
Cobrir com maionese, sobretudo o centro que vai ficar à vista.
Decorar com o puré em volta e terminar com o toque da azeitona!
Vai ao forno pré-aquecido a 180ºC até ficar douradinho.

E a reportagem fotográfica! :)




Feliz Dia da Mulher...

... para todas nós!

E uma musiquinha para curtir...



E um vídeo que diz uma grande verdade e acho importante termos noção deste facto, sobretudo neste dia!

sexta-feira, 2 de março de 2012

Esta nem comento!

Lido no Correio da Manhã:

Estudo defende que "bebés não são pessoas e podem ser mortos"

"Dois investigadores defenderam num artigo publicado no ‘Jornal de Ética Médica’, do conceituado grupo British Medical Journal, que bebés recém-nascidos não são pessoas e que matá-los, logo nos primeiros dias de vida, não é muito diferente de fazer um aborto.

Francesca Minerva, académica nas Universidades de Melboune e Oxford, e Alberto Giubilini, das universidades de Milão e Monash, em Melbourne, argumentam que os recém-nascidos, tal como os fetos, não têm um estatuto moral semelhante ao dos adultos.

Na tese publicada, os especialistas em ética defendem que os recém-nascidos são ‘não-pessoas' porque ainda não têm consciência da sua própria existência.

Para os dois investigadores, não se trata de infanticídio, mas sim de aborto pós-parto e só deveria ser autorizado em bebés com doenças e malformações não detectadas durante a gravidez. Outra situação possível é para pais que não têm condições para psicológicas ou materiais para lidar com o bebé.

O artigo foi publicado, justificou Julian Savulescu, editor do Jornal de Ética Médica, porque a publicação não existe para veicular apenas uma determinada corrente de pensamento. "Os autores argumentaram, de uma forma provocadora, que não existem diferenças morais entre um feto e um recém-nascido. A argumentação parte de ideia que muito podem aceitar e outros rejeitar", afirmou.

Certo é que a polémica está instalada, com milhares de cartas e e-mails a ameaçar de morte os autores da tese. Julian Savulescu condenou as ameaças enviadas à publicação, considerando tratarem-se de uma tentativa de censura inaceitável."

Mas anda tudo a snifar bolas de naftalina?
As minhas tripas hoje andam muito revoltadas!
O pensamento de algumas pessoas transcende-me... apesar da liberdade de expressão, não vou dizer o que penso ou sinto em relação às afirmações e ideias destes senhores. Algumas pessoas podiam ficam chocadas...

Novo cardeal diz que se deve dar mais valor à mulher em casa

Lido no Público:

"Manuel Monteiro de Castro é um dos 22 novos cardeais aos quais Bento XVI vai entregar, neste sábado, os anéis e os barretes cardinalícios. Nesta sexta-feira, o clérigo português surge em duas entrevistas a defender que o Governo deveria apoiar mais as famílias, para que a mulher pudesse ficar em casa e “aplicar-se naquilo em que a sua função é essencial, a educação dos filhos”.

Em entrevista ao Correio da Manhã, Monteiro de Castro afirma que “o maior problema de Portugal” é o “pouco apoio que o Estado dá à família”. “A mulher deve poder ficar em casa, ou, se trabalhar fora, num horário reduzido, de maneira que possa aplicar-se naquilo em que a sua função é essencial, que é a educação dos filhos”, sustenta.

A resposta surge na sequência de uma pergunta sobre se está a acompanhar a situação difícil do país. O mesmo acontece na entrevista que o novo cardeal português dá ao Jornal de Notícias, na qual insiste que “Portugal tem de dar mais força às famílias, pôr os nossos portugueses a produzir em Portugal e não fora”. “Devíamos dar muito mais valor à família e ao valor da mulher em casa”, continua.

O trabalho da mulher a tempo completo, creio que não é útil ao país. Trabalhar em casa sim, mas que tenham de trabalhar de manhã até à noite, creio que para um país é negativo. A melhor formadora é a mãe, e se a mãe não tem tempo para respirar como vai ter tempo para formar”, questiona Monteiro de Castro, ainda na entrevista ao Jornal de Notícias.

A mulher perdeu muito do valor que tinha. Tem muito valor num sentido mas noutro… Um país depende muito, muito das mães, pois é ela que forma os filhos. Não há melhor educadora que a mãe”, considera. Monteiro de Castro diz mais: “Mas se a mãe tem de trabalhar pela manhã e pela noite e depois chega a casa e o marido quer falar com ela e não tem com quem falar… Isto é, uma família bem organizada é uma base fundamental para um país.”

Na essência, é a mesma resposta que deu ao Correio da Manhã: “A mulher deve poder ficar em casa, ou, se trabalhar fora, num horário reduzido, de maneira que possa aplicar-se naquilo em que a sua função é essencial, que é a educação dos filhos.”

Monteiro de Castro, de 73 anos, desempenhou as funções de núncio (embaixador) do Vaticano em vários países, o último dos quais em Espanha. Aí, foi várias vezes criticado pelo arcebispo de Madrid, Rouco Varela, por ser demasiado moderado e insistir em estabelecer pontes com o Governo socialista de José Luis Zapatero."

Eu acho que pais e mães deviam ter mais tempo para passar com os filhos porque cada vez mais a prioridade são as condições financeiras em detrimento das condições emocionais... e se pudessem passar mais tempo com filhos sem serem criticados pela entidade patronal e sem serem vistos como um peso porque têm filhos, então era fantástico.

Sei que na maioria dos casos, quando uma funcionária diz à entidade patronal que está grávida, é vista de forma diferente... sua criminosa! andas a pensar em filhos, em vez de dares prioridade ao teu trabalho... Agora vai ser consultas, exames, ... e mais não sei quantos meses sem trabalhar! E acho que toda a gente percebe o que quero dizer...

Este é o ponto de vista que compreendo, mas daí até dizer que a função essencial da mulher é ter filhos e que perde muito valor por trabalhar fora de casa de manhã até à noite... Espera aí! Mas que valente bosta vem a ser esta?
Sim, um dia gostava de ter 1 ano de licença ou 2 ou 3... se calhar! Gostava a de poder trabalhar menos horas? Sim, claro! Mas acho que o pai tem a mesma obrigação e os direitos e obrigações devem ser partilhados!
Mas as mulheres que antes ficavam em casa a tratar da lida doméstica e dos filhos, hoje trabalham todo o dia e ainda tratam da lida doméstica e dos filhos! Se isto é perder muito valor... desculpe lá!
Adoro a minha independência... já estive desempregada e é foi das piores experiências da minha vida! Mas pelos vistos também não temos direito a opinião... fertilidade é apenas o que interessa!
Sinto-me ofendida com algumas das afirmações deste senhor... mas então aquela do marido chegar a casa e não ter com quem conversar... Alto e pára o baile! Acho que o tempinho em que não se levantava cabelo já lá vai e aquele em que as mulheres levavam no pêlo e serviam os maridos sem pensarem em si também! Não sei, se calhar sou uma grande tola, maluca, em pensar que as coisas felizmente não são como eram.

Naturalmente todos os meus comentários têm também em consideração as excepções! Ainda hoje sei que há muitas mulheres cujo único objectivo de vida é encontrar um marido e procriar! Não têm quaisquer ambições profissionais e ter filhos é o único e grande objectivo de vida. Nada contra isso, cada um sabe de si e sabe o que quer, apenas acho que quem não pensa assim, não tem menos valor por isso!

Sei que estou a reduzir o texto ao seu pior significado, mas houve certas coisas que li... até se me revoltam as tripas...

Felicidade simples e pura

É tão bom quando sentirmos uma felicidade pura simplesmente porque vamos na rua e sentimos o sol na cara ou porque vamos no carro e dá aquela música de que gostamos mesmo...
Por vezes temos de aprender a dar valor a estas pequenas coisas, sermos demasiado exigientes só nos complica a vida. E é por isso que hoje deixo aqui duas músicas completamente diferentes, mas que geram esta sensação... Mesmo no meu carrinho com 11 anos, em que as colunas já tiveram melhores dias, não resisto a pôr o volume bem alto, e mesmo que o som não seja o melhor, não faz mal, a alegria de a ouvir compensa!

Aly & AJ - Walking on Sunshine


Damien Rice - The Blower's Daughter

Chato, chato, é que quando isso acontece também não deixo de pensar, ok! qual é a coisa má que vai acontecer agora? Vou estantelar-me aqui no meio da rua, bater com o carro, partir um dente (detesto dentistas!!!),...
Mas tenho de me deixar disso, viver o momento é o que importa! E não se esqueçam... Façam o favor de ser felizes! :))))
E nada como uma 6.ª feira para ajudar nisso!

quinta-feira, 1 de março de 2012

American Pie

Num dia em que acordei ao som da vizinha de cima a chegar a roupa ao pelo da filha... e esta aos gritos... um docinho para saborear!
Esta a minha versão desta tarte tão americana. Só saberei se está muito perto da realidade quando for aos states... como não devo ir, posso sempre imaginar que deve ser uma coisa muito parecida com esta!

American Pie

- Massa folhada
- 1Kg de maçãs descascadas e cortadas às meias luas finas
- 150g de açúcar mascavado
- canela
- gengibre ralado (optativo)
- gema de ovo batida
- açúcar branco para polvilhar

Estender a massa folhada numa tarteira e picar a mesma com um garfo.

Às maçãs juntar o açúcar amarelo, a canela e o gengibre e misturar bem. Espalhar a mistura anterior em cima da massa folha e tapar com massa folhada.


Golpear e decorar o topo da tarte e pincelar com gema de ovo (segundo me disseram, se se colocar um pouco de água - só um bocadinho - e sal da gema, esta não queima no forno) e vai ao forno pré-aquecido a 180.º até ficar douradinha.

Quando estiver pronta é só polvilhar com um pouco de açúcar branco.



Acho uma receita prática e saborosa, para além de não me dar ideia de ser uma bomba calórica, mas que percebo eu dessas coisas?