Páginas

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

sábado, 22 de dezembro de 2012

Sentimento...

Por muito que queira, este ano não me consigo sentir invadida pelo espírito natalício! Esperava que o ano estivesse a terminar com esta insatisfação, preocupação e ate tristeza...
Vale a pena pelas crianças. A alegria delas faz esquecer, ainda que por breves momentos, as coisas que assombram os nossos pensamentos...
A inocência e desconhecimento de muito daquilo que as rodeia torna-as o espelho daquilo que gostaria de sentir nesta altura...
Até gostaria de sentir que tempos melhores virão, mas acho que esses tempos ainda são demasiado longínquos. Resta afundar as tristezas num prato de rabanadas e agradecer todas as coisas boas (que no meu caso são muitas) que temos na vida....

22 de dezembro

Parece que acabou um mundo ontem... Mas já temos outro substituto! Faz-me lembrar os políticos, pode ser um diferente, mas o resultado  e o mesmo... Este não me parece melhor...

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Tá Bonito

No dia 3 de novembro, a sugestão do RP lá fomos ver o espetáculo ao Rivoli do Tá Bonito.
Volta e meia passamos um ou outro serão a rir com vídeos deste site, mas não sabia muito bem o que esperar. No dia em que chegou a casa e me disse que tinha comprado os bilhetes fiquei bastante surpreendida e rendida ao facto de não haver mais nada a fazer.

Começamos com um agradável jantar no restaurante A Brasileira, onde depois de pagarmos nos perguntaram:
- E então, vão ver o espetáculo?
Como o restaurante fica mesmo em frente ao Sá da Bandeira e não sabíamos que espetáculo lá ia haver respondemos:
- Sim... não! Vamos mas não é aqui no Sá da Bandeira.
Ao que o senhor nos respondeu:
- Não é aqui, é no Coliseu... Vão ver o Tony Carreira? 
- Ah!? Como? !?!?!? Tony!? Carreira? Não, não, não é a esse que vamos!
- Ah, pensei que sim? Estão esgotados os bilhetes... Apesar da crise ainda nos precisamos de divertir...
...
...
...

Pelos vistos tínhamos ar de quem aprecia um espetáculo de Tony Carreira. Ai santinha...

Depois lá seguimos para o espetáculo que nos aguardava. Foi um serão 5 estrelas, ri-me tanto que me doía tudo. Foram umas gargalhadas tão boas que me rejuvenesceram a alma.
Entre imitações brilhantes e histórias com que todos nos identificamos, foi mesmo divertido!

Acho que vão continuar por esse país fora e aconselho a todos os que gostam de rir que marquem presença. 
Ainda hoje continuamos a falar de partes do espetáculo.
Estava eu a trabalhar quando veio ele...
Ele quem?
O Xavier!
O Xavier veio e quem é que chamou?
Fredo! Pois é sempre isto... Fredo, Fredo... Fredo,Fredo...

Rolo de papal higiénico vazio no WC:
Esqueceste-te de deixar só uma folhinha do rolo!!!

E pronto, mais umas quantas gargalhadas! Só quem viu vai entender as conversas, mas é muito engraçado!


Semana de emoções!

Na mesma semana lançamento do terceiro livro da saga As Cinquenta Sombras (Livre) e a estreia do filme Amanhecer - Parte 2.
Muitas emoções para este coração...

Entretanto, completamente viciada em:


E a vida continua... entre coisas boas e outras que nem por isso, valem estes momentos para nos abstrairmos um pouco da realidade do dia-a-dia!

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Autoridade Tributária

6.ª feira de manhãzinha a receber a seguinte mensagem da Autoridade Tributária (nome chique para Finanças):

"Assunto: Incentivo à exigência de fatura


A partir de 1 de janeiro de 2013 será obrigatória a emissão de fatura por todas as vendas de bens e serviços mesmo quando os particulares não a exijam.



Quando é emitida fatura, a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) garante o controlo e a cobrança do IVA correspondente. Se a fatura não for emitida esse controlo é impossível.



Se todos exigirmos fatura em todas as aquisições que efetuamos conseguiremos:



• Aumentar a riqueza conhecida que Portugal produz (PIB);



• Aumentar as receitas fiscais, sem pagarmos mais impostos;



• Aumentar a equidade e justiça entre todos os contribuintes portugueses;



• Diminuir o défice orçamental e criar condições para uma redução futura da carga fiscal;



• Criar melhores condições para que o nosso país possa ultrapassar com rapidez a fase díficil em que se encontra.




Quando não exigimos fatura contribuímos para:



• Aumentar a evasão fiscal e enriquecer ilicitamente aqueles que não pagam impostos;



• Diminuir a receita fiscal, que é uma riqueza de todos os portugueses;



• Prejudicar com mais impostos os contribuintes cumpridores.




O seu papel é decisivo. Exigir fatura não tem custos. É um direito e um dever de todos. E todos ganhamos. Portugal e cada um de nós.



Em breve receberá mais informação acerca dos benefícios fiscais (até 250 euros) que serão proporcionados a quem exige fatura."

Sem eu ter que pedir fatura cada vez que vou comprar uma chiclet ou tomar um café, aqui fica a sugestão:

- Porque é que as grandes superfícies, como Jumbo, Continente e outras que tal, não emitem fatura em cada venda que efetuam. Ou sou eu que sou muito burra, ou há aqui uma cambada de ignorantes que se preocupam com as migalhas e mais uma vez deixam passar as broas. E ninguém vai a uma grande superfície só comprar um chiclet, pois não!? Pior, se por acaso precisamos de fatura e pagamos sem a pedir, depois temos de nos dirigir não se onde para solicitar o obséquio... Faz algum sentido esta m****???????

- Tal como nas grandes superfícies, o mesmo se passa em grande parte das gasolineiras. E em algumas ainda têm o descaramento de afixar um aviso onde consta que só pode ser pedida a emissão da fatura até X dias após a aquisição. Muitas pessoas não estão a ver se no documento que lhes é entregue diz talão de venda ou fatura/recibo. Quando a contabilidade chateia, têm de lá ir novamente. Para evitar esse recorrência, agora dizem só até 5/10 dias depois!


Para mim pessoalmente são dois casos gritantes de fuga aos impostos, com um descaramento desmedido, que lhes permite fazer e declarar aquilo que bem entendem. Já sem referir os valores de que estamos a falar...

E mais uma nota... toda a gente fala em restaurantes e café e até em cabeleireiros... há uma que não ouço ninguém falar e que provavelmente é dos casos mais expressivos nestas situações de economia paralela. Floristas??? Porque é que ninguém fala nas floristas...

Só para terminar o desabafo, porque é que não focam mais as atenções para empresas fantasma, que para além de fuga aos impostos ainda roubam o estado? Esquemas de IVA que permitem roubar à grande e à francesa, mas que já requer outra perícia. E ninguém fala nisto... Como é possível??? E a burra sou eu???

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Balas & Bolinhos 3 - O Último Capítulo



SINOPSE
"Um tenta enganar. O outro anda a gamar. E há até quem não saiba o que anda a fazer... A verdade é que a vida continua difícil para Culatra, Rato e Bino. Mas tudo muda quando Tone, o homem do Mundo, regressa a casa para tentar salvar o pai, que está às portas da morte. E quando o reencontro acontece partem para a mais surpreendente das suas aventuras. Se tudo estava mal, agora vai ficar pior!"


Depois de muita insistência do marido e muita reticência minha lá fomos ver o tão afamado filme.
No início do filme:
"Se o raio do filme não me sacar sequer uma gargalhada vais ter me aturar!"

10 minutos depois... uma gargalhada meio abafada quase conseguia sair, mas não ia facilitar. A rir, ia ter de ser com vontade. :) O que é facto é que passado algum tempo ria como uma perdida... Alturas em que também não achei grande piada, é verdade, mas foi sem dúvida um serão muito divertido.
Para além do RP parecer uma criança entusiasmado com o facto de eu ter acedido a ir ver aquela "obra de arte"!
Vale a pena... não fica no top dos favoritos, mas é muito divertido! Mente aberta e expectativas baixas é o segredo de um serão agradável.

Menos agradável, na minha humilde opinião, é ver gente que não tem dois dedos de testa e levam miúdos de 10 anos a ver um filme destes... certas cenas do filme em que me fizeram pensar, será que lhes estão a tapar os olhos? Sei que os miúdos hoje são demasiado espertos, mas há princípios que penso que devem ser preservados. Um filme com cenas de cariz sexual e linguagem não muito católica não me parece uma boa opção. Mas pronto... sua cabeça, sua sentença!

Para gente adulta, recomendo!!!


Dei-te o melhor de mim, Nicholas Sparks




Sinopse
"Este novo e aclamado romance de Nicholas Sparks conta a história emocionante de Amanda e Dawson, dois adolescentes envolvidos na mágica experiência do primeiro amor. Contudo, sob a pressão familiar e social, são obrigados a seguir vidas distintas. Somente vinte e cinco anos mais tarde voltam a encontrar-se, por altura da morte do único homem que tinha protegido o jovem casal apaixonado. E se para ambos o amor de outrora se revela intacto, confrontam-se inevitavelmente com as escolhas feitas e os compromissos assumidos. Qual então o sentido daquele encontro, se nada podia mudar o passado?"
Desde muito cedo acompanhei os lançamentos deste escritor. Apesar de ainda ter dois livros dele por ler, decidi "atacar" este, o último lançado em Portugal.
Desengane-se quem pense que os livros de Nicholas Sparks terminam com o "e foram felizes para sempre". Nunca se sabe para que lado vai virar e isso torna as suas histórias mais emocionantes.
Tal como já estava habituada as descrições ao longo do livro permitem-nos estar lá a ver ao vivo e a cores tudo o que se desenrola, como se tivéssemos um manto de invisibilidade (igualzinho ao do Harry Potter) e dessemos conta de tudo sem que consigam dar conta de nós.
O título não podia ser melhor escolhido na minha opinião... de que forma pode alguém ficar com o melhor de outro alguém? Será que 25 anos vão conseguir separar definitivamente duas pessoas? Ou os estatutos sociais? 
Adorei... vale muito a pena cada página!

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Espera - aeroporto

Na sexta feira foi dia de mais uma espera no aeroporto Sá Carneiro. O marido lá foi 15 dias e findo esse período, lá tinha a esposa à espera!

Geralmente chego ao aeroporto quando ele já saiu e está cá fora à minha espera, ou quando estou a chegar à zona de espera ele já está no mesmo lugar à minha procura, mas desta vez esperei cerca de 15/20 minutos e por isso tive oportunidade de "apreciar"...

Impressionante o contraste entre o que se passa no primeiro e segundo andares daquele aeroporto! Se há coisa que me aperta o coração é ver o sofrimento de algumas pessoas quando estão a despedir-se de alguém, que não se sabe bem para onde e quanto tempo irão, mas certamente irão fazer muita falta. Até ao dia de hoje a cena que mais me chocou foi presenciada no aeroporto de Barcelona, quando vi o que me pareciam ser pais de cerca de 65-70 anos a despediram-se do filho e possivelmente a namorada/esposa. As lágrimas e o sofrimento naqueles rostos... as lágrimas que simplesmente não conseguiam conter apertava o coração de qualquer um.

Mas na sexta feira foi dia de ver pessoas em pulgas, com os braços no ar, lágrimas de alegria e rostos de felicidade em crianças que só queriam atravessar tudo para chegar perto daquela pessoa que pareciam esperar há demasiado tempo... quando me lembro ainda tenho um daqueles sorrisos involuntários! 
Se trabalhasse no aeroporto gostaria com toda a certeza de estar no primeiro andar...

E claro também tive direito ao meu sorriso espontâneo e de encher o coração quando cruzei o olhar com a pessoa que esperava... :)

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Agora assustei-me

Li em qualquer lado que faltam 60 dias para o Natal! Aaaaaaahhhhhhhh!?!?!?!?!?!? Não pode ser, está enganado/a...
Mas não está... falta mesmo... OMG!!!

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

3096 dias



Sinopse


"«Sê mais forte. Não desistas. Nunca, nunca desistas.»

Estas são palavras que Natascha escreveu, sozinha na cave em que esteve aprisionada durante mais de oito anos. São a prova do seu espírito inquebrável, da coragem que a manteve viva mesmo quando o seu corpo ameaçava sucumbir.

No dia 2 de Março de 1998, Natascha Kampusch, de dez anos, tinha alcançado uma grande vitória: convencera finalmente a mãe a deixá-la ir sozinha para a escola. Queria ser mais independente, conquistar a liberdade possível a uma criança. Aguardava-a a mais sinistra das ironias... Ao volante de uma carrinha branca, Wolfgang Priklopil escolheu-a como vítima. Algumas horas e quilómetros depois, estava deitada no chão frio de uma cave, enrolada num cobertor. Quando emergiu do cativeiro em 2006, tendo sofrido um dos mais longos raptos da história recente, a sua infância tinha terminado há muito."
   
Foi sem dúvida um dos livros mais difíceis que ler até hoje. Aliás, se não foi o único, foi dos poucos livros que não li do início ao fim sem parar para ler algo mais "leve".
Ler o testemunho de quem passou por uma experiência de cativeiro, agressão física e emocional constante e sobreviveu... é de facto forte em emoções e confuso em compreensão.
Sem dúvida incomoda, mas a verdade é que acabou em bem, o que nos dá uma certa esperança de que as coisas não estão totalmente perdidas. Natascha teve de crescer depressa demais e é de facto uma mulher de armas, apesar de menina!

"Um dos raptos mais longos da história. Um relato arrepiante e corajoso. Uma história de triunfo do espírito humano."


Subsídio para pneus!

Depois de um dia com o sol a brilhar e uma temperatura bem agradável, voltamos à chuva! E a quantidade de pneus que ouvi chiar no percurso de casa ao trabalho (cerca de 5Km) foi preocupante.
Nenhuns deles foram os meus, mas apesar disso não deixou de me fazer pensar no assunto... numa altura em que muitas pessoas contam os tostões para comer, de certeza que a substituição de pneus está bem lá em baixo na lista de prioridades.
Subsídio para pneus! Fica a ideia...
Acho que o reverso da medalha desta situação vai ser um aumento acentuado da sinistralidade nas nossas estradas. E vão começar a seguradoras a guinchar!

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Balanço - Fim-de-semana

Uma noite - discussão dos vizinhos de cima, seguida de choro prolongado por filho dos vizinhos dois andares acima do meu;

Outra noite - vaca a mugir toda a noite... marido sugeriu possibilidade da vaca estar a parir;

Mais uma noite - festa da grande em casa dos vizinhos de cima que durou até às tantas.

Balanço: Segunda-feira com uma dor de cabeça do caneco!

Um Sonho de Amor

Numa fase em que ler é o meu grande vício aqui fica uma das leituras da semana passada:



Esta a história de uma de três irmãs. Apesar de não o serem de sangue, são sem dúvida de coração e é bonito de se ler a amizade, cumplicidade e espírito de sacrifício entre as três.

Trata-se de uma triologia e cada um dos volumes incide sobre a vida de cada uma delas. Este primeiro conta a história de Margo, as opções que tomou e a forma como deu a volta às dificuldades que a vida lhe colocou. Claro que um livro da Nora Roberts também inclui uma história de amor entre Margo e o irmão de Laura, que sempre esteve lá e ela demorou a reparar... Vale a pena!

Já tenho o segundo (Um Sonho de Esperança) à espera do ataque que não irá demorar!

Não lia um livro desta escritora há algum tempo e já tinha saudades...

Sinopse


"Margo, Laura e Kate cresceram juntas no luxuoso ambiente da Casa Templeton, ouvindo a trágica história de Seraphina e do seu misterioso dote. Chega a altura de cada uma seguir o seu rumo e concretizar os seus sonhos, mas, apesar da distância, a Casa Templeton é sempre o seu porto de abrigo e os laços que as unem são inquebráveis.

Margo é uma mulher deslumbrante, carismática e bem-sucedida. Contudo, nada do que alcança na sua carreira internacional de modelo consegue fazê-la esquecer o seu maior sonho: conquistar o amor e a aceitação da mãe. Talvez devesse ser mais doce como Laura ou mais racional como Kate... mas ela é imprevisível, espontânea e impulsiva. Quando se vê confrontada com um revés profissional e é obrigada a procurar refúgio no seio da família Templeton, Margo toma consciência do que é realmente importante na sua vida, e Laura e Kate, as suas irmãs do coração, tudo farão para a ajudar.

Um Sonho de Amor é o primeiro romance da envolvente Trilogia dos Sonhos, que promete conquistar as leitoras!"

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Com este tempo

o que ia mesmo bem era estar no sofá com uma mantinha fofa, um bom livro numa mão e uma canequinha de cházinho quente (podia ser de maçã e canela) na outra! Hummmmm...

O Céu Exsite Mesmo

Foram várias as vezes que me deparei com este livro em estantes de livrarias, mas só recentemente decidi que faria parte da minha biblioteca. Não me dizia grnade coisa, mas por outro lado não quis perder um dos livros com maior sucesso em todo o mundo. E lá me dediquei...


Um livro de leitura rápida e acessível no que respeita à linguagem utilizada. Quanto às ideias, princípios e conclusões que o livro cria já não pode ser adjetivada de fácil...
Um história publicada como sendo real, se fosse totalmente fictícia não me surpreenderia minimamente. Por muita vontade que tenha de acreditar em coisas que li... não fez aquele clique!
Concordo com algumas coisas descritas no livro, acredito de facto que quando morremos o nosso espírito, alma ou o que quer que lhe chamem continua de alguma forma presente, mas não sei, acho que não faz sentido falar das coisas desta forma!
Não adorei o livro, mas não me arrependo de o ter lido, apesar de por vezes me parecer a história da carochinha! É a minha opinião...

Sinopse


"Colton Burpo tinha quatro anos quando foi operado de urgência. Meses mais tarde, começou a falar daquelas breves horas em que esteve entre a vida e a morte, e da sua extraordinária visita ao céu. O seu relato só agora foi revelado pelos pais. E tornou-se num fenómeno editorial sem precedentes.

Foi em 2003 que o pequeno Colton, sentado na sua cadeirinha no banco de trás do carro, começou a falar sobre os anjos que o tinham visitado durante a operação à apendicite aguda... O pai, sacerdote, nem queria acreditar. Estacionou, respirou fundo, e fez algumas perguntas ao filho. E o miúdo respondeu, sem dar muita importância ao assunto. Falou do que viu, dos seus encontros com Deus e com Jesus, das visões que teve durante a cirurgia, da mãe e do pai a rezarem enquanto ele era operado. Foi apenas o início. Colton tinha de facto visitado o céu, e trazia consigo uma importante mensagem para partilhar."

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

As cinquenta sombras mais negras

Depois de ler o primeiro livro desta saga (As cinquenta sombras de Grey) há dois comportamentos possíveis:
- não vale mesmo nada o livro, nunca mais leio o que quer que seja desta escritora;
- tenho mesmo de saber o que vai acontecer a seguir, bom ou mau, tenho mesmo de saber!

Como já deve ter dado para perceber, optei pela segunda possibilidade e no dia após terminar de ler o primeiro lá fui num instantinho comprar o segundo para matar esta curiosidade!



Tal como já seria de esperar, a escrita não é das melhores, nem pouco ou mais ou menos, mas mesmo assim é uma leitura viciante, que não dá para parar de ler... Consegue roubar um sorriso fugaz entre um e outro capítulo e da minha parte acabei por sucumbir a esta história de amor, torcendo para que tudo acabasse em bem.

Pessoalmente gostei e aquilo que alterava era a quantidade de vezes que a Anastacia fica corada (pelo que li na net são cerca de 160 vezes!), alguns diálogos por vezes demasiado repetitivos de eu não vou embora, tu é que te vais fartar de mim, eu não sou nada, tu é que me vais deixar, não tu é que vais... E também as descrições das experiências sexuais são demasiado repetitivas... here they go again! e mais um arrepio e dedo aqui e ali... e pronto!

Tal como o primeiro é preciso saber filtrar, mas gostei!
E fico ansiosamente à espera do terceiro e último volume desta saga...

Sinopse

"Perseguida pelos negros segredos que atormentam Christian Grey, Anastasia Steele separa-se dele, e começa uma carreira numa prestigiada editora de Seattle.



Mas por mais que tente, Anastasia não o consegue esquecer - ele continua a dominar-lhe todos os pensamentos. E quando Christian lhe propõe reatarem a relação com um novo e diferente acordo, ela não consegue resistir. Aos poucos, uma a uma, começam a revelar-se as Cinquenta Sombras que torturam o seu autoritário e dominador amante.



Enquanto Grey se debate com os seus demónios, e revela a Anastasia um lado inesperadamente romântico, ela vê-se obrigada a tomar a mais importante decisão da sua vida.



Uma escolha que só ela pode fazer…"

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

30

O dia dos 30 lá chegou... aquilo que me enche o coração de alegria é apenas ouvir uma ou outra música que adoro, uma e outra mensagem (ou telefonema) de pessoas que têm um lugar especial no meu coração, algumas gargalhadas que o marido me consegue arrancar e saber que daqui a pouco vou estar com algumas das tais pessoas especiais no meu coração...

Tenho perfeita consciência de que aquilo que se aproxima é tudo menos um tempo de facilidades, mas hoje e agora só quero aproveitar o dia que me resta... e de preferência apanhar uma borracheira!

Calma... estupidez natural... e uns mojitos!

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Crise???

Ontem, entre desabafos e confidências, numa fase menos boa, que faz parte da vida de toda a gente, o meu marido diz:
"Oh Fi, as coisas não são assim! A verdade é que estás com uma crise de idade!"

Mulher que é mulher, é sempre complicada.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Mau dia...

Só me apetece estar em casa, reduzida à minha insignificante existência, com o silêncio absoluto (ou possível, para quem mora num primeiro andar), sem pensar em nada...
Deve ser do tempo...

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

As cinquenta sombras de Grey

Num dia em que fui às compras, encontramos a revista Sábado com a seguinte capa:

e na minha habitual vista de olhos aos livros no top, encontrei no primeiro lugar o seguinte livro:

Para além de na capa do livro ter um post it com o seguinte dizer (mais coisa, menos coisa)
5.ª edição - Sim, este é o livro de que toda a gente anda a falar

Pensei, toda a gente anda a falar???? Eu não ando a falar e nunca ouvi falar em tal obra! Ok, lá vou ter de levar o livro para saber o que se passa...
E com aquele sentimento de ignorante paguei e trouxe-o para casa, cedendo a esta brilhante técnica de marketing! Sim, foi uma compra impulsiva, mas numa altura em que só se fala de crise...

Entretanto lá peguei no dito livro e fiquei surpreendida com o que encontrei... descrições de experiências sexuais demasiado pormenorizadas, mas simultaneamente um romance, uma história de amor com que as meninas mais românticas (como eu!) sonham...

O português não é o melhor e a tradução deixa um pouco (ou muito!!!) a desejar, mas para quem vibrou com o Twiligth, vibra com este livro, mas com um pouco de filtro naturalmente!
Basicamente é uma história de amor sem vampiros mas com gostos muito únicos. No final só dá para perguntar... será que amor vence???


Sinopse
"As Cinquenta Sombras de Grey é um romance obsessivo, viciante e que fica na nossa memória para sempre.

Anastasia Steele é uma estudante de literatura jovem e inexperiente. Christian Grey é o temido e carismático presidente de uma poderosa corporação internacional. O destino levará Anastasia a entrevistá-lo. No ambiente sofisticado e luxuoso de um arranha-céus, ela descobre-se estranhamente atraída por aquele homem enigmático, cuja beleza corta a respiração. Voltarão a encontrar-se dias mais tarde, por acaso ou talvez não. O implacável homem de negócios revela-se incapaz de resistir ao discreto charme da estudante. Ele quer desesperadamente possuí-la. Mas apenas se ela aceitar os bizarros termos que ele propõe... Anastasia hesita. Todo aquele poder a assusta - os aviões privados, os carros topo de gama, os guarda-costas... Mas teme ainda mais as peculiares inclinações de Grey, as suas exigências, a obsessão pelo controlo… E uma voracidade sexual que parece não conhecer quaisquer limites. Dividida entre os negros segredos que ele esconde e o seu próprio e irreprimível desejo, Anastasia vacila. Estará pronta para ceder? Para entrar finalmente no Quarto Vermelho da Dor?As Cinquenta Sombras de Grey é o primeiro volume da trilogia de E. L. James que é já o maior fenómeno literário do ano em todos os países onde foi publicado.
As Cinquenta Sombras de Grey de E. L. James


Críticas de imprensa
“De um dia para o outro, As Cinquenta Sombras de Grey tornou-se sensação entre o círculo das mães jovens e atraentes e chegou ao top dos bestsellers do New York Times. Este romance erótico pôs as gravatas cinzentas no primeiro lugar da lista de compras de muitas esposas, na esperança de que os respectivos maridos viessem a imitar a personalidade obsessiva, imperiosa e intimidante de Grey, com muitas a admitirem que o livro lhes despertou um desejo intenso por sexo com os companheiros.”
The Daily Mail

“As Cinquenta Sombras de Grey, romance erótico de uma autora desconhecida, foi descrito como pornografia para mamãs ou como uma espécie de Twilight para adultos e, por todo o lado, tem deixado as mulheres eléctricas, de tal forma que, em três tempos, o fenómeno se espalhou no Facebook, nos ginásios ou nos eventos escolares dos filhos. Os editores referem que o burburinho que acompanha As Cinquenta Sombras de Grey faz lembrar o que se passou com o Código Da Vinci ou com Comer, Orar e Amar. A diferença é que este livro é responsável por uma outra coisa: apresentou às mulheres habituadas a ler ficção comercial e sem novidade um novo estilo de romance erótico, explícito e de uma ardência ofegante. Nos subúrbios de Nova Iorque, Denver e Minneapolis, as mulheres que devoraram a trilogia afirmam sentir os efeitos benéficos em casa. Segundo Lyss Stern, a fundadora do site DivaMoms.com e uma das primeiras fãs da série, o livro está a reavivar a chama de muitos casamentos. ‘Acho que ler o livro nos faz sentir sexy outra vez’.”
The New York Times

“Novos e velhos, médicos e crentes praticantes, homossexuais e heterossexuais – estamos só a falar dos HOMENS que devoraram este oh! tão atrevido As Cinquenta Sombras de Grey, uma trilogia erótica que conquistou milhões de mulheres numa questão de semanas.”
Washington Post"

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Bolinho de pêssego

Para matar as saudades das receitinhas, porque tenho de confessar, as experiências culinárias têm sido praticamente inexistentes...

Bolo de pêssego e amêndoa

Ingredientes:
- 1 lata de pêssego em calda
- 1 iogurte natural
- 5 ovos
- 3 medidas de farinha (a medida é o copo do iogurte)
- 3 medidas de açúcar
- 1 medida de óleo
- 1 colher de chá de fermento
- Amêndoas laminadas (Opcional)

Começar por pré-aquecer o forno nos 180ºC.
Eu usei uma forma de silicone e por isso não precisei de untar e enfarinhar a forma, no caso de utilizar uma forma das outras teria de o fazer.
Escorrer a calda do pêssego e corte as metades de pêssego em fatias.  Espalhar as fatias de pêssego pelo fundo da forma.

Juntar numa taça o iogurte, os ovos, a farinha com o fermento, o açúcar e o óleo. Bater bem até ficar fofinho e homogéneo. 

Deitar a massa na forma, espalhar as amêndoas laminadas por cima da massa e levar ao forno. Caso não tivesse amêndoa, também não faria grande diferença.

Deixar cozer entre os 30 e os 40 minutos, tendo sempre o cuidado de vigiar e testar com o palito.

Depois de cozido, desenformar. No caso de usar as formas de silicone é preciso esperar algum tempo para o bolo arrefecer, pois caso contrário, irá desfazer-se muito.

E aqui ficam as fotos, como não poderia deixar de ser...




segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Bolo com cereja no topo...

Fim das isenções nas scuts e aumento do preço do gasóleo/gasolina!

O bolo já está recheado e coberto!

Será que podem anunciar mais um aumento de um imposto qualquer só para terminar com a cereja no topo?

Acordar

com este sentimento de confiança traída...

Chegar ao escritório e ter de voltar a casa porque me esqueci das chaves... dá para voltar atrás por favor?

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

A primeira de muitas, espero!

Esta semana tive a oportunidade de trocar a primeira fralda à minha afilhada! E foi tão bom...

Um afilhadão que já está no infantário, nos seus primeiros passos de uma vida de homem crescido. Mas sempre com um sorriso e um miminho adoráveis!

Uma afilhada a crescer e já a ficar habituada ao colo da madrinha! (Quando está no meu colo e não chora, já sinto um campeonato ganho.) Com um olhar concentrado de quem está a conversar connosco...

E uma afilhada postiça (ou castiça!!!) que apesar de já estar a ficar uma mulherzinha continua com o seu coraçãozinho tão puro e bondoso que nos cativa no primeiro momento em que nos encontramos, cada vez que estamos juntos. Além de estar muito bonita...

Podemos pedir mais alguma coisa???

Somos de facto uns sortudos...

É mesmo bom!

Partilhar a felicidade com aqueles de quem mais gostamos!

Em conversa com uma amiga há pouco tempo, em tom de desabafo dizia-me, a família são aqueles que nos calham, os amigos podemos escolhe-los...

E é bem verdade! Amamos a nossa família, mas no que diz respeito a amigos, estes têm um papel mais ou menos importante conforme queiramos que tenham.
O ideal seria que a nossa família fosse também um grupo de amigos, mas nem sempre é assim que acontece. Temos sempre um grupo de amigos com o qual a convivência, proximidade e partilha é muito maior do que com a maior parte da nossa família.

É por isso que me sinto verdadeiramente orgulhosa por ter algumas pessoas na minha vida com as quais me sinto perfeitamente à vontade, com as quais sei que partilho sinceramente as minhas alegrias e com quem posso contar nas minhas tristezas.

Um telefonema para dar uma novidade, um convite para uma coisa muito simples são suficientes para nos encher o coração.
A preocupação natural que temos uns com os outros, quase maternal, é de facto muito bom!
E no fundo leva-me a acreditar que sou boa pessoa, porque caso contrário não merecia ter presentes na minha vida algumas pessoas que tenho...

Por isso, só posso aqui deixar um grande Obrigada! aos meus amigos... (eles sabem quem são!!!)

4 anos, já?

Acabei de descobrir que este blog fez ontem 4 aninhos... Está quase a ir para a primária!

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Vão-se foder

Texto de Ângela Crespo, retirado do Facebook, mas que penso merecer a publicação no meu tão estimado blog!

"Este é um texto longo, pouco facebook friendly, mas à falta de melhor sítio para expressar o que me vai na alma, aqui fica:




Vão-se foder.



Na adolescência usamos vernáculo porque é “fixe”. Depois deixamo-nos disso.



Aos 32 sinto-me novamente no direito de usar vernáculo, quando realmente me apetece e neste momento apetece-me dizer: Vão-se foder!



Trabalho há 11 anos. Sempre por conta de outrém. Come...cei numa micro empresa portuguesa e mudei-me para um gigante multinacional.



Acreditei, desde sempre, que fruto do meu trabalho, esforço, dedicação e também, quando necessário, resistência à frustração alcançaria os meus objectivos. E, pasme-se, foi verdade. Aos 32 anos trabalho na minha área de formação, feliz com o que faço e com um ordenado superior à média do que será o das pessoas da minha idade.



Por isso explico já, o que vou escrever tem pouco (mas tem alguma coisa) a ver comigo. Vivo bem, não sou rica. Os meus subsídios de férias e Natal servem exactamente para isso: para ir de férias e para comprar prendas de Natal. Janto fora, passo fins-de-semana com amigos, dou-me a pequenos luxos aqui e ali. Mas faço as minhas contas, controlo o meu orçamento, não faço tudo o que quero e sempre fui educada a poupar.



Vivo, com a satisfação de poder aproveitar o lado bom da vida fruto do meu trabalho e de um ordenado que batalhei para ter.



Sou uma pessoa de muitas convicções, às vezes até caio nalgumas antagónicas que nem eu sei resolver muito bem. Convivo com simpatia por IDEIAS que vão da esquerda à direita. Posso “bater palmas” ao do CDS, como posso estar no dia seguinte a fazer uma vénia a comunistas num tema diferente, mas como sou pouco dado a extremismos sempre fui votando ao centro. Mas de IDEIAS senhores, estamos todos fartos. O que nós queríamos mesmo era ACÇÕES, e sobre as acções que tenho visto só tenho uma coisa a dizer: vão-se foder. Todos. De uma ponta à outra.



Desde que este pequeno, mas maravilho país se descobriu de corda na garganta com dívidas para a vida nunca me insurgi. Ouvi, informei-me aqui e ali. Percebi. Nunca fui a uma manifestação. Levaram-me metade do subsídio de Natal e eu não me queixei. Perante amigos e família mais indignados fiz o papel de corno conformado: “tem que ser”, “todos temos que ajudar”, “vamos levar este país para a frente”. Cheguei a considerar que certas greves eram uma verdadeira afronta a um país que precisava era de suor e esforço. Sim, eu era assim antes de 6ª feira. Agora, hoje, só tenho uma coisa para vos dizer: Vão-se foder.



Matam-nos a esperança.



Onde é que estão os cortes na despesa? Porque é que o 1º Ministro nunca perdeu 30 minutos da sua vida, antes de um jogo de futebol, para nos vir explicar como é que anda a cortar nas gorduras do estado? O que é que vai fazer sobre funcionários de certas empresas que recebem subsídios diários por aparecerem no trabalho (vulgo subsídios de assiduidade)?… É permitido rir neste parte. Em quanto é que andou a cortar nos subsídios para fundações de carácter mais do que duvidoso, especialmente com a crise que atravessa o país? Quando é que páram de mamar grandes empresas à conta de PPP’s que até ao mais distraído do cidadão não passam despercebidas? Quando é que acaba com regalias insultosas para uma cambada de deputados, eleitos pelo povo crédulo, que vão sentar os seus reais rabos (quando lá aparecem) para vomitar demagogias em que já ninguém acredita?



Perdoem-me as chantagem emocional senhores ministros, assessores, secretários e demais personagem eleitos ou boys desta vida, mas os pneus dos vossos BMW’s davam para alimentar as crianças do nosso país (que ainda não é em África) que chegam hoje em dia à escola sem um pedaço de pão de bucho. Por isso, se o tempo é de crise, comecem a andar de opel corsa, porque eu que trabalho hé 11 anos e acho que crédito é coisa de ricos, ainda não passei dessa fasquia.



E para terminar, um “par” de considerações sobre o vosso anúncio de 6ª feira.



Estou na dúvida se o fizeram por real lata ou por um desconhecimento profundo do país que governam.



Aumenta-me em mais de 60% a minha contribuição para a segurança social, não é? No meu caso isso equivale a subsídio e meio e não “a um subsído”. Esse dinheiro vai para onde que ninguém me explicou? Para a puta de uma reforma que eu nunca vou receber? Ou para pagar o salário dos administradores da CGD?



Baixam a TSU das empresas. Clap, clap, clap… Uma vénia!



Vocês, que sentam o já acima mencionado real rabo nesses gabinetes, sabem o que se passa no neste país? Mas acham que as empresas estão a crescer e desesperadas por dinheiro para criar postos de trabalho? A sério? Vão-se foder.



As pequenas empresas vão poder respirar com essa medida. E não despedir mais um ou dois.



As grandes, as dos milhões? Essas vão agarrar no relatório e contas pôr lá um proveito inesperado e distribuir mais dividendos aos accionistas. Ou no vosso mundo as empresas privadas são a Santa Casa da Misericórdia e vão já já a correr criar postos de trabalho só porque o Estado considera a actual taxa de desemprego um flagelo? Que o é.



A sério… Em que país vivem? Vão-se foder.



Mas querem o benefício da dúvida? Eu dou-vos:



1º Provem-me que os meus 7% vão para a minha reforma. Se quiserem até o guardo eu no meu PPR.



2º Criem quotas para novos postos de trabalho que as empresas vão criar com esta medida. E olhem, até vos dou esta ideia de graça: as empresas que não cumprirem tem que devolver os mais de 5% que vai poupar. Vai ser uma belo negócio para o Estado… Digo-vos eu que estou no mundo real de onde vocês parecem, infelizmente, tão longe.



Termino dizendo que me sinto pela primeira vez profundamente triste. Por isso vos digo que até a mim, resistente, realista, lutadora, compreensiva… Até a mim me mataram a esperança.



Talvez me vá embora. Talvez pondere com imensa pena e uma enorme dor no coração deixar para trás o país onde tanto gosto de viver, o trabalho que tanto gosto de fazer, a família que amo, os amigos que me acompanham, onde pensava brevemente ter filhos, mas olhem… Contas feitas, aqui neste t2 onde vivemos, levaram-nos o dinheiro de um infantário.



Talvez vá. E levo comigo os meus impostos e uma pena imensa por quem tem que cá ficar.



Por isso, do alto dos meus 32 anos digo: Vão-se foder."

terça-feira, 25 de setembro de 2012

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Crepe chinese/portuguese

Com muitas saudades de uma receita??? Aqui vai então...

Nem sei se lhe posso chamar crepe, mas que parece, parece...
- Sobras de novilho de fondue, cortado em tiras;
- 4 folhas de massa filó;
- Lata de cogumelos;
- Lata de rebentos de soja;
- Vaqueiro líquida para pincelar (em alternativa, azeite);
- Molho de soja;
- Azeite.

Numa frigideira colocar um fio de azeite e adicionar a carne. Deixar cozinhar um pouco e depois acrescentar os cogumelos e os rebentos de soja, temperando com o molho de soja.
Atenção que o molho de soja é muito salgado, em caso de exagero pode ter um sabor demasiado apurado.
Deixar cozinhar tudo e depois desligar.

Numa bancada colocar uma folha de massa filó, pincelar com a gordura escolhida e sobrepor outra folha de massa.
Espalhar ao centro o recheio feito anteriormente e embrulhar a gosto.

Depois vai ao forno a 180ºC até ficar dourado a gosto.

Algumas fotos desta experiência:








Acompanhado com uma saladinha dá para uma refeição...

Oi? Podia repetir se faz favor!

Ser convidada para um casamento é de facto um privilégio. As pessoas considerarem-nos suficientemente importante para nos convidarem a presenciar um dos dias mais importantes das suas vidas, é de facto um orgulho.

Mas simultaneamente, a ida a um casamento traduz-se num verdadeiro combate de boxe, com vários rounds, por vezes muito desgastantes. Ele é roupa, calçado, maquilhagem, penteado e mais umas quantas coisas.
Como tenho um casamento no próximo sáado, ontem foi dia de tratar das meias (sim, sei que estive de férias muito recentemente, mas sou a típica portuga, gosto de deixar sempre alguma coisinha para a última).

Fui a uma grande superfície comercial em Gaia (e mais não digo) a que me tornei fiel neste tipo de coisas, porque tamanho grande não é fácil encontrar em todo o lado.
Uma funcionária atenciosamente dirige-se a mim e após explicar-lhe aquilo que pretendia, mostrou-me o que ia de encontro aos meus interesses, sempre com muita atenção e simpatia.
E eis que vinha a pergunta complicada:
- E que tamanhos tem?
- Olhe, estas meias são excecionalmente grande, porque são de uma marca austríaca e os austríacos são todos muito grandes. Não vai ter qualquer problema.
- Ai é? Por acaso não conhecia esta marca... não sabia!
- É, pode ficar descansada porque vem tudo da Austrália!
- !?!?!?!?!?!?!?!

Estava a tratar disto quase às 23h, mas depois de terminada a compra ainda me conseguiu arrancar umas gargalhadas.
Mas a menina foi de facto muito simpática! Não sei há quantas horas estava a trabalhar, mas compreendo-a! Nem por isso deixa de ser engraçado...

terça-feira, 11 de setembro de 2012

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Regresso...

1.º dia de regresso ao trabalho... com um sabor muito agridoce!

O anúncio do aumento dos encargos com a Segurança Social suportados pelos trabalhadores desmoralizou-me mesmo.
Passar de 11 para 18%?????????
Parece brincadeira... Sei que temos de fazer sacrifício para recuperarmos da m**** que os governantes deste país andaram a fazer, mas existe um limite... ou como o outro diria, existe uma linha que separa o que é permissível e aceitável do que é ultrajante, injusto e incompreensível!

Esta treta de pertencer à classe média é do caraças. E o pior é que acho que ainda temos mais a caminho... o IRS não vai ficar por aqui, ai não vai não...

O regresso ao trabalho propriamente dito não foi grande surpresa, mas havia coisas das quais não tinha saudades nenhumas...

sábado, 8 de setembro de 2012

Agora

Depois do Cemitério dos Prazeres, agora foi a vez de:

Acabadinho de ler, este livro de Pedro Boucherie Mendes é sem dúvida, diferente!
O livro é ficção, mas parece um confronto contínuo... um confronto comigo, com os meus amigos, família, cultura, sociedade...
Existem coisas que ao longo do livro que inconscientemente toca no botãozinho de "realmente, é mesmo assim" e outras que "o quê???? tá-se a passar!?"


"Aos 35 anos, Vasco deixou o amor fugir-lhe para sempre porque não esteve para se chatear. Quem vai pagar pelo maior erro da sua vida é Alexandra, a vizinha divorciada incapaz de perceber qual a intenção deste homem. 

Vasco é insondável, até para os amigos com quem passa a maior parte do tempo: Guicas, a menina rica e cleptomaníaca que gosta demasiado de vodka e não suporta ver ninguém feliz; Miguel, que se casou com ela por dinheiro e estatuto e que agora vê na morte da mulher a solução para todos os problemas; Sofia, que não consegue esquecer Vasco e se tornou numa mãe desesperada por atenção, desconfortável no seu corpo e ressentida com os amigos; e Quico, o inconsequente marido de Sofia, que a trai com Mafalda, uma arrivista disposta a quase tudo para pertencer àquele grupo onde, na verdade, ninguém se conhece e todos estão à deriva. 
Um dia, o tarólogo Zé Luís, com os seus dentes demasiado brancos, cruza-se com estes homens e mulheres. E a vida de todos mudam bruscamente."


O centro da história, é uma que sinceramente não se chega a perceber.  Depois existem as vidas de vários amigos todas entrelaçadas de várias formas. Existe a descrição da forma de estar, viver, prioridades de cada um deles, supremacia e dependências... até um acontecimento fatídico que muda quase todas as coisas.

É diferente, sem dúvida. Faz-nos pensar e a própria história acaba por nos envolver. Sinceramente, não é o meu tipo de leitura de preferência. Estava com uma expectativa diferente daquilo que seria este livro.

Até os céus estão tristes

com o fim das minhas férias!

Que nevoeiro...

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Oh pá...

O tempo do chinelo de dedo a terminar e quase a voltar à rotina do dia-a-dia.
Já com saudades da vida boa, sem hora para levantar ou fazer o que quer que seja.

Segunda feira é dia de voltar ao trabalhinho e apesar de ser muito bom ter um trabalho para voltar, não me importava nadinha de passar mais uma semaninha no relax... mas férias é isso mesmo, terminarem com um gostinho a pouco e com vontade de trabalhar mais um aninho para adquirirmos o direito a mais um descanso prolongado (por prolongado, entenda-se 15 dias!).

Aquele balanço que se faz no final do ano, enfrentando o 1 de Janeiro como uma nova etapa da vida para mim é mais sentido e pensado nesta altura do ano. No último ano fiz o que estava ao meu alcance para cumprir da melhor forma e até exceder tudo aquilo a que me tinha proposto. Houve coisas que correram bem e outras que não foram exatamente da forma como estava à espera.

Agora é altura de começar a arregaçar as mangas para lutar por aquilo que quero tanto a nível profissional como pessoal. Com as baterias carregadas, cabeça levantada e sorriso, será um ano positivo.

Entretanto ficam memórias de alguns momentos vividos nestes dias... Um deles partilho, pois foi muito divertido. Numa ida a Labruge, por caminhos que parecem ter parada no tempo, ambientes de aldeia como nos parecem não existir mais encontramos esta imagem tão caricata, que nos roubou uma gargalhada...
Nesta paragem, quem se quiser sentar à espera da "camioneta" traz a cadeirinha de casa...

Cake design #6 Aniversário do Diogo

Último bolinho para mostrar, do Diogo, no seu 3.º aniversário. O tempo passa muito depressa e ainda no outro dia era um bebé e o nosso afilhado já fez 3 anos.





Só aquele sorriso... e tentativa de arrancar uma orelhita (que mais tarde conseguiu) vale e pena!

É impressionante a concretização pessoal que obtenho com este hobbie tão recentemente encontrado!

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Cake design #5 Primeira Comunhão Marta

Há muito que não mostrava nada aqui e por isso tenho alguns bolitos acumulados para exibir! :))))
Mas está quase a acabar....

Desta vez mostro o bolo da Primeira Comunhão da Marta!



Um dia que foi marcado pelas cerca de 3 horas que o padrinho passou dentro da igreja... Levou com palavras sagradas para muito tempo e verdade seja dita, que não lhe fez mal nenhum!

É impressionante a forma como o tempo passa depressa para estas crianças que têm um papel especial nas nossas vidas!
E sentimo-nos tão sortudos pelo papel que temos na vida delas...

A minha "horta"

Ontem foi a primeira vez que pus os pezinhos na praia! Lá fui sentir a temperatura da água até aos tornozelos e fiquei satisfeitinha.

Depois dediquei-me à agricultura doméstica e criei o meu canteiro de ervas aromáticas! Ficou giro, mas não sei bem porquê, acho que vai secar tudo muito depressa. De qualquer forma prometo ter cuidadinho e regar com frequência, porque definitivamente eu e as plantas temos aquilo a que se pode chamar uma relação problemática!

Aproveito também para mostrar outro elemento da minha horta, que já cá mora há algum tempo e apesar de já ter sofrido um ataque de piolhos está agora na sua melhor forma.

O mal é começar... daqui a nada estou especializada em agricultura! De qualquer forma foi bom meter as mãos na terra, já tinha saudades. Esperemos agora que dê frutos, ou ervas, ou qualquer coisa que não seja demasiado amarela para deitar ao lixo... 

Da esquerda para a direita temos portanto:
Salsa
Hortelã verde
Cebolinho
Coentros
Manjericão
Tomilho

Aqui temos uma plantação de pimento padrón, uns picam outros nón! :PPPPPPPP
E já conseguimos tirar daqui dois pimentinhos (um verde um vermelho) que me esqueci de fotografar.
Pena, pena é que nenhum de nós os dois gosta de pimentos!



segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Homens e compras!


Não sou com toda a certeza a única mulher que se queixa do facto de o marido ainda estar a subir o tapete rolante de acesso a um shopping e já estar a espumar porque não vê a hora de vir embora e tudo aquilo lhe faz mal! 
Porque está muito calor, ou o ar condicionado está ligado, ou ver montras é ridículo e tudo o que se compra é desnecessário!

Pois bem, o verso da medalha está nas lojas de bricolage e afins!
Um dias destes fomos a uma dessas lojas comprar uma coisa tão simples como sacos para guardar cobertores e outras coisas que tal, utilizando o mínimo de espaço possível. Foi um pouco complicado encontrar o raio dos sacos mas finalmente encontramos tal tesouro escondido!

Até aqui tudo corria dentro da normalidade até que chegamos à secção de ferramentas, caldeiras, banheiras entre outras... E para minha grande surpresa, não era o RP que desesperava pelo tempo que esperava por mim! Não, desta vez eu ia à frente e cada vez que olhava para trás estava sua excelência escondida no corredor seguinte ao que tinha parado anteriormente. Ele era berbequins, aparafusadoras, robots de limpeza de piscina... uma panóplia de coisas sem qualquer interesse para mim, mas até me vi interessada em investir numa dessas maquinetas se isso significasse o meu passaporte para sair daquela loja que parecia não ter fim!

Mas... há sempre um mas! Houve um corredor em que o RP parou e fiquei especialmente confusa... um bando de caldeiras penduradas na parede e ele a olhar com o maior interesse para aquele conjunto de cilindros brancos sem piada, como se estivesse a fazer uma grande descoberta:
- O que é isso? São caldeiras?
- Sim, estou aqui a vê-las!
- E porque carga de água estás a prestar a maior das atenções a umas caldeiras, quando temos uma, está em perfeitas condições e cuja média de vida esperada é bastante superior à que a nossa tem?!?!?!?!?
- Porque um dia, sei lá, quando avariar e tivermos de comprar outra, já sei quanto é que vamos gastar...
- Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh?????????
- Sim, temos de ir vendo estas coisas...
- Isto vai tão para o blog RP!!!
- Oh, não faças isso!
- Podes considera-lo feito!

Com a seca que apanhei fiquei com muitos créditos de idas a shopping! Sorte a dele é que também não aprecio!
Mas só ao fim de tantos anos é que consegui descobrir que tipo de lojas o meu marido aprecia. Sempre a aprender... Pena que parafusos e brocas e sei lá mais o que não seja muito a minha onda...

Cake design #4 Mais um bolinho!

Então aqui fica um bolinho que fiz para a Primeira Comunhão da Rita!
O sorriso que fazem ao verem aquilo que lhes fizemos é de facto algo que vale mesmo a pena todo o trabalho que exige. :))))




Chiça...

Nada como um dia de limpezas para me lembrar que as férias não são só vida boa!!!

domingo, 2 de setembro de 2012

Cake design #3 Bolo da P.

Em modo de férias e a meio das mesmas (porra, que isto passa mesmo depressa!), publico finalmente as fotos de um bolinho que fiz para a P.!
Entretanto a bebé que estava na barriga já nasceu e fez ontem precisamente um mês!
Aqui ficam as fotos:






Como o tempo passa...

terça-feira, 3 de julho de 2012

uuuooouuuu... + de 5000

É só para comunicar que já tive mais de 5000 visualizações do blog... surpresa muito agradável!

Isto é que são uns leitores de categoria...

Continuo viva!!!

Depois de me relembrarem qual tinha sido o último post do meu adorado blog, achei melhor vir cá meter qualquer coisinha. Sim, porque fezes não é um bom tema para deixar tanto tempo em destaque...

Continuo viva, não morri afogada/enterrada... nos elementos referidos no post anterior...

Falta de tempo... é só isso!

Mas vou esforçar-me por dar um bocadinho mais de atenção a este meu cantinho! Até porque tenho iiiiiiiimmmmmmmmmeeeeeeennnnnnnnssssssoooooooooosssssss.... mais que muitos leitores que me pedem novidades! São poucos mas bons...

Até breve...

sexta-feira, 30 de março de 2012

Cee Lo Green - Forget You

Para aguçar a vontade de fim-de-semana!


Estudo científico

Já toda a gente ouviu dizer que nem sempre light ou magro corresponde automaticamente a mais saudável.
Sinceramente nunca fui de me preocupar muito com isso e geralmente optei sempre por aquilo que me ia saber melhor, mas, tendo em conta que já não vou para nova... acho que é melhor começar a prestar mais atenção a certas coisas.

Outra coisa que até há pouco tempo também não era opção eram as marcas próprias... tinha de ser tudo daquelas marcas a que estava habituada, mas como o ditado diz, em tempo de guerra não se limpam armas e a determinada altura, e após algumas experiências, cheguei à conclusão que não valia a pena "desperdiçar" dinheiro como estava a fazer até aí.

Tendo em conta estas notas introdutórias, nas compras do fim-de-semana passado constou um "carregamento" de iogurtes magros, de diversas marcas e sabores, escolhidos mais pelos sabores do que pelas marcas. Entre eles constam:

Auchan Magro - ananás



Nestle Sveltesse - Stracciatella (o que comprei foi líquido, mas não consegui encontrar imagem)

Houve um dia em que trouxe um de cada deste e depois pensei... deixa-me lá ver como é que isto é! Acho que se não foi a primeira vez que olhei para a informação nutricional de um produto, deve andar muito próximo disso. E o que eu vi foi:



É pá, sinceramente fiquei um bocadinho chocada! Ok, o da Nestle é de chocolate, mas é uma diferença muito grande...  Muito mau...
Acho que me vou dedicar à leitura de rótulos!

quinta-feira, 29 de março de 2012

segunda-feira, 26 de março de 2012

O Voo da Borboleta

Numa segunda-feira que começa com uma noite muito mal dormida, uma dor de cabeça gigante e uma vontade de trabalhar escassa, um livro que terminei de ler e que me relembra que há coisas muito mais graves que isso e que no final das contas sou uma sortuda por ter tudo aquilo que tenho, com grande destaque para a saúde!
Uma grande lição de vida... um livro que longo da sua leitura me fez pensar inúmeras vezes, não é possível viver assim! Mas é! Há pessoas muito fortes e que devem tornar-se exemplos para nós!

"“O Voo da Borboleta” é uma viagem pelo dia-a-dia de uma rapariga a quem foi diagnosticada, aos 14 anos, uma doença neurológica degenerativa: a neurofibromatose. Maria João Inocêncio conta-nos, com grande coragem e uma lucidez por vezes desarmante, as várias fases pelas quais foi e ainda vai passando: dos exames às dores lancinantes, das operações até aos (muitos) exames de rotina. Mas este é também um livro de muita esperança e fé. Um projecto que nasce a partir de um diário que Maria João começou a escrever avidamente para libertar as suas emoções e angústias, enquanto aguardava que chegassem dias melhores, sem nunca deixar de acreditar nisso. Esta é uma jovem que não deixa ninguém indiferente, nem os amigos nem os médicos, que mostram nestas páginas o grande carinho que sentem por esta doente tão especial. Tal como uma borboleta, a autora sabe que a doença a obriga a transformar-se e a adaptar-se a novos obstáculos e desafios, como por exemplo, a perda da audição e a aprendizagem da Língua Gestual. Neste “vôo” (é, na realidade, muito mais do que um) o leitor é convidado a conhecer uma história de esperança e de humor, de muita dor mas, principalmente, de muitos afectos e coragem."



Sobre autor:

"Maria João Inocêncio nasceu há 20 anos, em Setúbal. Aos 14 anos foi-lhe diagnosticada uma doença neurológica rara e dolorosa: a neurofibromatose. Apesar disso, e ainda adolescente, conseguiu ultrapassar barreiras que a surpreenderam, a ela própria, à família e aos amigos, nos quais se incluem também médicos e pessoal auxiliar. Devido à perda de audição e a uma paralisia no rosto, teve de encontrar outras formas de comunicar. Até agora, a sua principal ferramenta tem sido a escrita, mas já começou a dar os primeiros passos na Língua Gestual Portuguesa. Um enorme amor pela vida e pelos familiares e amigos ajuda-a não só a enfrentar o dia-a-dia com uma coragem que não deixa ninguém indiferente. Sobre ela, costuma citar uma frase que leu, algures: “Creio que todos nós criamos os nossos monstros, os nossos medos e inseguranças. São pensamentos mutiladores. Porém, raramente encontramos pessoas dispostas a partilhá-los.”. Com este livro, Maria João pretende, justamente, quebrar esse silêncio."